STF vai vetar lei que beneficia Dilma na campanha eleitoral do Brasil

Se aprovado, o projeto que dificulta a criação de Partidos daráa Dilma a maior fatia de TV da história. Ela passará a ter 15 minutos e 18 segundos em cada bloco de 25 minutos, ou seja, 61% do total. O Planalto patrocina o casuísmo e foi por isto que o senador Pedro Simon discursou para chamar Dilma de "política vulgar", pio do que os generais. A proposta já foi aprovada e está parada na Câmara. O projeto impede a criação do Partido de Marina Silva. O material a seguir é da Folha deste domingo

Com apoio velado do Planalto, mas sustentada de forma aberta por PT e PMDB, a medida passou na Câmara e está parada no SenadoA aprovação da lei prejudicaria o movimento da ex-senadora Marina Silva, que corre para criar a Rede Sustentabilidade para disputar as eleições presidenciais de 2014. Outros presidenciáveis, como o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o governador Eduardo Campos (PSB-PE), são contrários ao projeto porque interessa a eles o maior número possível de candidatos, o que, em tese, evitaria uma vitória da presidente Dilma no primeiro turno.

A avaliação no governo é que o histórico de decisões indica um STF contrário a medidas que impeçam a formação de partidos. Um dos casos citados é a decisão tomada em 2006, quando o STF declarou inconstitucional a chamada "cláusula de barreira".

Essa norma da Lei dos Partidos Políticos, de 1995, estipulava condições para que legendas menores tivessem direitos iguais aos das grandes legendas políticas.
A vitória do PSD na Justiça, garantindo recursos do fundo partidário e tempo de TV, é outro exemplo citado por aliados do Planalto. A avaliação é que o STF deve apontar não ser possível tratar de forma diferente situações semelhantes --negar a outros o que o PSD de Gilberto Kassab obteve.

5 comentários:

Anônimo disse...

ISTO É SEMVERGONHISSE DA PIOR ESPÉCIE.
E, ESTES TERRORISTAS QUEREM FALAR DO REGIME MILITAR.
O REGIME MILITAR ESTAVA 100% CERTO E, TEMOS SAUDADES DO TEMPO EM QUE AS PESSOAS DE BEM ERAM RESPEITADAS.

Anônimo disse...

Bem dito, anônimo das 09,08. As pessoas de bem eram respeitadas e não eram compradas com bolsas...

Anônimo disse...

Campos é o alvo da vez de Ciro Gomes:

O eterno presidenciável Ciro Gomes (PSB), que já trocou de agremiação cinco vezes durante sua vida pública e toda vez que deixa uma legenda em busca de uma nova opção eleitoral inicia uma guerra contra os antigos correligionários, ataca agora os próprios colegas do PSB. Segundo reportagem da revista Istoé, Eduardo Campos, que preferiu apoiar Dilma Rousseff (PT) na disputa pela Presidência, é o atual alvo de Ciro, que atua em sintonia com o irmão, Cid Gomes, governador do Ceará, e faz de tudo para inviabilizá-lo. “A candidatura de Eduardo Campos é inoportuna. Está bom, mas podemos fazer melhor é conversa de marqueteiro”, atacou Ciro, numa referência ao slogan adotado pelo colega de partido. “Quem defende elevação de taxa de juro é banqueiro. Ele está encantado pela direita”, fez coro Cid Gomes. Internamente, Cid e Ciro trabalham para tentar provocar um racha no partido.

Anônimo disse...

Gente, isso aqui tá pior que o samba do crioulo doido!

Anônimo disse...

O editor que segundo refere na sua biografia que foi preso na ditatura deveria escrever aqui sobre o fato. Eviataria comentarios imbecis como o acina.