Artigo, Demi Getschko - O Espírito da Rede (Internet)

* Clipping O Estadão, Demi Getschko

A internet na versão que conhecemos, que usa o conjunto de protocolos TCP/IP, completará 30 anos em 1.º de janeiro de 2013, daqui a poucos dias. O Departamento de Defesa dos EUA (DoD) havia estabelecido janeiro de 1983 como data-limite da migração da Arpanet para o TCP/IP. E exatamente do nome desse protocolo, Transmission Control Protocol/Internet Protocol, é que derivou o nome da rede toda: internet.

A Arpanet desenvolveu-se com recursos do DoD, o que nos levaria a pensar em inspiração puramente militar. O que se esquece é que os envolvidos em sua criação, pesquisadores provenientes da melhores universidades na área de tecnologia (MIT, UCLA, SRI, UCSB, Utah), compartilhavam ideias libertárias dos anos 70, como livre cooperação, compartilhamento e autonomia. E elas se somavam a requisitos de solidez para o projeto Arpanet, como não haver pontos únicos de falha: "Nada que tenha um 'centro de controle' é suficientemente resistente em caso de problema técnico ou de ataque". Chegou-se a uma concepção de rede distribuída, sem controle central, em que a adesão era espontânea e voluntária.

Assim nasceu a internet. Sem uma "chave de desligamento" central, sem um ponto vulnerável específico e sem um "centro de controle", integrada pelas redes autônomas que aceitassem seguir seus padrões tecnológico, mas sem terem de abdicar de sua administração própria e específica.
CLIQUE AQUI para ler tudo.

3 comentários:

Unknown disse...

Este caboclo acredita em Coelhinho da Pascoa, ne? Entao os irmaos do norte, socialistas como so eles, "investiram" bilhoes de dolares para "agradar" a humanidade? E isto que este caboclo, pararece-me, nao cheirou nada. O Pentagono nao utiliza as informacoes, que transitam pela rede, pra nada? Manda este "deformador de opiniao", caro jornaleiro, esperar na janela de casa a chegada do Papai Noel. Nao esqueca?

Anônimo disse...

ai Polibio, arranjastes um novo encosto para esse 2013, hein?

o cara usa a internet, uma invenção americana, para falar mal dos americanos...

kkkkkkk...

o Daniel sumiu, deve ter sido "promovido"...

agora deixaram esse outro encosto ai no lugar dele...

Anônimo disse...

Belo exemplo de cooperação entre governo e inciativa privada, num ambiente de liberdade e respeito pelos valores dos dois lados. E o exemplo vem, mais uma vez, do demonizado império norte-americano.

Uma realização como a internet só pode prosperar e ser usada num quadro de respeito à pesquisa e liberdade de empreendimento. Um bolivariano do século XXI não consegue entender tudo isto e não consegue fazer nada igual, pois lhe falta inteligência e lhe sobra truculência.

Fica aí o registro - Viva a internet, viva a liberdade, viva a tecnologia e viva o capitalismo.

Sds