Luis Milman protesta contra artigo antissemita publicado pelo jornal Zero Hora

Professor de jornalismo na Ufrgs e ele mesmo jornalista profissional, além de escritor, o gaúcho Luiz Milman não goistou de artigo publicado no jornal Zero Hora deste sábado, no qual um antropólogo local defendeu o sacrifício de animais em cerimônias de batuque, comparando-a com prática igual que ocorreria em atos religiosos em sinagogas de Porto Alegre e de todas as partes do mundo.

Luiz Milman mostrou-se indignado nesta carta enviada para a diretor ade redação do jornal, porque antes de mais nada o artigo é mentiroso, já que nenhum sacrifício de animal é realizado em qualquer cerimônia levada a efeito nas sinagogas.

O artigo ofende claramente o povo judeu.

Leia a carta:

Recebi muitas mensagens de judeus revoltados, pelo Facebook, tratando do artigo publicado por ZH, no sábado passado, dia 3 de abril. Comum a todas as manifestações, era a repulsa causada na comunidade judaica pelo citado artigo, de autoria de um antropólogo local, que fazia a defesa dos sacrifícios animais em rituais de batuque. Até aí, um tema admitidamente controverso e, por essa razão de interesse jornalístico. No entanto, o artigo avança para a formulação de uma simetria ritualística entre as práticas dos batuqueiros e  os rituais realizados nas sinagogas judaicas., com base na sua informação de que nas sinagogas também é comum a prática de sacrifícios. E que no caso das últimas, não há pressão para que as práticas sejam proibidas devido ao receio da “poderosa comunidade judaica”. Para começar, uma palavra sobre o tal antropólogo: trata-se de um sabujo antissemita que se anuncia como pesquisador, mas que, em verdade, não passa de um infeliz palpiteiro sobre temas que não conhece. E não são temas difíceis de pesquisar para alguém que se diz antropólogo. Bastaria ter visitado algumas sinagogas locais e constatar que, nelas, não se faz sacrifícios de animais de qualquer espécie. E não se faz há mais de 2mil anos, desde a queda do II Templo de Jerusalém.

Mas a mixórdia publicada pelo tal antropólogo, visava, se analisada com vagar, equiparar os estudos e a liturgia milenares de uma religião literária, que cumpre papel central na formação da cultura ocidental,  com formas animistas de culto, para as quais a sangria de animais é ainda a parte central. Um arrematado despropósito, que se projeta da tentativa psicótica de propor a equivalência entre religiões e práticas rituais que não tem nada em comum. Quanto à denúncia feita pelo antropólogo, de que os rituais judaicos são tratados com panos quentes porque se teme a poderosa comunidade judaica, é forçoso dizer que, mais uma vez, um artigo antissemita, mentiroso e ofensivo com relação aos costumes judaicos, é publicado por Zero Hora, a exemplo do que já o foram tantos outros. Tem-se adotado esta norma em ZH, é de se constatar; e mesmo que os proprietários do grupo RBS sejam de origem judaica, ninguém sabe o que esta condição implica para eles. E fica a pergunta: qual a razão de publicar a excrescência antropológica justamente no dia em que os judeus comemoram o Pessach, a importante Páscoa Judaica, data na qual se recordam os milagres da saída do Egito?  O que passou pela cabeça do editor(a) de opinião do jornal, ao permitir que tamanho despropósito, sem qualquer base factual, mentiroso e reprovável sob todos os pontos de vista, fosse publicado justamente neste dia?

Tudo isto pode ser ocasional, mas não é o que parece. E aqui chegamos ao terceiro ponto. A forma inconsequente, amadorística e irresponsável com que são tratadas questões cultural e socialmente sensíveis para a comunidade judaica tem despertado um crescente asco por este jornal. Isso mesmo, asco. Muitas pessoas da comunidade já cancelaram suas assinaturas de Zero Hora devido a posturas ora pró-Palestina do noticiário sobre o conflito com Israel, ora  no mínimo apressadas e até mesmo fraudulentas quando da abordagem de temas judaicos.

Fica aqui minha indignação por mais esta violência cometida por Zero Hora contra a comunidade judaica do Rio Grande.

Luis Milman, Porto Alegre. 

30 comentários:

Anônimo disse...

A RBS, desde a morte de Maurício Sirotsky perdeu seu rumo moral e seus compromissos com a civilização ocidental aliando-se, quando conveniente, aos piores exemplos do que não se fazer em termos de jornalismo. Dá para dizer com certeza que a morte de Maurício Sirotsky foi o início da agonia terminal deste grupo econômico que agora simboliza cinismo, amoralidade e um jornalismo que beira a sociopatia.

Anônimo disse...

Os Sirotsky sao tao judeus quanto o Lulla eh honesto e a Dilma inteligente.

Judeus de verdade nao se metem em bandalheiras com politicos, nao usam drogras de maneira contumaz nem dao cano em seguros com incendios fraudulentos.

Comparar macumba com sinagogas eh realmente o fim da linha pra essa empresinha dos confins do brasil.

Anônimo disse...

ZH conta com seu Sakamoto: Moises Mendes.

Anônimo disse...

Nunca dei valor a este Jornaleco pois nao tras absolutamente nada de serventia.....somente sobrevive porque esta no RS caso contrario ja teria fechado.

Anônimo disse...

O antropologo no seu artigo não diz que se sacrificam animais nas sinagogas acho que como jornalista o Luis Millman é um judeu ortodoxo releia o texto e acorde para interpretalo.Pelo expostos so confirma seu lado coxinha

Anônimo disse...

TUDO COMBINADO POIS A RBS PRECISA "CRIAR" ALGUMA DISCÓRDIA OU ALGO, PARA MUDAR O FOCO DOS ACONTECIMENTOS.

NADA MAIS PRÁTICO QUE TENTAR BOTAR NO MESMO SACO UMA COMUNIDADE FORTE, UNIDA E FINANCEIRAMENTE PRÓSPERA QUANDO A JUDAICA.

MAS SÃO UM POVO INTELIGENTE, NÃO VÃO FAZER MANISTAÇÕES E ENTRAR NESSA, NÃO PRECISAM.

Anônimo disse...

ZERO HORA SIMPLESMENTE ESTA SE PRESTANDO AOS PETRALHAS.

DEVER TER ACORDO PARA O CASO ZELOTES.

MESMO ACONTECEU NA ALEMANHA.

HITLER FEZ ISSO.

Biriva do Cerro do Tigre disse...

Até a comunidade judaica já boicota jornal ZH.

Isto mostra a decadência que tomou conta da RBS, aceita artigo de pseudo-antropólogo, sem revisar "contiudo".

Se a RBS fosse (que não é o caso)séria, teria demitido o editor-chefe por este artigo ofensivo aos judeus.

Anônimo disse...

Estranho! A RBS publicar uma merda dessas!!! Eles, mais do que ninguém, teriam a obrigação de saber que o que esse idiota escreveu, além de ser uma enorme mentira, é anti-semitismo puro e escrachado!!

Paolo Hemmerich

Shalom

Anônimo disse...

Políbio,

A ZH esta perdida:

1. Desde o emprestimo do BNDES(Lulla), virou defensora do PT;

2. Autuada pela RF(justa ou injustamente) preferiu seguir a linha PT(corrupto) e envolveu-se na ZELOTE;

3. Ao mesmo tempo que os Sirostky doam dinheiro para reformar sinagogas, permitem ataques mentirosos sobre o judaismo e israel.

R.I.P. RBS!!!

JulioK

Anônimo disse...

Eu ouvi isso hoje pela manhã na hora Israelita na Band AM,programa que escuto todos os domingos. Não sou judeu, sou católico, mas a comunidade judaica deveria processar esse fdpta anti-semita, fazer doer no bolso desse canalha para que sirva como exemplo, mas também a Zero Hora e esses canalhas dos Sirotskys, falsos judeus ou seja qual a religião destes imbecis, pedirem que façam uma retratação pelo próprio jornal ou deem direito de resposta à comunidade judaica.
Semana passada seis potências mundiais, assinaram acordo com o Irã para tentar controlar os aiatolás do capeta a não construir a bomba nuclear, mas não incluíram Israel na negociação, mas é claro que não vai adiantar de nada, apenas o Irã sairá ganhando pois serão retiradas as sanções comerciais impostas, mas os malucos continuarão com o seu plano nuclear, provavelmente possuem instalações secretas que não serão fiscalizadas! O Obama como todo "bom muçulmano" está fazendo um esforço enorme para ajudar os radicais do capeta na sua tarefa de acabar com Israel, a notícia boa hoje é que Israel, auxiliado pelo Egito que deixou os aviões israelenses sobrevoarem o seu território para destruir depósitos de armas na Síria, compradas pelo Irã e que seriam repassadas para grupos radicais!

Anônimo disse...

Isso mesmo: ZH e RBS, alem da Globo, da qual
são repetidoras, são ASQUEROSAS!



Anônimo disse...

MAS INDEPENDENTE DE QUAISQUER COISA, É SALUTAR VERIFICAR COMO ESTE POVO CONSEGUIU PROSPERAR MESMO TENDO PASSADO PELAS TERRIVEIS PROVAÇÕES QUE LHES FORAM IMPOSTAS.

ESTAMOS VIVINDO NO BRASIL ÉPOCAS DIFICEIS QUE SE TORNARÃO AINDA MAIS RUINS.

ENTÃO ESTUDAR, PESQUISAR, E SE ADAPTAR COMO FIZERAM OS JUDEUS POSSIVELMENTE NOS AUXILIARÁ MUITO.

Anônimo disse...

Ueh os judeuzinhos de m nao podem ser questionados???

Anônimo disse...

Boa tarde

Olhem esse blog. Traz a tona o polemico tema, sobre a pratica de sacrificio de animais...
http://iadrn.blogspot.com.br/2013/02/judeus-reivindicam-sacrificar-no-monte.html

ÓBVIO disse...

VENDERAM A ALMA

PROVAVELMENTE SÃO LARANJAS DO CAPITAL MUÇULMANO,VENDERAM SUA ALMA,NÃO MAIS SE GOVERNAM.

EM SÃ CONSCIÊNCIA,NÃO HÁ QUEM NÃO ADMIRE O PROGRESSO E AVANÇO DE TODOS OS POVOS,CULTURA, E COM DESTAQUE EU DIRIA DA CULTURA JUDAICA,CUJOS PROCEDIMENTOS SÃO EXEMPLARES PARA TODA A HUMANIDADE.

A OUSADIA DA ESQUERDA,DOS PETRALHAS E ASSUCIADOS SDE DEVE A TIMIDEZ E OMISSÃO DE SEUS OPONENTES.

SE NÃO ACORDAREM E TOMAREM ATITUDES PARA SE ORGANIZAR,CONTINUAREMOS A VER LER E OUVIR MUÇULMANOS,PETRALHAS LATINOS E NORTEAMERICANOS DAREM AS CARTAS E JOGAREM DE MÃO .

Paulo Rocha, Eldorado do Sul/RS disse...

Tendo em conta que as tradições africanas devem ser preservadas a qualquer custo, também sou favorável aos sacrifícios de sangue nos terreiros de macumba, para tanto, o certo seria que houvesse um ritual onde dois ou mais batuqueiros armados de facas de pedra lascada, se engalfinhassem em luta até a morte. Posteriormente os corpos dos perdedores deveriam ser dados em oferenda e deixados para apodrecer nas encruzilhadas.

Considerando que o mais importante é manter as tradições africanas, posteriormente a esses atos de profunda fé e civilidade, creio que os parentes dos perdedores, deveriam ser capturados e vendidos como escravos.

O lucro com a venda dos escravos ficaria com o pai-de-santo, evidentemente.

Anônimo disse...

Qualquer um que leia a matéria vê que se trata de uma artigo assinado, e não matéria editorial de ZH. Imagino que o editor do blog saiba a diferença. Além dos judeus, o dito "antropólogo", a título de defender sua crença e sua etnia, atacou católicos, alemães e, de forma um pouco mais light, italianos. Porém, a responsabilidade é do autor do artigo, que era um contraponto à opinião de Regina Becker (ou Fortunati), exposta na mesma página...
Sandeman

Anônimo disse...

Se fossem manter as tradições africanas, além do sacrifício de animais, teríamos antropofagia, genocídio , escravidão de negros por negros e o massacres de tribos. Espero coisas mais civilizadas depois do ano 2000, e, quanto a sacrifícios de animais em Sinagogas, isto é papo de pessoas para as quais a escrita e a civilização ocidental moderna nunca existiram ou então utilizaram drogas pesadas. Já em relação a RBS, estamos esperando que anunciem em letras grandes na frente de ZH falando da operação ZELOTES do mesmo jeito que falavam de "verdades incontestáveis até com vídeos" sobre a ex-governadora Yeda. Comparemos agora Yeda e a RBS, esta última é ré comprovada de crimes fiscais gravíssimos e de corrupção no maior grau e somente com a anuência de seus diretores gastariam fortunas com propinas, o que é crime. Não foi o Francenildo o culpado de novo.

Anônimo disse...

É esquisita essa manifestação do dito jornalista LUIS MILMAN. Ele queria que fosse feita uma censura prévia? Estamos numa ditadura? Verdadeira ou falsa, a matéria expressa uma opinião do Antropólogo. Antropologia não é exatamente uma ciência exata. Além disso, é uma matéria jornalística, e não uma tese de doutorado. E jornalismo é opinião, não é exatamente o que é verdadeiro. Que o antropólogo seja processado pelas mentiras, ou ofensas, que por acaso tenha escrito. Ou que o jornalista peça um direito de resposta ao artigo. Agora, querer que a RBS censure o artigo é vergonhoso, ainda mais para um professor de jornalismo. O que pensaria esse jornalista sobre a Charles Ebdo? Deveria ser censurada previamente? Qualquer pessoa, religião, pensamento, povo(aí incluídos os judeus) devem ser passíveis de críticas. É essa a verdadeira democracia. Parece que alguns são favoráveis à democracia, desde que as opiniões manifestadas sejam semelhantes as suas, caso contrário, devem ser censuradas.

Anônimo disse...

Políbio,

Lamentável 12:56!!

JulioK



Anônimo disse...

O que esse doutor? em antropologia fez foi,sem ter argumentos que justifiquem esse sacrifício de animais,atirar para todos os lados.
Nada justifica sacrifício de animais.
Sem falar na sujeira que os despachos deixam nas ruas,o perigo de velas queimando.
Doutor Antropólogo vá estudar e ler um pouquinho para debater o assunto e não fugir do tema atirando em todas as direcões

Almirdo oliveira disse...

Politico
Desde ha muito, a RBS Passos a integral a rede aparelhada pelo PT, dai as Popsicles petralhas contra
A democracies ea favor de Tudor o que dita o FORO de São Paulo, alinhando-se as teases contra Tudor que represent
Net a a civilizacao occidental. Dai o seu apoio aos terrorist as da palestinae outros horrores a que PT aporia. ADIVIDA FINCEIRA DA RBS DEPVE SER munitions major do que pare e. DIA 12 estareos na tua exigindo a said a DESSA peste PETRALHAS.

Unknown disse...

Políbio, qual é o nome de antropólogo? Não seria o mesmo que desencavou uns cacos de vidro no terreno onde será construído um anexo do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, barrando o prosseguimento da obra?

Roberto Vinazzi disse...

O anônimo das 22:56 (5/4) foi muito bom Fecho com ele!!!

Adilson Minossi disse...

Eu sempre achei que os Sirotsky não são judeus de verdade. Sempre os chamei de judeus genéricos.

Anônimo disse...

milman pior professor que já tive na vida. descontrolado, nunca ensinou nada, apenas arrotou grandeza na sala de aula.

Adilson Minossi disse...

Políbio, umm leitor anônimo (pena que não mencionou o nome) colocou uma reportagem. Acessei e vi que ele tem toda razão. Judeus ortodoxos pleiteam poder realizar sacrifícios de animais no Monte do Templo em Israel.
Portanto, o Sr. Luiz Millmann não pode protestar sobre a reportagem do jornal ZH da RBS. Mas eu continuo achando que os Sirotsky são judeus genéricos.
Confiram: http://iadrn.blogspot.com.br/2013/02/judeus-reivindicam-sacrificar-no-monte.html


Anônimo disse...

Estou de pleno acordo com o Anônimo do di a 5 de abril de 2015 09:50.

Chaplin disse...

Judeus, ou seriam sionistas, e seus vassalos falando em causa própria é muito divertido...para quem conhece a história real de monopolismos, piratarias, usuras e outras q tais...