Padre de Florianópolis diz que Polícia Federal negou apoio espiritual a reitor que se suicidou

Ao celebrar missa em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cancellier, alvo da Operação Ouvidos Moucos da PF e que se matou na semana passada, o padre William Barbosa Vianna fez uma denúncia espantosa:

- Eu e outro religioso fomos impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, que foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial. 

O reitor esteve preso menos de 24 horas, o que quer dizer que o padre esteve na PF a cada seis horas para visitar o reitor, o que é espantoso e invulgar.

Segundo o padre, a Polícia Federal também proibiu a Pastoral Carcerária de visitá-lo no dia da prisão, em 14 de setembro

66 comentários:

Anônimo disse...

Vai tomar no c*, padre de passeata. Ninguém mais aguenta o mimimi dessa gentalha. O reitor era um vagabundo petista e provavelmente tenha sido suicidado, e a esquerdalha, como sempre, adora tirar vantagem de um cadáver.

Anônimo disse...

E a vitimização de bandido continua.............

Anônimo disse...

Onde estava o Padre quando o reitor fazia as falcatruas? Por que não foi ajudá-lo espiritualmente na época dos esquemas? Já sei, no mínimo o padre estava ocupado com alguns coroinhas....

Anônimo disse...

Bah, o cara nem tinha esquentado na prisão e o padreco foi lá conforta-lo no mínimo 4 vezes. Tem de tudo nesta história! Garanto que este padre não presta todo este conforto para vítimas da violência e pedofilia! Padreco Vermelho, no mínimo!

Anônimo disse...

ACHO QUE ESTE PADRE QUERIA OUTRO APOIO DO REITOR!

Anônimo disse...

É também por conta desses padrecos de passeata, verdadeiros santorrões de sacristia, que a "Ingreja Castólica" está perdendo apoio e fiéis no país. Inclusive o meu que algum dia no passado acreditei nesses PilanTras, crápulas, pedófilos e PederasTas... Político e padre: tem que matar tudo!!!

Anônimo disse...

Tenham paciência! A PF não prende ninguém sem motivo. Investiguem! Além do mais, não é função da polícia "dar apoio espiritual".

Anônimo disse...

AQUELES QUE DEFENDEM A PENA DE MORTE ESTÃO FELIZES!!!!!

Para eles, bandido bom é bandido morto!

Ficaram felizes e satisfeitos quando o reitor se matou!

Anônimo disse...

Auxílio espiritual ao preso ?

Olha, que PF e MP investiguem que tem muito mais coisa aí.

Anônimo disse...

Pastoral Carcerária e padres "socialistas" protetores dos frascos e comprimidos seus companbeiros...

Pilincho disse...

MPF de Florianópolis tem o dever de iniciar uma investigação sobre esse padreco vermelho. Acusações graves e com nítido viés ideológico marxista. Joga as autoridades contra o povo, repetindo a cantilena comunista do "nós contra elles".

Anônimo disse...

Se o auxílio era para ser 'espiritual' por tinha que ser presencial ?

Tão é se enrrolando cada vez mais.

Anônimo disse...

Esse padreco perdeu a chance de calar, uma vez mais, sua bocarra. Vá reaprender a rezar missa, que pelo visto não sabem mais... Sempre foram mancomunados com o PT!

Magno disse...

N-E-C-R-Ó-F-A-G-O-S-!-!-!

Anônimo disse...

Por isso, o sacerdote deve ser exclusivamente um homem de Deus e repelir a idéia de brilhar em campos onde os demais cristãos não precisam dele. O sacerdote não é um psicólogo, nem um sociólogo, nem um antropólogo: é outro Cristo, o próprio Cristo, para cuidar das almas de seus irmãos. Seria triste que o sacerdote, baseando-se numa ciência humana - que, se se dedica à sua tarefa sacerdotal, cultivará somente como amador e aprendiz -, se julgasse só por isso habilitado a pontificar em teologia dogmática ou moral. A única coisa que faria seria demonstrar uma dupla ignorância - na ciência humana e na ciência teológica -, mesmo que pelo seu ar superficial de sábio conseguisse enganar alguns leitores ou ouvintes indefesos.(joseMaria)

Anônimo disse...

E será que o reitor de matou mesmo? Ou será que ele tinha um "encontro" no shopping e atiraram ele para baixo. Tem alguma camera de segurança que filmou isso? Alguma testemunha?

Anônimo disse...

Padre conta outra mentira. COMUNISTA "APOIO ESPIRITUAL" ATEU PEDINDO APOIO DE PADRE SÓ PODE SER PIADA.

Anônimo disse...

Tem-se a impressão que querem a todo custo barrar as investigações e que de forma alguma se ampliem para outros estados.

Anônimo disse...

Será que a PF e o MP descobriram mais um 'filão' de corrupção no créditos educativos ?

Anônimo disse...

Esse padreco deve ter muito a contar.O reitor foi suicidado porque sabia demais,e provavelmente a "parochia" era na verdade uma lavanderia.Tanbém é interessante conferir se esse santo do pau oco é membro da pastoral da terra,junto com leonardo boff e roque grazziotin,já que o frei beto fugiu para cuba.Esse entrelaçamento da igreja católica com as quadrilhas da esquerda está estampado na cara do papa,que é um comunista declarado e escancarado.A PF esta certa,não tem que estar massageando o ego de vagabundo ladrão.No momento em que o sujeito é flagrado no delito e é preso,ali ele perde seus direitos de cidadão,ou seja deixa de fazer parte da sociedade produtiva e passa a ser a escória.

Anônimo disse...

Esta história já encheu o saco.

Anônimo disse...

Apoio espiritual.Bobagem.Tudo está na mente.A mente do cara fritou,entrou em parafuso e se atirou pra morte.Assim como existe os políticos principalmente do PT se aproveitando para tirar proveito em casos de invasão de terras,prédios,existe os chamados sacerdotes.

Anônimo disse...

SC é o lugar que a teologia da libertação, pastoral da terra e outros movimentos de base da igreja Católica de corte marxista se desenvolveram com mais vigor. Nao seria surpresa encontrar Padres a serviço da maior organização criminosa que saqueou o Brasil.

Anônimo disse...

eh o q dá dar líder ora funcionariozinhos públicos concurso iria e sem lastro intelectual...a semente do estado fascista

Anônimo disse...

DELEGADO E EX-REPRESENTANTE DA INTERPOL APONTA ABUSOS NO CASO DO REITOR

Quem matou o reitor foi quem concorreu para a degradação pública de sua história. A vítima não teve direito à subjetividade da amargura, nem à dor com a qual não conseguiu viver. A imprensa jogou sal na subjetividade de uma ferida idiossincrásica. Coisas do limite humano! E agora, cumpre perguntar: quem promoveu a degradação pública de pessoas, destruiu biografias - inspirado numa série de outras similares? Que juiz para proferir uma sentença, ora assume papel de acusador, ora de palestrante formador de opinião pública?, questiona Armando Rodrigues Neto, delegado aposentado da PF
9 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 07:42 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

Os deuses mandam flores à família de seus mortos:

FERNANDO BRITO · 09/10/2017 - O Tijolaço

Velorio (1)

É dolorosamente cínica a nota que as associações de policiais, procuradores e juízes federais divulgaram ontem, através da Folha.

Cumprida a formalidade burocrática de apresentarem pêsames e dizer – caponianamente – que “se solidarizam com sua família nesse momento de dor” dizem que “vêm a público repudiar afirmações de eventuais exageros” na operação que levou à prisão e à morte do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier.

E por que não houve “eventuais exageros”?

Houve investigação dos procedimentos adotados? Não

Houve reavaliação sobre o ato de prender alguém sem ouvi-lo, pela simples alegação de uma ou duas pessoas de que ele “não queria” investigar supostos problemas que teriam ocorrido, inclusive, fora de sua gestão? Não

Algum tipo de reflexão sobre o significado de levar à cadeia um reitor já pelos seus 60 anos, tirar-lhe as roupas, penetrar-lhe as intimidades? Não.

Sabe por que delegados, promotores e juízes federais podem garantir que não houve “eventuais exageros” no episódio?

Porque, para eles, as corporações de deuses da lei, não há limites e, portanto, não há exageros.

“Os integrantes das respectivas carreiras, não apenas na referida operação, como também no exercício de suas demais atribuições funcionais, norteiam-se pelos princípios da impessoalidade e da transparência, atuando de forma técnica e com base na lei.”

E o que o garante? Ora, eles próprios e, por isso, nem é preciso investigar e reavaliar. La garantia somos nosotros, los dioses.

Criticar-se erros policiais e judiciais agora é fazer aquela coisa sórdida, a política: “uma tragédia pessoal não deveria ser utilizada para manipular a opinião pública”.

Que manipulação, doutores? Um ou outro colunista de jornal reclamando?

Porque a grande mídia manteve quase completo silêncio e, ao contrário, participou da história de que o homem agora morto tinha desviado dinheiro num tempo em que nem dirigente da Universidade era.

Sublimes, do seu Olimpo, dizem: “as autoridades públicas em questão, em respeito ao investigado e a sua família, recusam-se a participar de um debate nessas condições”.

Quais são as condições que “podem”? Aqueles em que vocês estão sempre certos e o resto “não vem ao caso”?

Vocês deixaram, faz tempo, de representar a lei e a Justiça. Representam, agora, a arrogância, a desumanidade e a soberba autoritária.

Deveriam, a esta hora, estar pedindo e colaborando para esclarecer a tragédia da morte de um homem.

Mas se não são capazes disso, fiquem quietos e não produzam tal cinismo.

Respeitem, ao menos, a família do morto e seus amigos.

Anônimo disse...

Requião batiza com nome de reitor da UFSC lei de abuso de autoridade:

9 outubro 2017 - Blog do esmael

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), em homenagem póstuma, batizou com o nome do reitor Luiz Carlos Cancellier a lei que pune o abuso de autoridade.

“Deus meu, que a morte do reitor Cancellier seja o freio das arbitrariedades e do excesso das corporações que agem à margem da lei. Amém!”, afirmou nesta segunda-feira (9) o senador peemedebista.
Requião disse que saudou o início e resultados da lava jato com entusiasmo, mas disse não pode aceitar a seletividade e o arbítrio que tomou a força-tarefa em seguida.

“Vejo com horror declaração pública de corporações a favor da estúpida repressão ao reitor Cancellier”, criticou o parlamentar ao referir-se à nota conjunta de procuradores defendendo a ação da PF.

“Lei Cancellier contra abuso de autoridade. Vota Câmara Federal!”, pede o senador Roberto Requião, que relatou o projeto já aprovado pelo Senado.
A revolta contra o abuso de autoridade tomou o país quando, também, veio à tona que a PF negou apoio espiritual de padres ao reitor antes do suicídio.

De acordo com o padre William Barbosa Vianna, ele e outro religioso foram impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, que foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial.

O ministro do STF Gilmar Mendes disse que a morte de Cancellier serve de alerta sobre as consequências de eventual abuso de poder parte de autoridades. “O sistema de justiça precisa de extremo cuidado para que excessos não sejam cometidos. Estamos lidando com a vida e a dignidade das pessoas”, escreveu em seu Twitter.

“Não estou antecipando responsabilização, mas o caso demonstra que, algumas vezes, sanções vexatórias são impostas sem investigações concluídas”, acrescentou o ministro.

Tramitando na Câmara desde o dia 10 de maio último, o Projeto de Lei 7596/17, do Senado, define os crimes de abuso de autoridade cometidos por servidores públicos e membros dos três poderes da República, do Ministério Público, dos tribunais e conselhos de contas e das Forças Armadas.

Flavio Dimas Franzoi disse...

ONDE JÁ SE VIU QUER DIZER QUE A POLICIA FEDERAL TEM QUE TAMBÉM TRATAR DA CONSEQUÊNCIA PSICOLÓGICA DA DELINQUÊNCIA DE CRIMINOSOS, ONDE JÁ SE VIU ISTO, LADRÃO, MAU CARÁTER TEM QUE SER TRATADO COMO DOENTE MENTAL, SÓ NO BRASIL MESMO !!!! VÃO CATAR COQUINHO !!!

Emmanuel Carlos disse...

No discurso do finado - evidentemente, antes da defunção - não se viu lampejo de arrependimento, e tão somente o desalento em ter sido apanhado.
De mais a mais ... que negócio é esse do padre dizer que o elemento foi "algemado nu"? O clérigo mesmo afirma que não viu o então presidiário de único dia...
Ai ai ai .... isso tem jeito de ladainha .... para proteger mais gente.

Anônimo disse...

O ex-Reitor pode ter sofrido algum tipo de violência durante as 24 horas em que esteve detido. A Corregedoria da Polícia poderá apurar o fato e , se confirmado, punir os responsáveis. O que não se entende é o SUICIDIO, que é um ato de EXTREMO DESESPERO, de pessoa mentalmente confusa, vulnerável e fragilizada.!!! Tia Glória.

Anônimo disse...

Esse padre deveria dar exemplo, ação, se recolher num mosteiro e rezar 24 horas por dia em intenção ao falecido.É nelhor que pregar em missa.O brasileiro está farto de lero lero, mimimi e pouca ação.

Anônimo disse...

Sou Católico mas sei separar o joio do trigo, esse padre deve estar mais para joio, não ajuda nada.

Anônimo disse...

Primeiro não se da apoio espiritual a um comunista ateu, sou católico e os sacerdotes deviam preocupar-se com o seu rebanho e cuidar da igreja somente porque a messe é grande, pois serão cobrados depois pelo grande juiz Nosso senhor jesus cristo.

Anônimo disse...

Caro Anonimo das 11:36
"respeitem ao menos a família do morto..." Vou te dizer uma coisa...no caso deste moribundo ser culpado..o que acredito que sim..mas não vem ao caso...Geralmente a Familia sabe muito bem de inde vêm o dinheiro da gastança do pai..do marido...e acha tudo muito certo pois está pagando as idas a Disney..as viagens de 1* classe pra Europa..etc....e Não respeita nen um pouco os pobres coitados que estão morrendo na frente dis hospitais por falta de atendimento ...devido ao roubo de Gentalha como este cidadão que se matou...Então Anonimo...Cinico é você...Vai pra puta que te pariu com essa conversinha.

Anônimo disse...

Este REITOR abriu as porteiras para o enxame de REITORADA COMUNISTA/PETRALHA seguirem e seu caminho.

Anônimo disse...

Eu pouco soube de que inocentes se matam para provar que não fizeram nada! Conta pra outro.

Anônimo disse...

"QUEIMARAM O ARQUIVO REITOR?"

SABIA MUITO, SABIA DEMAIS? ERA PRECISO CALAR O RFEITOR COMO CELSO DANIEL,SEUS DEZ AMIGOS E OUTROS TANTOS "APAGADOS" PELA CUMPANHEIRADA...E VÃO SE INDO, COMO FOI UTIL A MKORTE DE LETICIA PARA O LULA, A COMEÇAR PELO COMICIO QUE ELE FEZ NO VELORIO E DO VELORIO.

UMA VERGONHEIRA NUNCADANTES VISTA

O REITOR SABIA E IA ENTREGAR ENTÃO QUE SOLUÇÃO MELHOR?

VÃO SUICIDAR MAIS CUMPANHEIROS, É SÓ ESPERAR.

Anônimo disse...

Teríamos uma epidemia de suicídios no Brasil se todo brasileiro que fosse preso (justa ou injustamente), denunciado e submetido a medidas cautelares, ignorasse o direito de se defender judicialmente e resolvesse tirar a própria vida. Além disso, acho muito estranho que ainda não tenham aparecido imagens de câmeras do Shopping, locais bem monitorados, mostrando os últimos passos do reitor.

Jaime Carvalho disse...

Por acaso Esquerdista acredita em Deus.

Anônimo disse...

Já era grave, aliás a grande mídia ao esconder o fato só comprovou a gravidade, mas agora passa a ser sórdido.

Providências....? Inqueritos....? afastamento que seriam obrigatórios para a apuração....? Esqueçamos.

Anônimo disse...

"Sabe por que delegados, promotores e juízes federais podem garantir que não houve 'eventuais exageros' no episódio?

Porque, para eles, as corporações de deuses da lei, não há limites e, portanto, não há exageros."

E é também aquela história de que pimenta nos olhos dos outros é refresco.

Quando acontecem arbitrariedades com esses caras, eles logo clamam pelo "Estado de Direito". Tanto que, se não me engano, o advogado Kakay, afirmou que esses delegados, procuradores e juízes quando se enrolam com a lei e com a mídia vão correndo, desesperadamente, procurar um advogado e penam para fazer a própria defesa.

Anônimo disse...

Se já não estivéssemos tão desiludidos com a tal justiça brasileira, juraríamos que o Reitor LUIZ CARLOS CONCELLIER OLIVO, foi vítima de alguma facção do crime organizado. Até apoio religioso lhe foi negado por quatros vezes, todos esses horrores são inconcebíveis em se tratando de representantes da justiça, mas próprios de justiceiros.

Anônimo disse...

É a republiqueta de Curitiba fazendo escola, enquanto a vaca de presépio chamada de STF dorme em berço esplêndido.

Anônimo disse...

A canalhice e desfaçatez destas otoridades são indescritíveis. Com esta nota, agiram como Guilherme de Pádua, o assassino de Daniela Perez: compareceu ao velório e confortou os familiares da vítima.

Anônimo disse...

Impediram que o Reitor recebesse assistência Religiosa. Tortura é crime hediondo. Sem julgamento, torturadores continuarão saindo do esgoto. https://www.revistaforum.com.br/.../padres-denunciam-que.../

Anônimo disse...

A generalização é perigosa. Há pessoal muito bom, honesto, digno e trabalhador em todos estes serviços, seria o mesmo que dizer que todos os atores da política (os políticos) são corruptos. O que nos deixa pasmo é a falta de atuação ou a extrema lerdeza de eventuais corregedorias ou equivalentes e, conforme aquele ditado de Werner: “quem comigo anda comigo se parece”? Se existem os bons e eles não fazem nada é porque se parecem com os demais.

Anônimo disse...

Estaríamos falando de um serpentário, uma das faces do fascismo no Brasil atual?

Operadores da justiça atuando como justiceiros, não tendo que se reportar a ninguém a não ser a si mesmos e à uma mídia interessada que os estimula e protege – e, quando necessário, lhes dá instruções, aprovações ou limites (vide o caso da bravata, seguida de desistência, dos procuradores da Lava Jato em relação à Mossack Fonseca).

Anônimo disse...

Isso mostra bem o desastre a que chegamos. Deuses imbecís e arrogantes.
Pelo menos que se faça uma apuração mínima, que é obrigação.
A acusação é gravissima, tornada falsamente nula pela ação silenciosa da imprensa, e merece o afastamento da juiza e da delegada. Ou prender quem nem é suspeito pode, mas afastar autoridades que cometeram ilegalidade e violência, não?

Anônimo disse...

REQUIÃO BATIZA COM NOME DE REITOR DA UFSC LEI CONTRA ABUSO DE AUTORIDADE
Reprodução | Divulgação
O senador Roberto Requião (PMDB-PR), em homenagem póstuma, batizou com o nome do reitor Luiz Carlos Cancellier a lei que pune o abuso de autoridade. Requião disse ainda que saudou o início e resultados da lava jato com entusiasmo, mas disse não pode aceitar a seletividade e o arbítrio que tomou a força-tarefa em seguida. “Vejo com horror declaração pública de corporações a favor da estúpida repressão ao reitor Cancellier”, criticou o parlamentar ao referir-se à nota conjunta de procuradores defendendo a ação da PF. “Lei Cancellier contra abuso de autoridade. Vota Câmara Federal!”, pede o senador Roberto Requião, que relatou o projeto já aprovado pelo Senado
9 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 11:09 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

Entenderam agora porque ninguém mais acredita em religião?

Anônimo disse...

Se matar é prova de inocência????

Anônimo disse...

Estão é se cagando de medo que a Polícia Federal coloque abaixo os esquemas milionários e desvio de dinheiro público que montaram nas Universidades Federais durante o reinado dos petralhas. Vai faltar cadeia para tanto "inocente".

Adroaldo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Na verdade, toda esta celeuma tem uma só finalidade, desmoralizar as instituições que estão combatendo a corrupção. Ou seja, Lula e o PT são inocentes.

Anônimo disse...

TCU ESCONDE FARRA DAS VIAGENS COM ATOS SECRETOS

Brasil 09.10.17 14:42 - O Antagonista

O Antagonista apurou que ministros do TCU adotam atos secretos para esconder o quanto recebem em diárias e, assim, descumprir o determinado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

A LDO proíbe a compra de passagens em classe executiva ou primeira classe e limita as diárias nacionais a 700 reais. No entanto, os valores dos pagamentos de diárias nacionais ou internacionais dos ministros não são mais publicados em lugar nenhum. Antes constavam no boletim interno do tribunal, como os demais atos relativos aos servidores e procuradores.
O resultado é uma farra sem precedentes, mesmo para o histórico do TCU.

Como existem ministros-substitutos, os titulares só querem saber de viajar, de preferência para o exterior.

Com a farra correndo solta, tem até auditor procurando evento em Las Vegas e na Flórida.

Ninguém controla as contas do Tribunal de Contas da União.

Anônimo disse...

Merval Pereira foi o palestrante mais bem pago pelo Senac-RJ, suspeito de irregularidades que podem levá-lo à intervenção:

Kiko Nogueira - 9 out 2017 - DCM

Merval: R$ 25 mil por palestra para o Senac

A notícia é do Intercept.

Uma auditoria no Senac do Rio de Janeiro apontou diversas irregularidades na gestão de Orlando Diniz, amigo e ex-vizinho do ex-governador Sérgio Cabral, condenado na Lava Jato a 45 anos de prisão.

(A relação era muito boa. A governanta de Sérgio Cabral, Sônia Baptista contou em depoimento à Justiça Federal que os gastos pessoais do ex-governador que ficavam sob sua responsabilidade giravam em torno de R$ 120 mil a R$ 150 mil por mês. Sônia era lotada no Senac, mas não aparecia para trabalhar: “Era como se eu estivesse cedida”.)

O documento, diz o Intercept, está sendo analisado pelo Conselho Fiscal do Senac Nacional. Se tudo for comprovado, pode ser pedida intervenção na entidade.

O Senac já demitiu mais de mil pessoas entre janeiro e maio. No ano passado, o orçamento era de mais de 450 milhões de reais.

O dinheiro, escrevem os repórteres George Marques e Ruben Berta, é advindo de contribuições parafiscais, porcentagem obrigatória que as empresas têm que recolher em suas folhas de pagamento. Basicamente recursos públicos, portanto.

Não há transparência nos gastos, como manda a lei: “Não foram disponibilizadas, por exemplo, prestações de contas de dez contratos de patrocínio realizados em 2016, que somaram quase R$ 9 milhões, envolvendo as empresas Open Brasil, Backstage Empreendimentos, CE Produções e Eventos, Infoglobo (responsável pelos jornais ‘O Globo e ‘Extra’), além da Fundação Roberto Marinho”.

Um das principais fontes de custos era com palestras, especialmente de profissionais da Globo. Em 2016, R$ 2,979 milhões foram desembolsados para jornalistas, colunistas e comentaristas.

“Verificamos que a ligação dos prestadores de serviços com as Organizações Globo é uma das características singulares apresentadas com vistas a justificar a não observância do dever de licitar”, lê-se no relatório.

Quem mais lucrou com essas conferências foi Merval Pereira. Sua participação num colóquio chamado “Mapa do Comércio” valeu R$ 375 mil. Notas fiscais que o Intercept obteve mostram que Merval faturou R$ 25 mil por palestra — sem licitação.

O tema era “Perspectivas para o Brasil”, uma “análise prospectiva sobre o que o Governo Dilma pode fazer para evitar o impeachment no Congresso e avaliação do que seria um novo governo de união nacional com a derrubada da presidente e a chegada de Michel Temer”.

Merval é crítico contumaz das palestras de Lula. Em julho, defendeu que o ex-presidente “precisa explicar” a renda oriunda delas.

“Lula tinha toda condição de ser milionário, diante do preço que cobrava pelas palestras que diz ter feito a partir de 2010”, diz.

“A explicação fica complicada porque um dos diretores da Odebrecht afirmou ter sido preparado um esquema, com as palestras, para que o ex-presidente tivesse uma boa aposentadoria”.

Em abril, Merval lembrou que “os negócios pessoais de Lula se confundiam com as decisões do governo”.

Para Merval, as palestras serviam para compensar “os favores que Lula fez para a empreiteira [Odebrecht] nos anos em que foi presidente.”

Esse raciocínio vale para as organizações Globo, o Senac e o próprio Merval? O solerte colunista nunca soube de nada sobre seu contratante? Nunca lhe interessou saber?

Anônimo disse...

Quem disse que a pastoral carcerária vai nos presídios? Se fosse os crentes daria para acreditar.

Anônimo disse...

Eu fiquei feliz. Um corrupto a menos.

Um custo menor para o Estado que não precisou mante-lo preso.

Anônimo disse...

Quando o PT voltar ao governo o reitor vai virar nome de rua.

Eles querem um mártir para se sentirem coitadinhos.