Grã Bretanha, como a Alemanha, desautoriza e humilha o francês Macron

O novo primeiro-ministro britânico Boris Johnson seguiu a toada de Angela Merkel e acaba de desautorizar o presidente francês Emmanuel Macron nasua rusga com o Brasil.

O inglês não quer que o G7, reunido hoje em Biarritz, meta o bedelho no caso.

E não quer, sobretudo, que o francês vincule a Amazônia com o acordo comercial entre UE e Mercosul.

Macron está sendo desautorizado e humilhado no seu próprio quintal, Biarritz.

15 comentários:

Anônimo disse...

A Grã-Bretanha está tendo problemas com o bufão francês por causa do Brexit, mas mesmo assim não contem com ela.
.
Trump também não vai com a cara do neo-Napoleão. Mas não contem com ele.
.
Nas relações internacionais, não há amizades, só interesses, que podem ser facilmente comprados ou trocados.

Alaor disse...

Vamos boicotar a França, nada de champanhe, neste natal vamos tomar espumante nacional.

Anônimo disse...

Quero aqui deixar meus agradecimentos à este idiota chamado Macron e, em especial à lesa-pátria Rede Globo, pois, ambos, junto com a mídia globalista internacional, mostraram claramente ao Brasil que o golpe colonialista engendrado sobre a Amazônia está em curso, cujo ápice será em outubro com o Sínodo da Amazônia, conluio entre o Bispo Bergólio e a trupe dos bispos comunistas da CNBB. Isto permitiu que nossas FFAA despertassem da letargia e passe a ocupar efetivamente a NOSSA Amazônia.
Lamentável é ver a quantas chegou a lavagem cerebral de grande parte do povo brasileiro onde não consegue discernir que estamos diante de uma guerra de informações e manipulação de massas.

Anônimo disse...

acabou a hegemonia da esquerda!

eles não entenderam isso ainda!

acabou!

agora tem combate, tem enfrentamento, tem outro lado, tem outra opinião, tem outro ponto de vista...

o outro lado, finalmente, se levanta...

Anônimo disse...

O que é a permissão de viagem que a Europa exigirá de brasileiros a partir de 2021:

24 AGO 2019 - Portal Terra

Os brasileiros que fizerem uma viagem de turismo, negócios, para cuidados médicos ou simplesmente precisarem de uma conexão na Europa vão precisar de uma nova permissão da União Europeia (UE).

A partir de 2021, alguns países da Europa passarão a exigir permissão de viagem para brasileiros

Além do Brasil, outros 14 países da América Latina estão na lista deste novo requisito, que o bloco europeu insiste em dizer que não é um visto, e que entrará em vigor no final de 2021, após ter sido aprovado pelo Parlamento e pelo Conselho Europeu.

Ele é chamado de Sistema Europeu de Informações e Autorização de Viagem (Etias, na sigla em inglês), uma autorização que os viajantes devem processar eletronicamente ao fazer seus planos de viagem para o chamado Espaço Schengen.

São 26 países entre os quais estão os destinos europeus mais populares, como Espanha, França, Itália, Alemanha, Holanda, Bélgica e Grécia.

Até o momento, o Reino Unido continua a fazer parte da União Europeia, mas não do espaço Schengen, e tem suas próprias regras de visto para visitantes estrangeiros.

Hoje, os cidadãos de países da América Latina que não precisam de visto para viajar para o Espaço Schengen podem viajar livremente entre esses países.

A entrada em vigor do Etias não altera o trânsito livre, mas será um requisito obrigatório para entrar neste espaço.

Já os cidadãos de países latino-americanos que atualmente precisam pedir visto - como Bolívia, Cuba, República Dominicana e Equador - continuarão a ter de cumprir a mesma exigência....

Anônimo disse...

Ftancesinho metido a galo.Baita imbecil.

Anônimo disse...

Grande coisa.....o Macron tem como forte aliado, o PT(partido do trambique), PCdoB, PSOL, etc e por aí vai, só gente democrática.

Anônimo disse...

New York Times vê reputação ambiental do Brasil “desmoronando” sob Bolsonaro:

24 ago 2019

Da Gazeta do Povo:

Em reportagem publicada neste sábado, o jornal The New York Times destacou que o tamanho das queimadas neste ano na Amazônia é o maior desde 2010. “O número de incêndios na Amazônia até o momento neste ano, 40.341, é o maior desde 2010 e cerca de 35% maior que a média dos oito primeiros meses do ano”, informa o jornal.

A reportagem aponta ainda que o “desastre ecológico da Amazônia” se transformou em uma crise política global. O NYT relata que a atenção internacional está voltada ao Brasil, também pelo fato do País ser líder em aliar proteção ambiental às florestas tropicais e desenvolvimento econômico. “Essa reputação suada vem desmoronando na era de Bolsonaro”, pontua a reportagem.

Para o periódico norte-americano, é “improvável” que o plano do governo federal possa resolver a “crise subjacente sem uma mudança em suas políticas ambientais”. O artigo afirma que as políticas da atual gestão federal “encorajam mineradores, madeireiros e agricultores a desmatar e queimar áreas protegidas com um senso de impunidade”.

(…)

Anônimo disse...

Petralha 17:37 vais deixar os nervos do Bolsonaro em frangalhos, pois ele nunca imaginou que um tradicional jornal comunista tão sério e idôneo fosse criticá-lo desta forma!
Agora conte a do papagaio ou a do Lula, que é a mesma coisa!

Unknown disse...

Ninguém vai manipular o brasileiro. Apoio a bolsonaro

Anônimo disse...

Esse nanico tarado por véia tem que se danar! Tá pensando o quê? Ele e os franceses que vão tomar banho, ao menos duas vezes por semana

Anônimo disse...

Esse é flor de relaxado

Anônimo disse...

Os nazipardos tupiniquins quebraram os pratos com o nazibonaparte

Anônimo disse...

Esse francesinho de punhos de renda não me engana.

Anônimo disse...



Mas é ridículo verificar o número de otários que se fantasiaram de ecologistas e saíram nas redes sociais dizendo todo o tipo de besteira!!

O número de trouxas neste país é digno de recorde GUINNNESS!