Dica de humor - Eduardo Leite vira protagonista de cena de Sucupira

É cena de Sucupira, escreve, hoje, o jornalista Flávio Pereira, O Sul, ao comentar o que acontece em Canoas, RS (leia nota abaixo), mas cenas de Sucupira também já são comuns no RS de Eduardo Leite.

"O cúmulo da palhaçada !", diz, indignado, o cidadão que gravou o vídeo que vai no link a seguir, ao filmar cenas inacreditáveis de um carro dos Bombeiros do RS, custodiado por forte aparato de carros da Brigada, "apagando a poeira" da estrada de chão batido que liga à novíssima Penitenciária Charqueadas II, inaugurada ontem com pompa e circunstância pelo governador Eduardo Leite.

As cenas mostram a ridícula cena do "apagamento da poeira", tudo para permitir que o carro do governador Eduardo Leite passasse sem ofender sua delicada respiração.

Ops !

A Rádio Charqueadas, de Gerson Galvão de Barros Filho, repercutiu tudo durante toda a sua programação jornalística de ontem e de hoje, gerando uma onda de protestos.

A estrada de chão batido também registra muitos buracos, mas neste caso não foi providenciado nenhum caminhão especializado.

CLIQUE AQUI para ver o vídeo.

14 comentários:

Anônimo disse...

Absurdo isso, bombeiros gastando combustível pra molhar a estrada empoeirada só pra não estragar o penteado do governador. Semana passada havia um alagamento intransponível na mesma estrada e nenhum bombeiro foi resgatar os funcionários dos presídios, ficaram literalmente à deriva naquela situação.

Anônimo disse...

"Dica de Humor" foi eleito pelos gaúcho mesmo conhecendo o histórico dele.

Anônimo disse...

Odorico Paraguassu foi inaugurar sua obra. Esse rapaz é ridículo, mentiroso, falso, narcisista , e AGORA, sensível a poeira. VTC.

Anônimo disse...

Quem sabe em 2026 os idiotas votam nessa nulidade para senador ? Não é de duvidar.

Anônimo disse...

Piauí do Sul merece!!!!

Anônimo disse...

Aguardem Queiroz e Cid.

Anônimo disse...

Por anos presos ficavam acorrentados dentro das viaturas, na rua, no Palácio da Policia, por falta de vagas em presídios. Leite inaugura um presídio com 1600 vagas mas o povo da destaque ao ato de um bajulador que mandou molhar a estrada de terra.

Anônimo disse...

Bom era no tempo do Sartori...
https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2016/10/presos-esperam-dentro-de-viaturas-da-pm-por-vagas-em-presidios-no-rs.html

Anônimo disse...

O editor é de tanta baixaria explícita,que comenta Sucupira,mas nega comentar a magnífica prisão de alto gabarito,que tem sido motivos de grandes preocupações públicas ou seja,a capacidade esgotada de nossas prisões.
E a claque babosa do gado bolsonarista o acompanha sem contraditar,pois todos hipócritas o bastante pra passar vergonha.

ANTI PETRALHA disse...

QUE FRESCURA TCHÊ!
UM PELOTENSE GAY ASSUMIDO TEM POEIROFOBIA!!!!!!
ACHEI QUE FOSSE SÓ FOBIA A MULHERES!!!!

Anônimo disse...

Se é assim pra poeira, imagine a choradeiraa que foi qdo sujou o tenizinho no barro qdo, certamente a contragosto, vou verificar in loco a situação das cidades inundadas.

Carlos Edison Domingues disse...

POLÍBIO A providência adotada pelo Corpo de Bombeiro está correta. A inauguração de um presidio, com a presença do governador é um acontecimento que atrai representante dos três poderes, classe política e empresários de uma região, além da outras pessoas da sociedade. Todos em automóveis, se deslocando na mesma direção em estrada de chão batido. Não faz muito tempo, quando um acadêmico de direito, que trabalhou no meu escritório, já tendo retornado para Alegrete me telefonou, chorando, para informar que estava junto ao corpo do pai que, numa estrada de terra batida, ao cruzar com um caminhão, que vinha em sentido oposto, levantando muito pó, o veículo do pai chocou-se com uma caminhonete quando esta tentou ultrapassar o caminhão, passando para a contramão e sem visibilidade no exato momento do cruzamento do caminhão com o automóvel do pai deste colega. Carlos Edison Domingues

Anônimo disse...

Baita obra e o editor senil repercute a poeira. Que ciume doentio esse. Nossa!

Anônimo disse...

Quando a gente um lê um texto cheio de ironia e reclamação ele anuncia de longe a mente do autor. Polibio, começa a olhar o copo meio cheio e reconhecer que o Governo Leite é bom.