Artigo, Reinaldo Azevedo - Fraudando a lei com a ajuda da mídia

A ilustração é do próprio blog do jornalista.

Referindo-se às omissões do próprio STF, afirma o ministro Gilmar Mende, STF:

Nós [Supremo] passamos a admitir que ele [o delator] autorizasse a divulgação prévia de depoimentos, violando a lei. Mas isso não é um direito renunciável por ele [delator]. É óbvio que não. Porque isso atinge o delatado. Mas nós passamos a permitir. Por que isso tem relevância? Porque é assim que se faz este modelo de envolvimento da mídia no contexto geral. Como se faz? Divulgando o vídeo, divulgando a delação, a seu bel-talante. E nós estamos chancelando isso. Notórios abusos. Violação clara da lei. Não se pode mais deixar que isso transite. É preciso dizer: “Chega! Basta! Já erramos demais!” Qual é o jogo? Pega-se o vídeo e joga no “Jornal Nacional”. E empodera-se o procurador. E nós vamos chancelar esse tipo de patifaria? Nós somos tolos? (…) Nós estamos dando curso a um projeto autoritário e totalitário. É isso que nós estamos permitindo. Seja por covardia, seja por medo, seja por não-percepção. Nós estamos permitindo isso. Combate ao crime, sim! Mas sem cometimento de crime! Isso é fundamental.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

12 comentários:

Carlos Mota disse...

JORNALECOS E JORNALISTAS DE 'M' AQUI NO "ESTADO MAIS POLITIZADO DO BRASIL":
Ontem durante toda a tarde, na frente da Usina do Gasômetro, mais de 600 pessoas, ordeira e civilizadamente(sem trancar o trânsito), posicionaram-se nos canteiros e nas calçadas pedindo a intervenção militar imediatamente no Brasil, para acabar com os ladrões de todos os partidos.
Tudo o que solicitavam, com faixas, cartazes, camisetas e sorrisos, era que os motoristas buzinassem se estivessem de acordo com o pedido da intervenção; mais de 70% buzinavam.
Fui procurar a notícia nos sites dos jornalecos e das chamadas rádio noticiosas daqui, mas nada encontrei. Tinha até noticia de uma baleia que atacou um navio(na Austrália) e de meia dúzia de comunistas safados na Avenida Paulista, SP e muuuiiitoooo futebol. Da manifestação em Porto Alegre, nem uma linha.
CAMBADA DE JORNALISTINHAS DE MERDA E INCOMPETENTES!!!!!

Anônimo disse...

mas quem é ra, quem é gm, por favor.

Anônimo disse...

gm gilmar mendes é um dos protetores dos bandidos, com poder para libertar os corruptos, ladrões do povo, protetor de bandido. Ja tirou da cadeira joao vacari neto, ze dirceu entre outros bandidos, com o nosso consentimento porque estamos apenas achando ruim e reclamando mas nao estamos fazendo nada para impedir.

Anônimo disse...

Há um princípio constitucional chamado de publicidade.
É ele que justifica a ampla divulgação das falcatruas em geral.
E não há nada de errado com tal princípio e sua aplicação.

Anônimo disse...

Falou e disse.
Não é só no RS, não.
O Brasil é um merdeiro a céu aberto.

Anônimo disse...

GM é um bandidaço de toga

Mordaz disse...

Agora Reinaldo Azevedo luta para destruir a lava jato. O trabalho era para atingir Lula. Agora é a hora de destruí-la. Nem que para isto se tenha que associar ao Gilmar Mendes, o mais vergonhoso ministro do STF. Desde quando Gilmar Mendes quer justiça? Este é a nossa reserva moral da nação que desmoralizou o TSE?

Anônimo disse...

MP ACUSA JUSTIÇA DE BLINDAR OPERADOR DE SERRA:

O Ministério Público Federal diz que o Ministério da Justiça está travando, desde outubro do ano passado, a criação de uma força-tarefa entre Brasil e Espanha para investigar suspeitas de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a empresa de capital misto espanhola Defex; a Espanha pediu a criação de uma equipe de trabalho conjunta para apurar um repasse de 7 milhões da Defex para empresas de Gregório Marin Preciado, apontado como operador de José Serra; Preciado é casado com uma prima de Serra; o pedido de criação do grupo conjunto não teve andamento no Ministério da Justiça nas gestões de Alexandre de Moraes, Osmar Serraglio e de Torquato Jardim.

7 DE AGOSTO DE 2017

247 - O Ministério da Justiça trava desde outubro do ano passado a criação de uma força-tarefa entre Brasil e Espanha para investigar suspeitas de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a empresa de capital misto espanhola Defex. A Espanha pediu a criação de uma equipe de trabalho conjunta para apurar um repasse de 7 milhões da Defex para empresas de Gregório Marin Preciado, entre elas a Iberbrás.

A Iberbrás apareceu na Lava Jato por causa da refinaria de Pasadena. Segundo o delator Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, por meio de um contrato fraudulento com a Astra Oil, a Iberbrás escoou propina de US$ 15 milhões destinada ao pagamento de vantagens indevidas a funcionários da Diretoria Internacional e de Abastecimento da Petrobrás.

Em 22 de junho deste ano, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou um ofício ao ministro da Justiça, Torquato Jardim, cobrando uma posição sobre o pedido de formação da equipe conjunta de investigação. No documento sigiloso, ao qual o Estado teve acesso, o procurador afirmou que houve uma discussão em outubro do ano passado sobre o tema, mas o governo não encaminhou “mais qualquer informação” para formar o grupo conjunto. O pedido de criação do grupo não teve andamento no Ministério da Justiça nas gestões de Alexandre de Moraes, Osmar Serraglio e de Torquato.

O Estado apurou que na época do pedido espanhol, Janot comunicou o Michel Temer sobre o caso. A Procuradoria queria evitar que as informações chegassem ao Ministério das Relações Exteriores, chefiado à época por José Serra, uma vez que a investigação esbarra em informações sobre o empresário, que é próximo ao tucano. Preciado é casado com uma prima de Serra.

As informações são de reportagem de Fábio Serapião e Beatriz Bulla no Estado de S.Paulo.

PS: Nos governos do PT, lula e dilma isso era "obstrução da justiça",com capa dos Jornalões, 15 minutos no JN, panelaço e comoventes manifestações contra a corrupção na Paulista, no Parco e demais capitais. Agora é uma noticinha nos jornais e na internet. Por menos que isso lula foi impedido de assumir um Ministério por um juiz de plantão. Tropa da vagabundos.....

Anônimo disse...

Janot sobre Temer: “O bandido que se esconde atrás do manto político não é político, é bandido”:

7 de agosto de 2017 - DCM

A Folha entrevistou Rodrigo Janot:

Folha – Os bambus acabaram? Ainda restam flechas?
Rodrigo Janot – Restam flechas. A gente não faz uma investigação querendo prazo e pessoas. As investigações vão ficando maduras até que se possa chegar ao final. E várias estão bem no finalzinho. Eu diria que tem flecha.

Quais são?
A surpresa você vai deixar para mim, né?

Não foi um pouco de soberba ter falado em flecha (em um evento recente)?
Isso é brincadeira que a gente faz internamente desde a época do Cláudio Fonteles [2003-2005]. A gente dizia que temos que trabalhar, e a expressão dizia isso, enquanto houver bambu, lá vai flecha. Não é soberba nenhuma.

A Câmara barrou a denúncia por corrupção contra Temer. É frustrante ver o trabalho ser enterrado?
A Câmara não barrou a denúncia. A Câmara faz um julgamento político de conveniência sobre a época do processamento penal do presidente. Fiz meu papel, cada instituição tem que fazer o seu. A Câmara entendeu que não era convenientemente o momento para o processamento do presidente. Que a Câmara agora arque com as consequências. Agora, a denúncia continua íntegra, em suspenso esperando o final do mandato. Acabou o mandato, a denúncia volta e ele (Temer) será processado por esses fatos que estão ali imputados, que são gravíssimos.

Como fica a situação do ex-deputado Rocha Loures?
Vou pedir a cisão do processo, sim, e ele vai responder esses fatos.

A denúncia descreve roteiro plausível de crime de corrupção, mas não aponta que a mala de R$ 500 mil recebida por Loures da JBS foi para Temer. O sr. acha que a falta dessa ligação ajudou a segurar a denúncia?
Temos de entender que o crime de corrupção não precisa de você receber o dinheiro, é aceitar ou designar a proposta. Receber o dinheiro é a chapada do crime de corrupção. Se a gente não vive um país de carochinha, uma pessoa que designa um laranja para acertar acordo ilícito, que acerta a propina e recebe a mala, vou exigir que a pessoa que designou o laranja receba pessoalmente o dinheiro? Jamais alguém vai comprovar.

Mas existe a possibilidade de o Loures ter feito o acordo sem que o presidente soubesse, não?
É admitido como possibilidade, vamos ouvir o Loures. Ele é designado como o meu (Temer) homem de confiança para tratar por mim todos os assuntos, trata a corrupção e depois a recebe. Se isso acontecesse com qualquer pessoa, acho muito difícil qualquer um de nós ter um outro juízo que não fosse “esse sujeito que foi designado como laranja recebeu o dinheiro para aquela pessoa”. Como é que eu, de antemão, vou separar isso? Não tem como. Nesse caso específico, tínhamos réu preso. Em se tratando disso, o inquérito tem que ser concluído em dez dias e a denúncia tem que ser oferecida em cinco.

Mas é consequência de a PGR ter pedido a prisão. Se não pedisse, haveria mais tempo para investigar.
E deixo que o crime continue sendo praticado? Na esperança de que esse dinheiro vá chegar às mãos do presidente? Não somos ingênuos. Vocês acreditam que essa mala chegaria às mãos do presidente? Que o Loures entregaria a mala? “Olha, presidente, vim trazer a sua malinha.” O dinheiro seria repassado de outra forma. Todas as investigações que fizemos mostram que uma organização criminosa atua de maneira profissional, não infantil.

Como então o dinheiro chegaria ao Temer?
Ou para pagamento de alguma campanha, ou para uma conta, ou para pagamento de despesas em ‘cash’. Como se apura despesas em ‘cash’? Não apura.

A segunda denúncia contra Temer será só por obstrução da Justiça?
Não sei. Nós temos duas investigações: obstrução e organização criminosa.

(…)

PS: Parece que, ao contrario do que o editor vaticinava, vem mais flexa contra o Traíra.

Anônimo disse...

Depois do Fantástico, o Coronel Lima vai preso? Veja a reportagem desta noite:

FERNANDO BRITO · 06/08/2017 - O Tijolsço

Todas as informações da reportagem do Fantástico sobre o coronel João Batista Lima, o “amigão” de Michel Temer, a rigor, já tinham sido veiculadas nos blogs e em uma ou outra matéria de grandes jornais.

Mas, desta vez, as suspeitas dos contratos de Lima com o governo de São Paulo e com a construção da usina de Angra 3 foram para o fantástico e, neste país onde a Globo tem o quase monopólio da informação e a capacidade de reger o restante da imprensa comercial, isso adquire um peso que vai além do que podemos fazer aqui, pela internet e pelas redes sociais.

Denota, também, que o império Globo não parou de lançar seus ataques e que, por isso, a situação de um Temer desafiador não lhe é aceitável.

Assista a reportagem do Fantástico.(...)

PS: Cadê os coxinhas batendo panelas e dizendo não à corrupção? Cadê? Cadê ? Cadê os patriotas que se vestiam de verde e amarelo, pintavam o rosto? Não era contra a corrupção que esses canalhas protestavam, era contra a ascensão dos pobres, o protesto dos coxinhas era contra o Brasil que estava a caminho do desenvolvimento, e não me venham o discursinho de que o PT é culpado do caos que aí está pq não cola mais, os rombos bilionários foram gerados para pagar o golpe, e agora faz-se outros rombos nas contas para manter um governo que não trabalha, um governo que vive para manter-se no poder, pq o dia que este mandato acabar, o Drácula vai para o xadrez.

Anônimo disse...

Agnaldo Timóteo: ‘Eu sou Lula Futebol Clube’:

7 de agosto de 2017 - Blog do esmael

O cantor e ex-vereador Agnaldo Timóteo anunciou nesta segunda-feira (7) que trocará o PMDB pelo PT para defender o ex-presidente Lula da perseguição do juiz Sérgio Moro.

“Eu quero ir para o PT como soldado do Lula. Eu não sou PT, eu sou Lula Futebol Clube”, declarou.

O cantor disse que disputará uma cadeira de deputado federal ou por Minas Gerais ou por São Paulo para apoiar Lula no Congresso Nacional.

Timóteo já foi vereador pelo PP de São Paulo e, em 2016, concorreu sem sucesso à Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo PMDB.

PS: Tomaaaaaaaaaaa Diretalhaaaaa

Anônimo disse...

Comentários de quem não entende como funciona uma democracia. O Brasil não tem solução com sujeitos tipo o Mordaz.