Governo Dilma, PT, produz o pior Dia do Trabalho da história, com 11,1 milhões de desempregados no Brasil. Na Grande Porto Alegre, são 198 mil que procuram vagas.

CLIQUE AQUI para ler, também, "Ataque ao desemprego", editorial de hoje do jornal Zero Hora, que finalmente reconhece: "A desastrada política econômica do governo acelerou a inflação, fez os juros dispararem, desvalorizou o real e minou a confiança dos consumidores e dos empresários".

Os 300 trabalhadores demitidos ontem na GM de Gravataí e mais os 500 que poderão seguir o mesmo caminho, extinguindo assim o terceiro turno da montadora, confirma o viés de piora que experimenta o mercado de trabalho na Grande Porto Alegre, que convive neste domingo, Dia do Trabalho, com a presença de 198 mil pessoas procurando uma vaga, o pio resultado dos últimos sete anos, segundo a Fundação de Economia e Estatística.

Entre os setores que mais sofreram desligamentos, sem ver reação do mercado, foi o metalúrgico.
Esta é a pior herança do governo de desmandos do governo Dilma Roussef, que conduiu o País à pior recessão da história.

Em 2015, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social, apontou que 95,1 mil postos de trabalho formais foram fechados no RS e 1,5 milhão no Brasil. Em março deste ano, mais de 11 milhões de pessoas passaram a procurar emprego no país, segundo o IBGE. A pesquisa do Dieese e FEE revelou ainda que, além da elevação do desemprego, os salários acumulam redução de 13,1% no comparativo dos últimos 12 meses. “Algumas empresas demitem os trabalhadores com salários mais altos e contratam outros com salário inferior”, avalia a economista da FEE Iracema Castelo Branco.

A reversão desse cenário depende da mudança do governo atual do PT, que não demonstra conhecimento e capacidade para alterar os rumos da política e, consequentemente, da retomada da economia. “Estamos vivendo a pior crise desde os anos 90”, alerta o coordenador do Conselho de Relações do Trabalho e Previdência Social (Contrab) da Fiergs, Paulo Garcia, que falou para o jornal Correio do Povo deste domingo. Leia o que escreve o jornal:

No RS, entre os setores que mais dispensaram mão de obra foram o comércio e reparação de veículos; indústria de transformação e construção civil. “As demissões acontecem porque a legislação trabalhista brasileira não dá flexibilidade para negociação com o trabalhador”, acrescenta Garcia.
Em Gravataí, dos cerca de 800 trabalhadores da General Motors (GM) que entraram em regime de lay-off, em dezembro, pelo menos 300 não retornaram aos seus postos de trabalho. A Federação dos Metalúrgicos do RS contabilizou o fechamento de 30 mil vagas na metalurgia de 2015 até o momento. “Nos últimos 12 anos, preenchemos 104 mil novas vagas. Apesar do saldo ser positivo de 2002 para cá, a queda agora é assustadora”, avalia o presidente da federação, Jairo Carneiro.

Se o mercado enfrenta dificuldade de admissão de trabalhadores, no universo dos estágios e aprendizado também há incerteza. Conforme o CIEE/RS, o número de estagiários ativos estagnou na comparação com 2015, resultado da negociação com as empresas. “Estamos salientando a importância neste momento de as corporações contarem com jovens profissionais que, apesar da pouca experiência profissional, possuem uma carga de inovação e vontade de empreender”, diz o gerente de Operações do CIEE, Lucas Baldisserotto.

5 comentários:

Anônimo disse...

Obrigado ex-presidente Lula e a sua marionete pelo desemprego, pela decadência econômica e principalmente moral do Brasil. Chegamos agora ao apogeu da violência, do desemprego, da falta de saúde, da fracassada educação. do deslavado doutrinamento ideológico e principalmente da corrupção no Brasil. Obrigado PT.

Anônimo disse...

CUT e Força Sindical irão resolver o problema? Nunca!

GIGOLOS só consomem NUNCA produzem.

Anônimo disse...

Ué... a República da Mentira diz que "não monta a mais de 2,6 milhões de cargos", e ainda lamenta a situação!!!

Anônimo disse...

PT: gigolô do capital alheio. Maior ajuntamento de falsos, mentirosos, corruptos e ladrões do planeta!

Anônimo disse...

Após o Impeachment a PresidentA e a petezada ainda ficarão sugando o suor do trabalhador morando no Palácio da Alvorada. É uma vergonha. Ainda quer discutir o que o Povo, a Câmara dos Deputados e o Senado decidir? Querem quebrar mais ainda o País? Está na hora da PresidentA prestar contas à justiça desde a época da compra de Pasadena. O povo aguarda resposta da justiça.