Sartori quer convocação extra da Assembléia para aprovar Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual

CLIQUE AQUI para ler o texto integral do projeto e sua justificativa. Sartori poderá ter êxito, mas existem resistências terríveis nas corporações e no fisiologismo. Yeda foi a única governadora que tentou algo semelhante, mas teve que recuar. Nenhum Estado possui sua própria LRF.

Neste início de semana o governo gaúcho rfeunirá a base aliada para apresentar os principais projetos que quer votar durante a convocação extraordinária da Assembléia, quie ocorrerá nos dias 28 e 29. Nesta quarta, encerra a atual legislatura.

O líder do governo, deputado Alexandre Postal, reafirmou que o projeto principal será o que cria a Lei de Responsabilidade Fiscal, que já está na Assembléia, mas ele sofrerá modificações, tudo para atender reclamações corporativas e fisiológicas da própria base. A oposição é totalmente contra qualquer tipo de responsabilidade fiscal. O PDT, por exemplo, quer garantia dos pagamentos dos aumentos que Tarso assinou e não pagou, reposições salariais pela inflação e reposição de funcionários que se aposentarem. 

2 comentários:

Anônimo disse...

ELE QUER MANDAR PRA BANHA A CORAG E A FDRH.

Anônimo disse...

PDT sempre atrasado e partideco pestilento. Tente falar com o lider do partido e amigo do editor, para ver se ele ao menos vota a extinção da fdrh e da corag que não prestam nenhum serviço ao cidadão gaúcho, já que ele quer defender outras fundações como a fzb, fundergs e feppps.