Renato Duque, diretor da Petrobrás indicado pelo PT, delata Lula: "Ele era o pai da corrupçãp"

O ex-diretor da Petrobras Renato Duque, PT, passou por novo interrogatório conduzido pelo juiz Sergio Moro nesta quarta-feira. A sessão foi um pedido de sua defesa, sob a alegação que Duque deseja fazer delação premiada.

Esta é a primeira vez que um alto dirigente do PT resolve delatar.

Duque afirmou que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto começou a operar propinas para o Partido antes mesmo de assumir o cargo, em 2010. E que comandava o esquema a mando do então presidente Lula. 

Noutro momento da delação, Renato Duque admitiu que o PT recebeu parte da propina das obras do Cenpes, o centro de pesquisas da Petrobras, no Rio. Segundo o ex-diretor da estatal, o dinheiro foi repassado a Paulo Ferreira, ex-tesoureiro que pediu hoje para ser reinterrogado por Moro no mesmo processo.