Taline Oppitz diz que Ford foi o momento mais tenso do debate entre Lasier e Olívio

Na época, cartazes como este registraram a decisão de Olívio Dutra. A campanha continua nas redes sociais. O material ao lado está disponibilizado no Google. 


Eis como a mediadora do debate de ontem na Rádio Guaíba, Taline Oppitz, analisou o que viu e ouviu durante duas horas, observando e registrando o desempenho dos candidatos ao Senado pelo RS:

O primeiro debate entre os candidatos ao Senado, na Rádio Guaíba, evidenciou que não são águas passadas as diferenças e a tensão entre Lasier Martins, do PDT, e Olívio Dutra, do PT, que vêm de longa data, desde as críticas do trabalhista ainda como jornalista, em relação à gestão do petista no Piratini. Os dois, cujo cenário indica que poderão polarizar a disputa, protagonizaram um dos momentos mais quentes do debate. Na primeira oportunidade que teve para fazer pergunta a Olívio, Lasier evitou o confronto direto e escolheu a candidata do PP, Simone Leite, como alvo de seu questionamento. Olívio, no entanto, não perdeu a oportunidade e assim que pôde, ainda no primeiro bloco, questionou Lasier sobre as reformas e a necessidade de alinhamento com seu partido. No segundo bloco, quando surgiu a possibilidade de questionar Olívio, Lasier partiu para o ataque, perguntando ao petista sobre um dos temas mais criticados por ele durante o governo do PT: a saída da Ford do Rio Grande do Sul, tema que deve permanecer em pauta durante toda a campanha. O ex-governador disse que não se arrepende e que tomaria a mesma iniciativa de novo, mencionando a decisão judicial que determina o ressarcimento do Estado pela empresa.

Legenda de foto do editor:
Ao lado, a Ford na Bahia.
Ela poderia estar operando em Guaíba e
propiciaria a criação de um cluster
formidável da indústria automotiva. 


A seguir, mais notas de Taline sobre o debate:

Críticas

Candidato do PSB, Beto Albuquerque, que tem o desafio de tentar quebrar a polarização que se desenha entre Olívio e Lasier, pelos sorteios do debate, não teve nenhuma oportunidade de fazer perguntas aos dois principais adversários. Diversas vezes, no entanto, indiretamente, Beto aproveitou para realizar críticas a ambos.

11 comentários:

Anônimo disse...

O Lasier deu de relho!
Debate tem que ser assim.
Pena que tem que aguentar os nanicos que nem sabem o que significa ser senador. Teve um que fez propostas como se fosse para governador.É muita ignorancia.
Tem que juntar o Beto, o Olivio e o Lasier ai vai ser bomba.

joel Robinson

Anônimo disse...

Dá-lhe Lasier, fora esquerdalha.

PEREIRA, PoA/RS disse...

Buenas ! Realmente, elles não aprendem nunca. Pelo contrário, se puderem elles pioram ! A decisão judicial é sobre um ressarcimento de um valor que deve ter sido "adiantado" à FORD. A petralhada fala da tal decisão como se o empreendimento em si tivesse sido condenado pela Justiça. Parece que, para certos avermelhados, bom negócio é investir bilhões em sucatas de refinaria nos EUA, ou em um porto na ditadura cubana, ou em estradas Transcocaleiras na Bolívia. Além disso, onde estão as viúvas do Olívio que disseram que não havia acontecido o diálogo sobre a FORD no debate ?!?

Anônimo disse...

Gostaria também de ver os suplentes debatendo. O partido que mais perdeu no caso da Ford agora é suplente do Olivio. Eu não entendo o que estão brigando. Poderiam trazer um lista de ações de quem já esta no Senado pelo RS e começar por ai. Avaliação de nossos atuais Senadores e o que eles poderão fazer de diferente. Falem em projetos não em promessas.

Anônimo disse...



QUE FOR VIAJAR OU SE INFORMEM, NA CIDADE DE CAMAÇARI, ONDE A FORD SE INSTALOU. A EVOLUÇÃO INDUSTRIAL E COMERCIAL FOI O MAIOR PRESENTTE Q O EXTERMINADOR DO FUTURO DE A ELES.
UMA PEQUENA PADARIA, VENDIA/DIA, EM TORNO DE 120 A 150 PÃEZINHOS. APÓS A FORD TER SE INSTALADO LÁ, O COMERCIANTE PASSOU A VENDER MAIS 1200 PÃEZINHOS, ALÉM DE TER ABERTO MAIS UMA FILIAL
ESTA REALIDADE MEU IRMÃO VIU,QDO ESTEVE LÁ,POIS FALOU DIRETAMENTE COM O COMERCIANTE.

Anônimo disse...

Já em seu comentário na rádio a jornalista disse que o PT está bem resolvido com o assunto Ford, Camaçari que o diga!

Anônimo disse...

Se o Olívio disse que não se arrepende é sinal que em todos esses anos, passados do episódio, ele não evoluiu nadica de nada.Quando se instala uma montadora não é só ela que cria emprego mas também as autopeças e o comércio que se instala logo em seguida.Numa Região de Guarulhos era um local ermo e pobre e após a construção do Aeroporto tudo se transformou.Por quê será que o Eduardo Campos está levando a FIAT para a Cidade de Goiana em Perambuco, divisa com a Paraíba heim?

Anônimo disse...


PARABENS AO EDITOR PELA BELA IMAGEM FOTOGRÁFICA DA FÁBRICA. ISTO CONFIRMA O QUE O ESTADO PERDEU EM ARRECXADAÇÃO E EMPREGOS, MANDADOS EMBORA DO ESTADO POR UM JUMENTO PETRALHA.

João Coragem disse...

Recomendo ao 28% dos eleitores gaúchos, que recentemente manifestaram a intenção de voto no candidato ao Senado Olivio Dutra / PT-RS, a leitura da revista Autodata de Julho/2014. Ela traz interessante reportagem sobre o polo automotivo gaúcho (ou o que sobrou dele após Olivio e Tarso...). Este setor representa mais de 8% da arrecadação de ICMS do RS (foram R$ 2 Bilhões em 2013) com geração de emprego para mais de 100.000 gaúchos. Se Olivio e seu staff não tivesse protagonizado aquele infame caso de desinteligência e quebra de contrato com a Ford, teríamos aqui no Rio Grande consolidado um poderoso e diversificado cluster automotivo, no interesse da geração de renda e emprego aos gaúchos. E isto não tem nada a ver com ideologia, mas sim com o sustento e o progresso das famílias rio-grandenses.

Anônimo disse...

OLIVIO , o tosco, confessou. Então acabou a churumela culpando o FHC.

Anônimo disse...

Alguém lembrou o elemento que levou choque das uva, digo, Lasier que a Ford foi condenada por quebra de contrato em quase 1 bi?