Eis as medidas de ajuste e de aumento de impostos anunciadas esta noite pelo governo Temer

O governo vai propor ao Congresso elevar o teto para o rombo das contas públicas em 2017 e 2018, para R$ 159 bilhões.

Ao lado, o gráfico mostra a queda das receitas primárias em relação ao PIB.

O governo anunciou nesta esta noite uma série de medidas que visam a redução de custos, entre elas:

-  Adiamento, por um ano, do reajuste prometido a servidores a partir de janeiro de 2018.

-  Reestruturação das carreiras do Executivo, extinção de 60 mil cargos, limitação dos valores de auxílio moradia.

-  Reoneração das Folhas de Pagamento para todos as empresas que estavam fora da medida.

-  A instituição de teto salarial no serviço público, que não poderá ultrapassar os R$ 33,4 mil pagos a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

- Mudança na tributação sobre fundos de investimento fechados, que passarão a ser tributados anualmente, como já é feito com os fundos abertos.

-  Congelamento do benefício para exportadores no ano que vem, por meio do chamado Reintegra.

- Aumento da tributação sobre a folha de pagamentos, que já havia sido anunciada neste ano, mas que ainda não passou pelo Congresso Nacional. O governo espera reonerar o setor produtivo, e arrecadar R$ 4 bilhões a mais no ano que vem

Mudanças em tributos: 

Somente com a mudança em tributos, o governo espera arrecadar R$ 14,5 bilhões a mais no ano que vem.

12 comentários:

Anônimo disse...


Dá-lhe Temer!!!!

Anônimo disse...

Cortar gastos em primeiro lugar. Não é possível o trabalhador sustentar toda aquela multidão de pessoas nas repartições públicas em Brasília. E pior do que isso, com toda essa multidão de funcionários públicos ganhando salários altíssimos, conseguiram quebrar o Brasil. Muitos Municípios emancipados no Brasil não chegam ter 1/3 do pessoal do Planalto. É gente demais sustentada com o dinheiro público ( que não é público ) é do trabalhador. Vergonhoso

Anônimo disse...

Meireles Friboi Original é guloso ...

Alberto disse...

Aumento de impostos = especialidade do PMDB'osta'! E Padilha segue lá dando as cartas apesar das falcatruas, ou seja, são safados.

Anônimo disse...

Chegou a conta de 13 anos de desperdício e farra com dinheiro público praticada pelos "trabalhadores" !!

Anônimo disse...

Engraçado que a União tem sempre a maior fatia do bolo e tá sempre quebrada. Será que o problema não é a corrupção e os políticos metidos a gestores?

Anônimo disse...

Governo, que não existe no Brasil, tem como meta arrancar dinheiro do pagador de impostos sempre que a situação aperta, mas não sabe beneficiar da mesma forma, sem corrupção, os cidadãos com benfeitorias permanentes. Observa-se que 'bolsa' disso é daquilo não são benfeitorias mas trapaças para garantir votos para partidos afim de garantirem aos seus, sem terem alcançado votos necessários, ocuparen uma cadeira na boquinha do encosto governo

Anônimo disse...

Bendita crise.
Dessa forma,o governo está obrigado a meter a mão nessas benesses todas.
O dinheiro está aí,e não no bolso das aposentadorias mal administradas pelo governo.
Mexam nos altos auxílios-isso, auxílio-aquilo.
Os poderosos criaram janelas para fugir do teto salarial,e agora que encurtou a corda,o governo está "vendo"a falcatrua que antes fazia que "não via."
Deixem a classe média em paz.
Chega de sustentar vagabundo.
Bendita crise da Dilma.

Anônimo disse...

Parabens Temer, comecou a mexer em um vespeiro complicado, dos marajas do servico publico. O ultimo que tentou nao teve la muito sucesso....

Anônimo disse...

Temer enfrenta de pulso firme o que corrói as receitas com os nossos impostos.

Anônimo disse...

Dá-lhe Temer! Faço parte dos 5% que apóia ele.

Anônimo disse...

Boa ideia