Ex-Miss Brasil, Fabiane Niclotti, 31 anos, foi encontrada morta em Gramado

Miss Brasil 2004, a gaúcha Fabiane Niclotti, foi encontrada morta na noite desta terça-feira em seu apartamento no bairro Bela Vista, em Gramado, na Serra do RS. Uma familiar acionou a Brigada Militar, que foi ao local onde ela morava. Os policiais militares localizaram o corpo deitado de bruços.

De acordo com o delegado Gustavo Barcelos, que comanda as investigações, o corpo não apresenta sinais de violência. O Instituto Geral de Perícias (IGP) foi acionado para apurar as circunstâncias da morte.

Um familiar disse para a polícia que Fabiane tinha crises de depressão.

Ela não era casada.

Natural de Gramado, Fabiane tinha 31 anos.

Fabiane Niclotti morava na cidade. 

9 comentários:

Vajra Prema disse...

O ato mais covarde é este. Estúpida!

Anônimo disse...

Conheci ela rapidamente, muito carismática, simples e sempre bela!

Depressão é doença grave, séria e não existe como julgar suas consequências. O inverno terrível da serra só PIORA. Ela deveria ter ido morar no litoral, no mínimo nessa época, combinava melhor com a personalidade amável dela...

Anônimo disse...

Meu Deus que desperdício. E a Dilma pedalando.

Anônimo disse...

discordo do(a) tal Vajra

pra tirar a própria é preciso muita coragem...

só quem o faz sabe os motivos...

a mente esta em completa desordem e monstros imaginários tomam conta dos pensamentos...

sei o que é isso...

que descanse em paz...

Anônimo disse...

Há séculos que esta máxima de suicídio é um ato contra Deus,a vida e blá blá blá..Está na hora de acabar com esta frescura.Se a pessoa decide dar cabo da vida,é problema dela.Não deixa de ser um ato inteligente.Não quer mais viver?Escolha da pessoa,somos livres.Da nossa vida,fazemos o que queremos.

Anônimo disse...

QUEM DÁ E TIRA A VIDA É DEUS, SE ELA TIVESSE BUSCADO A DEUS TERIA SUA VIDA PREENCHIDA, O VAZIO QUE TODO SER HUMANO TEM SÓ É PREENCHIDO PELA PRESENÇA DE DEUS- O SER HUMANO DOI CRIADO POR DEUS POR ISTO SENTE FALTA QUANDO ESTÁ DISTANTE DE SUA PRESENÇA= DE SEUS CRIADOR, PODEM ESPERNEAR E DISCORDAR- MAS É O QUE É E PONTO FINAL, NAO TO JULGANDO NIGUEM E NEM ELA, NAO SOU NINGUEM PRA JULGAR

Anônimo disse...

depressão é ter de morar no litoral...

sol no lombo o dia todo, engarrafamentos no verão, calor, suor...

mil vezes a Serra e o inverno...

Anônimo disse...

Temos que lastimar o que aconteceu com essa menina e pedir a Deus que dela agora. A lição que devemos tirar de situações tristes como essa é que devemos estar sempre atentos uns aos outros, principalmente àqueles que mais necessitam. Simplesmente dizer que a pessoa ao tirar a sua vida o problema é seu não passa de uma imoralidade. Sou também responsável pelo outro, principalmente por aqueles que me são caros.

Anônimo disse...

Viver em sociedade pressupõe a proteção recíproca, principalmente quanto ao maior bem que podemos ter: a vida.

Quando uma pessoa a perde, exceto pelas contingências naturais, devemos nos preocupar, sim, pela motivo. Assim fazendo nos precavemos quanto a igual ocorrência com os nossos entes queridos. Os que emitem opiniões de insensibilidade ou simples manifestação ateísta, creio, não refletiram com mais profundidade sobre como estariam se sentindo caso a foto de um filho estivesse naquele jornal.

Agora mesmo a TV inunda o espaço de informação com o caso recente da morte de um rapaz em SP, após perseguição policial. Dizem que há testemunhas de que o rapaz não atirou e de que uma arma foi colocada por um policial no veículo do moço.

Falarei da questão por outro ângulo, A preocupação da Imprensa é apenas a de massacrar os policiais militares, que penso devem ser pacientes de uma justa investigação e receberem as penas da lei, caso tenham cometido algum crime.

O fato a que me prendo são as declarações do pai e da mãe do rapaz. Um, contou que o filho já lhe dissera que não pararia em blitz alguma caso o mandassem parar, posto que o carro seria apreendido. Outro, disse que não sabia o motivo do filho ter morrido daquela forma.

Imagino a dor que é a perda de um filho, invertendo a ordem natural da vida em que os filhos enterram os pais; expressei esse sentimento acima. Entretanto, esse caso não foi o primeiro, nem será o último de uma série de ocorrências, policiais ou não, com o resultado morte no Brasil, país com uma absurda estatística de sessenta mil assassinatos ao ano.

Seja por um fator biológico ou cultural, os pais não deveriam orientar seus filhos para sobreviverem na realidade do meio em que vivem? É ruim ou errado desejar vida longa para os meus filhos e os dos outros também? Não é próprio da preservação da espécie humana?

Como pais conscientes da realidade da cidade em que vivem devem orientar um filho que lhes diz que não vai parar na blitz? O que dizer a um filho que vai sair com um automóvel que não está em dia com as obrigações legais com o Estado? O que dizer a um filho que já está com seis multas acumuladas e não pagas, segundo a Imprensa noticiou?

Na minha humilde opinião, independente do trágico desfecho, penso que a responsabilidade anterior dos pais deve servir de aprendizado para outros pais, caso não desejem um resultado semelhante para os seus próprios filhos. Refiro-me a evitar o mal, a prevenir, a não dar sorte para o azar, a tentar influenciar ou qualquer outra denominação que queiram dar. Prisão perpétua de PMs envolvidos não trará o rapaz de volta e, creio, nenhum pai gostaria de discutir em relação a si mesmo quem está com a razão.

Pelos motivos que citei, penso que os pais devem refletir sobre qual orientação estão dando aos seus filhos e as consequências de atitudes banalizadas em um primeiro momento, mas não adequadas à realidade em que vivemos. Vejamos algumas coisas que poderiam ser ditas:

Meu filho, se você envolver-se em um acidente, o carro será apreendido também; além do que, se você fugir, poderá ser preso por omissão de socorro.
Meu filho, se você não tem dinheiro para pagar as multas, então não deve andar de carro pois se houver um acidente ou apreensão do carro, o prejuízo será bem maior, tornando-se uma bola de neve. Se você for culpado de um acidente, como arcará com os danos das pessoas prejudicadas?
Meu filho, o papel de um cidadão de bem e que nada deve ao ser convidado a parar pela polícia
é de parar e identificar-se caso peçam.
Meu filho, no mundo de hoje, o policial desconfia de tudo e tem medo de morrer também. Já pensou se o seu carro for confundido com um outro que eles estão procurando?
Meu filho, quantos casos a gente ouve falar de policiais que atiram sem perguntar?
Meu filho, o que você está fazendo com o carro para ter seis multas? Você não está dirigindo com cuidado e ainda quer fugir da polícia, você está com a cabeça virada.
Dá-me aqui essa chave. Sem estar tudo certo, você não sai com esse carro. Eu amo você.