Prefeitura diz que quebra-quebra da delinquência política do dia 27 custará R$ 30 mil ao povo de Porto Alegre

* Clipping www.zerohora.com.br

A manifestação contra o aumento das passagens, realizada no dia 27 de março, deixou R$ 30 mil em danos contra o patrimônio público porto-alegrense. Naquele dia, alguns manifestantes tentaram entrar no prédio da prefeitura, além de jogar tinta no secretário de governança Cézar Busatto. O dado, que foi divulgado pela Equipe do Patrimônio Histórico e Cultural (Epahc), da Secretaria Municipal da Cultura, tem por base um levantamento realizado por técnicos e aponta que os danos mais graves aconteceram na porta principal do Paço Municipal.Segundo a secretaria, a estrutura teve entalhes de madeira quebrados e custará R$ 15 mil a sua recuperação. No relatório, também é apontada a reparação de oito janelas, conserto de rebocos e pinturas.

Além dos R$ 30 mil em prejuízos provocados no prédio da prefeitura, houve a perda de uma moto da Guarda Municipal e danos a uma viatura modelo Palio, cujos reparos estão orçados em R$ 5 mil.

Em página no Facebook, os manifestantes organizam novo ato para ocorrer a partir das 18h no centro de Porto Alegre. O evento somava, até o início desta tarde, mais de 10 mil participantes confirmados.

ABERTOS HOJE À NOITE. VÁ COM SEUS AMIGOS.
WWW.BIERMARKT.COM.BR
Bier Markt, a partir das 18h30min
Vá conhecer na Barão do Santo Ângelo 497, ao lado do Leopoldina.
Agora, 24 torneiras de chope artesanal de várias partes do mundo, com barris alojados em câmera fria, servidos diretamente nos copos, sem serpentina. Cardápio diferenciado.
- Vá também na Castro Alves 452, três vezes seguidas "A Melhor Carta de Cervejas", segundo Veja (2010, 2011 e 2012).

2 comentários:

Anônimo disse...

tem que expor a planilha dos custos das obras de reparação..

tem que mostrar pra esse povaréu apalermado o quanto de prejuízo essa gente causa a sociedade com suas ações violentas e primitivas...

Marcelo Lovato disse...

Anonimo, é que o pessoal daquele protesto tava mais preocupado com 'derrubar politico' do que com o protesto em si