Denúncia do ex-chefão do Dnit revela crime eleitoral na campanha de Dilma Rousseff

Além de crime eleitoral, houve também crimes de tráfico de influência e peculato nas ações do ex-diretor Geral do Dnit, Luiz Pagot, que usou o cargo para arrecadar R$ 5,5 milhões com 12 empreiteiras para a campanha de Dilma Rousseff.

. O editor apurou que o DEM analisa desde esta terça-feira as denúncias feitas na CPI do Cachoeira e poderá representar contra a presidente na Justiça Eleitoral.

. O representante do DEM na CPI é o deputado gaúcho Onyx Lorenzoni.

. As empreiteiras peitadas por Luiz Pagot foram as seguintes:
Carioca Engenharia, Concremat, Construcap, Barbosa Melo, Ferreira Guedes, Triunfo, CR Almeida, Egesa, Fidens, Trier, Via Engenharia e STE Engenharia.

- O depoimento de Luiz Pagot foi insólito por quatro razões: 
1) Ele confessou ter usado o cargo, com conhecimento do governo, para arrecadar para a campanha de Dilma Rousseff. 
2) O dinheiro – R$ 5,5 milhões – foi entregue ao tesoureiro da campanha, José Fillipi, mas não se sabe se foi contabilizado. 
3) Luiz Pagot recebeu cópias dos recibos de doação, para comprovar o “favor”. 
4) Todas as empreiteiras doadoras foram beneficiadas com contratos do Dnit.

3 comentários:

Anônimo disse...

impeachment NELA!

Anônimo disse...

impeachment JÁ!!

Anônimo disse...

Que impeachment o quê, a mulher só usa vermelho fogo dos infernos, tem o pé preso com o coisa ruim, e não vai sair de lá nem com banda de música, nem que a vaca muja e o porco tuça, hehehehehehe