Sem votos, Piratini recua de novo sobre projetos polêmicos de ajuste fiscal

Sem garantia de votos para aprovar as propostas que preveem a limitação na cedência de servidores a sindicatos, a desestatização, a proposta de plebiscito e a desobrigação do pagamento dos salários no último dia útil do mês, o governo pediu e os líderes de bancadas atenderam a retirada dos projetos e  PECs da pauta nesta terça-feira, dia 11.

A maioria dos deputados não concorda sequer em acabar com a escandalosa cessão dos 320 servidores públicos para sindicatos esquerdistas, onde recebem R$ 40 milhões por ano do Estado.

O Piratini preferiu deixar a votação desses projetos para depois do recesso, que começará nesta quinta-feira.

3 comentários:

Anônimo disse...

DEPOIS TEM MUITO BABACA QUE VAI CULPAR O GOVERNADOR....PORQUE NÃO VENDEU OU PRIVATIZOU ESTATAIS E FUNDAÇÕES QUE SERVEM UNICAMENTE DE CABIDES....PORQUE O ESTADO ESTA FALIDO.....

OS CULPADOS...DEPUTADOS,NOSSA ASSEMBLÉIA...UMA VERGONHA....

elias disse...

Eu se fosse o sartori mandava tudo à merda. e ficava curtindo o cargo até o final, viajando às custas dos babacas do povo mais politizado das galáxias e seus representantes brilhantissimos. O jardel ainda vota?
Injustiça total. era o cara que mais representava esse povo lixo.

Renata disse...

VENDER AS ESTATAIS NÃO RESOLVE O PROBLEMA SE VENDEREM SERÁ PIOR A DÍVIDA VAI AUMENTAR E NÃO TERÃO MAIS O QUE VENDER E O PRÓXIMO GOVERNADOR É QUE VAI SOFRER,E QUEM LUCRA É O ESTRANGEIRO E OS PRÓPRIOS POLÍTICOS QUE NÃO SÃO DONOS DAS ESTATAIS E A PASSADA DELES É MUITO POUCO PELO GOVERNO.E QUEM PERDE SOMOS NÓS COM AUMENTO DAQUI E OUTRO ALI.