Artigo, Maria Lucia Victor Barbosa - Os tiranos também morrem

Em 1959, ano em que Fidel Alejandro Castro Ruz e seus barbudos derrubaram a ditadura corrupta de Fulgencio Batista, começou o grande amor da esquerda latino-americana pelo líder revolucionário, paixão que continua até hoje apesar de Castro ter se tornado, como bem definiu o presidente norte-americano recém-eleito, Donald Trump, “um ditador brutal de uma ilha totalitária”.

Inicialmente a retórica de Castro parecia ser a de um democrata e no seu documento, A História me Absolverá (1953), o jornalista Ruy Mesquita relatou não haver encontrado “nenhum traço de marxismo, de comunismo ou de esquerdismo”. 

Entretanto, Fidel declarou mais tarde que sempre fora marxista-leninista e que a falsa imagem de democrata foi usada apenas para não assustar. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Sim, o editor também vai morrer um dia. Todos nós vamos morrer um dia.

Anônimo disse...

Traidores e mentirosos é a marca.

Anônimo disse...

AGU havia se manifestado a favor do Iphan no caso Geddel:

QUI, 01/12/2016

Jornal GGN - Antes de Michel Temer sugerir uma consulta à Advocacia-Geral da União, o órgão já havia se manifestado a favor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no caso do empreendimento La Vue, em Salvador (BA).

O prédio está no centro da crise que fez Marcelo Calero (Cultura) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) saírem do governo. Calero acusou Geddel de pressioná-lo para interferir na liberação da construção do La Vue, onde o ex-secretário de governo tem um apartamento.

Calero também disse que Temer sugeriu que envolvesse a AGU para solucionar esta questão. De acordo com a BBC Brasil, a AGU já havia se manifestado a favor da decisão do Iphan de barrar do edifício de 30 andares na área histórica do Salvador antes da sugestão do presidente.

Leia a reportagem abaixo:

Da BBC Brasil

Caso Geddel: AGU já havia se manifestado a favor do Iphan antes de Temer sugerir consulta

A Advocacia-Geral da União (AGU) já se manifestou a favor da manutenção da decisão do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) de derrubar autorização para construção de um edifício de 30 andares em área histórica de Salvador, o empreendimento La Vue.

O entendimento foi apresentado por meio de um parecer datado de 9 de novembro da procuradoria do Iphan, instância que representa a AGU no órgão. A BBC Brasil teve acesso ao documento, que inclusive tem o timbre da Advocacia-Geral da União.

Quatro funcionários de carreira da AGU ouvidos pela BBC Brasil disseram que uma revisão dessa manifestação nas atuais condições do processo fugiria aos trâmites normais do órgão.

Após esse parecer, a presidência do Iphan tomou, no dia 16 de novembro, decisão definitiva determinando que o prédio deveria ter no máximo 13 andares, para não prejudicar a visibilidade de locais históricos.

A AGU foi trazida para o centro da crise que já derrubou dois ministros - Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Marcelo Calero (Cultura) - após o presidente Michel Temer reconhecer que sugeriu que o órgão fosse acionado para solucionar um suposto impasse jurídico evolvendo o empreendimento.

Geddel, amigo pessoal do presidente, tem um apartamento comprado na planta desse edifício e, segundo Calero, desde junho o pressionava a conseguir que o Iphan liberasse a obra.

De acordo com o ex-ministro da Cultura, ele reportou o caso a Temer pela primeira vez na noite do último dia 16. No dia seguinte, Temer o sugeriu que envolvesse a AGU na questão, pois o órgão daria uma solução ao assunto.

Ao ser questionado em coletiva no último domingo sobre essa conduta, Temer argumentou que havia um conflito administrativo entre o Iphan da Bahia, que havia previamente autorizado a obra, e o Iphan federal, que havia derrubado essa autorização.

Segundo outra manifestação do presidente, a AGU é o órgão competente para "identificar e propor soluções para as questões jurídicas relevantes existentes nos diversos órgãos da administração pública federal", de acordo com o decreto 7.392/2010.

Anônimo disse...

Esta mentira de FIDEL CASTRO está registrada em papel, em áudio e vídeo. Quando assumiu o poder, Fidel disse ser um Democrata. Mais tarde, quando se sentiu seguro, quando já havia feito uma grande " faxina" ideológica no país, quando já havia neutralizado a oposição politica cubana, através de fuzilamentos , prisões e expurgos, declarou- se um marxista-leninista, mostrando sua verdadeira face.!!!

Unknown disse...

Que arda no inferno, para desgosto da RBS, com meus pêsames a Satanás!!!

Anônimo disse...

Foi para o esgoto onde é seu lugar! Que o caPeTa o carregue para bem para o fundo dos infernos!