Opinião - Só a preguiça pública explica a degradação irrecuperável da zona central de Porto Alegre.

O editor costuma ter enorme dificuldade para concordar com as opiniões da editora de Política do jornal Zero Hora, mas deta vez a jornalista Rosane Oliveira está coberta de razão ao fustigar de modo devastador a situação de degradação da zona mais central de Porto Alegre. Não é possível imaginar como é que o prefeito José Fortunati convive com lixo acumulado até na quadra da esquina democrática, calçadas esburadas e desalinhadas, piso irregular e imundo da rua da Praia, sujeira por todos os poros, lixeiras desbotadas e imundas, falta de iluminação, pontos de ônibus desleixados, praças mal cuidadas e região despoliciada. Afinal de contas, o prefeito mora na Praça da Matriz. O caso não pode ser apenas de preguiça, mas parece mais de incompetência atávica. Leia a nota de Rosane:

Com lixo pelas ruas, obras inacabadas, calçadas deterioradas, paredes e muros repletos de pichações e mendigos dormindo nas praças. É assim, sem maquiagem, que os turistas que vierem assistir aos jogos da Copa encontrarão Porto Alegre. Não há tempo nem dinheiro para deixar a cidade com a cara de quem está pronta para receber visitas. E não se consegue mudar do dia para a noite os hábitos de uma população acostumada a jogar lixo no chão ou nos arroios, apesar de estar em vigor a lei que pune os infratores com multa.

O vice-prefeito Sebastião Melo foi muito sincero, ontem, numa entrevista ao Gaúcha Atualidade. Disse o que a prefeitura está fazendo, mas não tentou tapar o sol com a peneira ao falar dos problemas. Reconheceu que Porto Alegre tem mais de mil adultos vivendo nas ruas e que não há como obrigar essas pessoas a irem para os abrigos.

– Não vamos esconder os mendigos durante a Copa – garantiu Melo.

Uma das áreas mais movimentadas da Capital, a Rua da Praia, será vista pelos visitantes do jeito que está, com o calçadão cheio de remendos. A Associação de Bancos doou para a prefeitura um projeto de revitalização, como compensação pelos estragos provocados pelo peso dos carros-fortes que circulam pelo Centro, mas o governo não tem os R$ 5 milhões necessários para executar a obra. 

Não é apenas o reparo do calçadão que precisa ser feito, mas também a substituição de cabos e redes subterrâneas.

Apesar dos problemas estruturais e dos circunstanciais, Melo acredita que os turistas não irão se decepcionar. O vice-prefeito diz que a cidade está preparada para receber os visitantes e destaca a hospitalidade dos porto-alegrenses como um dos pontos positivos da Capital.

CLIQUE AQUI para ler outra queixa de Rosane, intitulada "Senti vergonha da minha cidade", no mesmo tom.

CLIQUE na imagem a seguir para ver e ouvir o comentário do editor, intitulado Há 30 anos fala-se em revitalizar o centro de Porto Alegre.

9 comentários:

Anônimo disse...

É incompetência mesmo. Lavar calçadas não custa tão caro.

Anônimo disse...

Porto Alegre é fixinha em relação a Novo Hamburgo. A cidade já estava ao deus dará antes do vendaval de 21 de janeiro. Agora continua uma vergonha. Convidei o Tarzan e a Chita e o Jim das Selvas para morar aqui. Dá para ir dos bairros até o centro da cidade só se pendurando nos fios soltos dos postes. As ruas sem iluminação, lixo e restos de galhos em pleno centro. Uma vergonha. Claro o prefeito e os secretários sôo do PT...Sem falar no presidio ou hotel de semi-presos...
Joel Robinson

Anônimo disse...

Prezado Polibio, nao concordo com o termo degradado das grandes cidades do mundo de forma generalizada!
Eu convido a vir a Londres e ver o brinco e os cuidados com que a area central da cidade e tratada! Pichacoes entao aqui nao existem e se alguem tentar vai preso na hora!

Anônimo disse...

O mundo todo verá o que o gaúcho tem de melhor: a sua pequenez e mediocridade.

Os incomPTentes tiveram 7 anos pra organizar e embelezar as cidades, mas nenhum representante do PCC da política se dignou a apresentar projeto de lei, seja municipal, estadual ou federal, isentando o cidadão de impostos caso fizesse melhorias em suas calçadas e pintasse seus prédios e casas.

Quanto às pichações, bem, a imprestável mídia gaúcha sempre adorou entrevistar a chinelândia que pícha, dizendo ser arte das ruas e outras boçalidades ...

Merecemos ou não ser conhecidos em todo o mundo como o país do jeitinho e da incomPTência, além de imundo e violento ???

Anônimo disse...

Poa e NH são fixinhas perto de Gravataí. aonde moro faz o Centro de Poa parecer zona de luxo.

Albert disse...

E vocês acreditam que recuperando o Cais Mauá, com lojas, restaurantes, etc.., vai melhorar, nunca, só se o sujeito for de carro ou helicoptero, pois se for a pé vai ser assaltado, só quem vai ao centro de POA, depois da meia-noite sabe que grande perigo são nossas ruas.

Anônimo disse...


Inconcebível a lamentável situação do nosso Centro Histórico.
Moradores de rua em profusão, índios de todas as etnias, inclusive com crianças indígenas usadas para a mendicância ( E o MP ???).
Bêbados, drogados, assaltantes e por aí vai.
Fui deixar minha bicicleta no Mercado Público, em local para estacionar bikes, e me advertiram que a mesma seria furtada, pois nos degraus da calçada do Chalé da Praça 15, reúnem-se ex-presidiários para planejar pequenos furtos ! Pode ?
O mau cheiro agride. Na frente do tradicional City Hotel dormem uns dez moradores em camas de papelão. Urinando na parede sem cerimônia.
Imaginem quem vai se hospedar ali nesta Copa !!!!!!
Isto tudo a poucos metros do Executivo Municipal. Sem paixões partidárias, dá para se dizer que Fortunati está falhando ou se omitindo nos problemas da zona central de nossa outrora bela capital.

Anônimo disse...

A tal de revitalização do centro de Porto Alegre é um assunto por demais manjado. É que nem as "reformas de base" no país. Tudo conversa fiada dos políticos brasileiros. Mas, com relação à histórica Rua da Praia da capital dos gaúchos, até uma panificadora cativa existe nessa via, esquina com a Rua Uruguai. É uma fornada de pão de queijo atrás da outra, como se tudo fosse o mais normal possível. E depois vêm com essa história de "revitalização". Revitalização coisa alguma alguma, tudo não passa de um surrado discurso para enganar eleitores incautos, que contribuem para manter esses políticos incompetentes no poder.

Anônimo disse...

A tal de revitalização do centro de Porto Alegre é um assunto por demais manjado. É que nem as "reformas de base" no país. Tudo conversa fiada dos políticos brasileiros. Mas, com relação à histórica Rua da Praia da capital dos gaúchos, até uma panificadora cativa existe nessa via, esquina com a Rua Uruguai. É uma fornada de pão de queijo atrás da outra, como se tudo fosse o mais normal possível. E depois vêm com essa história de "revitalização". Revitalização coisa alguma alguma, tudo não passa de um surrado discurso para enganar eleitores incautos, que contribuem para manter esses políticos incompetentes no poder.