Câmara vota, hoje, novo pedido de urgência de Onyx para aprovação da Lei sobre o Terrorismo

Por muito pouco não foi aprovado ontem o regime de urgência pedido pelo deputado gaúcho Onyx Lorenzoni, cujo objetivo era apressar a votação da proposta que define o crime de terrorismo no Brasil.

Onyx mandou dizer ao editor que se trata do projeto 5773/2013. A idéia é criar o artigo 288-B no Código Penal.

Nova votação poderá ocorrer hoe.

PT, PSOL e PCdoB uniram-se furiosamente para impedir a obtenção de maioria absoluta. Os Partidos de corte neomarxista temem que algumas ações terroristas do MST sejam enquadradas na nova lei.

Apesar de signatário de tratados e resoluções internacionais sobre o terror, o Brasil ainda não tipificou este tipo de crime no seu ordenamento jurídico.

3 comentários:

Anônimo disse...

Taca-le o pau Onyx. Vamos tipificar as ações destes criminosos que querem e servem de linha auxiliar para implantação de um regime terrorista totalitário. SALVE A REPÚBLICA.

Emmanuel disse...

Em muito ajudou seu post acerca da convocação de brasileiros para lutar na Ucrânia, mas que na verdade estão fazendo treinamento para atuarem aqui, sob nossas barbas.
É preciso, sim, agir em regime de urgência e reprimir esse tipo de opção de engajamento: que se dispõe a lutar causas espúrias deve perder a cidadania.

Anônimo disse...

Uma lei destas é TUDO QUE O PT E
A COMUNISTALHA NÃO QUEREM, para
instigar bandoleiros a invadir,
quebrar, destruir as propriedades
alheias e sairem impunes, sendo
denominados de "movimentos sociais" pela rede globo, o que
são simplesmente bandidos apoiados e incentivados por petralhas e comunistas.