Comércio oportunista exporta sucata, troca por barras de aço e faz competição desleal com siderúrgicas brasileiras

 - Mais uma de um grupo que não investe em desenvolvimento de tecnologia no país, faz o preço que quer dos produtos que vende e desta forma prejudica as forjarias brasileiras com custos exageradamente alto das matérias-primas. Empresas vendedoras (comerciantes) de aço no Brasil importam barras de aço da Itália (produzidas com nosso minério), pagam 36% de taxa de importação e vendem 15% mais barato  que as siderúrgicas instaladas no país maravilha (com mão-de-obra barata, energia barata e matéria-prima barata).

* Clipping Folha de S. Paulo

Exportação de sucata divide siderúrgicas e sucateiros
TATIANA FREITAS - DE SÃO PAULO

Siderúrgicas e sucateiros estão em pé de guerra. O último capítulo da estremecida relação entre fornecedores e compradores de sucata é o pedido, apresentado pelas usinas, para taxar as exportações da matéria-prima usada na produção de aço.

A proposta do Instituto Aço Brasil, levada ao Ministério do Desenvolvimento, é impor restrições às exportações de sucata quando os países de destino adotarem prática semelhante com o Brasil.
Esse grupo, que inclui países como China e Índia, responde por 72% das exportações brasileiras de sucata.
Em um momento de altos estoques, os processadores de sucata dizem que o pleito, se atendido, poderá representar o fim de um setor formado por cerca de 3.000 pequenas e médias empresas e 1,5 milhão de pessoas.

André de Almeida, diretor jurídico do Inesfa (Instituto Nacional das Empresas de Sucata de Ferro e Aço), afirma que a taxação das exportações vai aumentar a oferta de sucata no mercado interno e reduzir os seus preços.

Como os valores já estão de 30% a 40% abaixo dos praticados no mercado externo, segundo os sucateiros, uma queda drástica nos preços pode inviabilizar a atividade. "O setor está ameaçado de extinção", afirma Almeida.

"As usinas nacionais querem ter mercado cativo de matéria-prima, algo que nenhum setor do Brasil tem."

CLIQUE AQUI para ler tudo. A reportagem é bem completa.

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom! Que se matem. É incompetência de todos os lados, inclusive e principalmente dos governantes.

Chamem o Dr. Jorge e o consultor Falconi para nos salvar.

Sds

Anônimo disse...

"As usinas nacionais querem ter mercado cativo de matéria-prima, algo que nenhum setor do Brasil tem."

A PETROBRAS não tem mercado cativo de matéria-prima? Favor explicar.

Anônimo disse...

Se taxar as exportações de sucata, as empresas sucateiras deixam de exportar, e ficam dependentes das siderurgicas e seus preços, com isso quem sofre no final das contas é o catador inicial, ....estou certo??