Jerônimo Goergen quer acabar com privilégios de assentados do MST no curso de agronomia da UFFSul

A turma de 2018 dos graduados em Agronomia da Universidade Federal da Fronteira Sul, RS (foto ao lado) pelo convênio com o Pronera, intitulou-se "Hugo Chavez". Foram 44 graduados. O curso é fortemente cadenciado por conteúdos didáticos de caráter comunista.

O deputado Jerônimo Goergen disse ontem ao editor que protocolou na Comissão de Educação da Câmara um requerimento para fiscalizar e controlar o Programa Nacional de Educação na Reforma Atgrária, que acertou parceria com a UFFSul, tudo visando acabar com tudo.

É que a parceria permite que o Instituto Educar, escola de ensino superior e técnico mantida pelo MST, matricule assentados e filhos de famílias beneficiadas pela reforma agrária, tudo na Uffsul, sem passar por qualquer vestibular.

É tudo mantido com dinheiro dos contribuintes.

O deputado acha que isto favorece um grupo específico em detrimento dos demais alunos brasileiros.

12 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, o governo precisa passar o olho no FIES, a inadimplência está altíssima, precisa tapar esse ralo.

luiz disse...

Olha, na verdade o MEC tem que extinguir simplesmente estas universidades do PT, criadas nos anos do Lula e da Dilma...pode privatizar também.O contribuinte não tem que sustentar marmanjo, principalmente estes ligados à milícias...!!!

Anônimo disse...

Há algumas décadas atrás existia o que as esquerdas chamavam de lei do boi e que favorecia a entrada de filhos de agricultores nas faculdades de Agronomia,era uma forma de manter produtores atualizados e manterem seu vínculo com o campo. Era gente que amava a terra. Agora estão sendo favorecidas pessoas que nunca amaram a terra deles, apenas amam invadir a terra dos outros e são meros mercenários, portanto vamos acabar com a lei dos invasores, é uma simples reciprocidade! Universidade só por méritos, não por blá, blá, blá, ideológico.

Anônimo disse...

Boa!

Emmanuel Carlos disse...

Positivo.

Anônimo disse...

INTERVENÇÃO MILITAR URGENTE NAS UNIVERSIDADES = TODAS.

BOLSONARO E EQUIPE = BRASIL = ORDEM = PROGRESSO

Anônimo disse...

Recordo que a Universidade Federal de Pelotas, também dirigida por petistas e simpatizantes, abria turmas especiais na agronomia e veterinária, destinadas exclusivamente ao povo do MST e aqueles por ele indicados. Há que terminar com todos estes cursos de segunda ou terceira classe. Ingresso único para todos, com base no mérito, conhecimento e competência, sem cotas e sem turmas especiais para o MST !!!

Alaor disse...

E nesses anos de governo do PT eles devem ter formado agrônomos suficiente. Que comecem a produzir.

Anônimo disse...

Agrônomo petista só aduba paralisações e cospe em quem não concorda com eles. Me esqueci, produzem muito adubo, mas fedem tais quais seus pensamentos!

Anônimo disse...

Governadores de SP, RJ e Minas se descolam de Bolsonaro para ampliar base política:

24/03/2018 _ Blog do Esmael

Governadores que se elegeram fazendo campanhas alinhadas a Jair Bolsonaro têm adotado, neste início de mandato, posições mais pragmáticas, que se descolam do discurso e até do partido do presidente, o PSL. Doria (SP), Witzel (RJ) e Zema (MG) atuam na direção de novas alianças políticas, registra artigo do articulista Bernardo Mello Franco em O Globo. ...

Unknown disse...

"... instituto Educar, escola de ensino suoesupe e técnica, mantida pelo MST", pelo MST? Como assim? Esse movimento, sequer personalidade jurídica tem. De onde vêm seus recursos($$$)?
Meus parabéns, Deputado Jerônimo Goergen. Essas escolas, formam mais militantes, que técnicos.

ALMANAKUT BRASIL disse...

A guerra civil no Brasil está mais próxima e ninguém percebe.