Justiça Federal acaba com a pajelança programada pela vanguarda do atraso para o Pólo Rodoviário de Carazinho

- A guerra de liminares que opõe o atual governo gaúcho e as concessionárias dos sete polos rodoviários, decorre exclusivamente da obsessiva decisão dos governos do PT gaúcho de desrespeitar contratos. Olívio fez isto quando mandou a Ford embora e congelou as tarifas dos pedágios, e agora o governador Tarso Genro faz o mesmo, desprezando diálogos e acordos para obter dividendos políticos, mas afundando o governo num abismo de irresponsabilidade, porque acha que pode encerrar contratos sem pagar os R$ 3 bilhões que deve por ter causado prejuízos às partes contratadas. Os atos de retomada das rodovias pedagiadas tem apenas objetivos políticos e eleitorais, até porque sob administração da EGR ou do Dnit, todos eles continuarão, em seguida, com a cobrança de pedágios. 

A Justiça Federal acaba de melar a pajelança que o governo Tarso Genro tinha programado para o dia 6 de março em Carazinho, onde realizaria um ato político e eleitoral emblemático, todo ele repleto de símbolos relacionados com o fim da rodovia pedagiada administrada pela Coviplan. Os deputados duros Edegar Pretto e Dionilso Marcon, PT, ambos do MST, já tinham comprado até foguetório para comemorar a abertura das cancelas dos quatro pedágios da rodovia com sede em Carazinho. Além de Pretto e Marcon, um aparelho do atual governo estadual, o Conselhão, além do ministro Paulo Passos, também já tinham se prestado a fazer parte da pajelança em Carazinho.

. A decisão não vale para todos os sete pólos rodoviários, mas cada um deles poderá pedir a mesma coisa. É o que farão.

. Acontece que a 3ª. Turma do Tribunal Regional Federal, o TRF4, julgou o mérito do agravo impetrado pelo Daer e avisou que o contrato firmado com o governo estadual vai até 28 de dezembro e não 6 de abril como queria o governo.

. Os juízes também avisaram que o Piratini deve se preparar para indenizar a Coviplan pelos desequilíbrios financeiros decorrentes de congelamentos de tarifas impostos arbitrariamente pelos governos Olívio Dutra e Germano Rigotto.

. O polo de Carazinho seria o primeiro dos sete polos estaduais de pedágio privado a ser encerrado. Os outros seis — Caxias do Sul, Lajeado, Metropolitano, Gramado, Vacaria e Santa Cruz do Sul — também estão envolvidos em disputas judiciais, requerendo a permanência da cobrança de pedágios até o final do ano e indenizações.

. Na guerra entre Coviplan e governo estadual, a concessionária obteve uma primeira liminar para permanecer até o final do ano explorando os polos. Depois, com um agravo, o Daer conseguiu reverter a decisão. Agora, na análise do mérito, prevaleceu o entendimento da empresa, que considera equivocada a decisão do Piratini de terminar as concessões no primeiro semestre de 2013. Inicialmente, a interpretação era de que as concessões somente encerrariam no segundo semestre do ano, entre junho e dezembro. Em outras ações, a Coviplan cobra indenização do governo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Ainda não jornaleiro, digo, editor, só acaba quando transitar em julgado em última instância, que não é o TRF.

Anônimo disse...

Políbio,

Pobre Imperador "Tarso I", o Covarde, achou que estava em Cuba ou Venezuela!!

Nem agora e nem NUNCA, viu Tarso!!!

JulioK

Luiz Vargas disse...

O governo de papel e tabajara do peremPTório embu$teiro a cada dia que passa se desmancha no ar.
No Correio do Povo de hoje, na coluna da jornalista Taline Oppitz, havia uma nota sobre a ida do governador de fato, o cumpanhero Pestana, a Brasília para insistir com o ministro dos transportes a se fazer presente em Carazinho.
O final da nota desnuda, de maneira clara, a real intenção destes quadrilheiro$.
A real intenção deste bando de mamadores e incompetentes é a criação do factóide "fim dos pedágios".
Eles sabem e contam com isto: que entre os trâmites burocráticos e a justiça se pronunciar leva algum tempo e aí as eleições de 2014 já terão passado e o ganho eleitoral já foi faturado. Após isto, até os pedágios podem voltar.
Esta é a real intenção destes quadrilheiro$ carreiri$ta$ e para$ita$, que se nutrem das instituições e dos recursos do Estado. Não há o mínimo plano de governo e projeto de desenvolvimento para o Estado na mente destes crápulas. O povo é um mero detalhe a ser engambelado, iludido e passado para trás.
Projeto de governo não existe. O projeto que existe é o projeto de poder a qualquer preço e a qualquer custo, e isto pode incluir inclusive a quebra do Estado.
Ninguém se deu conta da data escolhida para o factóide, então faço a pergunta e a respondo:
POR QUE A DATA ESCOLHIDA FOI O DIA SEIS DE MARÇO???????
Respondo:
Há estratégia e método na escolha da data.
No dia seis de março o peremPTório embu$teiro fará 66 anos (faltou um seis para o número da besta 666, na Bíblia não consta, mas agora sabemos que também existem bestas com só dois seis). O ano também traz significado na escolha: dois mil e TREZE. SEIS de março de dois mil e TREZE. Entenderam?

Anônimo disse...

Quem vai a Caxias do Sul, há uma ponte antes da entrada a Sao Sebastiao do Caí que está há meses com problemas. A soluçao dada pelo pedágio do Governo foi interditar uma das faixas da ponte. Quem desce de Caxias do Sul ä noite quando se depara com a diferença de sinalizacao entre o pedágio privado e o público, fica assustado. Em noites de chuva fica inviável dirigir no trecho Sao Vendelino-Portao, devido ä reduzida sinalizaçao, além das poças de água. O pedagio privado Caxias-Sao Vendelino, também nao é nenhuma maravilha. Apesar de muito bem sinalizada a estrada apresenta muitos buracos.