PGR pede que STF enfie Zé Dirceu novamente na cadeia

A Procuradoria Geral da República decidiu recorrer da decisão monocrática de autoria do ministro Dias Toffoli, que mandou livrar o réu condenado e preso Zé Dirceu, líder inconteste do PT.

Zé cumpria pena por condenação a 30 anos de cadeia como corrupto, quando foi solto.

A PGR acha que a ordem de Dias Toffoli foi ilegal, o que é fato, porque ele ignorou jurisprudência do STF que autoriza prisão de réu com sentença confirmada em segunda instância.

8 comentários:

Anônimo disse...

Tem que ser criado um cadeião gigante,tipo um ginásio, e botar todos os petistas lá dentro,como nos campos de concentração nazista.Todos eles.É a única maneira de limpar o país da podridão,corrupção e impedir que a economia deixe de crescer e as reformas não sejam desfeitas pelo lula como ele prometeu.O Brasil precisa se desenvolver,séculos de atraso,e por azar ainda tem o partido do PT impedindo que o país vá pra frente e nossas vidas melhorem.Esta raça jamais vai deixar o Brasil crescer.Eles sempre vão ser amigos dos bolivarianos,ditadores...com certeza se o lula fosse hoje o presidente,ela teria saqueado tudo o que tem para dar para o Maduro.Teria raspado o BNDES,Caixa,Banco do Brasil,etc...assim que funciona a administração petista.Está nas células deles.Nasceram assim.O nosso azar é que nasceram aqui.Bota azar nisso.

Anônimo disse...

Está na hora de encerrar esta ação entre amigos..

aparecido furlaneto disse...

Os militares trucaram.. a segunda turma gritou SEIS....e vai ficar por iasso mesmo ????

Anônimo disse...

Dodge: processo contra procurador da Lava Jato, Carlos Lima é “censura prévia”

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, deu a entender que um processo contra o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato, é uma tentativa de “censura prévia“. A informação consta numa reportagem do Estadão Conteúdo no site da Veja.

Diz ela: “todas as vezes, em qualquer democracia, que se avança no sentido de estabelecer a censura prévia ou a inibição do direito de crítica assumindo que estão ofendidas pessoas que nem se manifestaram, podemos estar em um ambiente que acaba diminuindo o vigor da democracia liberal que este país assumiu e quer ser. E eu acho que cumpre a este Conselho Nacional zelar para que floresça e siga forte e vigorosa”. A afirmação foi feita durante uma sessão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), presidida por ela

A reunião começou a analisar uma ação disciplinar contra Carlos Fernando Lima em virtude de uma publicação feita pelo procurador em uma rede social. Lima afirmou que o presidente Michel Temer era “leviano, inconsequente e calunioso” ao insinuar que o antecessor de Dodge, Rodrigo Janot, pudesse ter recebido recursos ilícitos.

Segundo a reportagem, o processo disciplinar foi instaurado pelo corregedor do Ministério Público, Orlando Rochadel.
https://www.diariodocentrod...

Anônimo disse...

Líder do PT anuncia representação contra Raquel Dodge por prevaricação

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Lula Pimenta (RS), informou que o partido poderá protocolar, no STF, uma representação contra a procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, por prevaricação. A medida poderá ser efetuada se ficar definitivamente comprovado que a PGR deixou de investigar denúncias de tráfico de influência e outros crimes praticados por integrantes do Ministério Público que integram a Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz Sérgio Moro.
As denúncias foram feitas pela bancada à PGR em dezembro último e na quarta-feira (11) foram reiteradas pelo ministro Gilmar Mendes, durante sessão do STF. Porém, até agora nenhuma informação foi dada sobre eventuais providências acerca do pedido encaminhado pela bancada, com base em denúncias feitas pelo ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Durán, que apontou fortes indícios de crime no âmbito da Lava Jato, como tráfico de influência, falsificação de documentos e prevaricação.

No final de fevereiro, Pimenta e os deputados Wadih Lula Damous (PT-RJ) e Paulo Lula Teixeira (PT-SP) cobraram novamente, por intermédio do subprocurador-geral da República Carlos Alberto Vilhena, providências por parte da PGR. O líder do PT reclamou que o partido já tentou diversas vezes se reunir com Dodge para tratar da denúncia, mas nunca foi recebido pela procuradora-geral. O líder disse que será pedida, de novo, audiência com Dodge.
https://ptnacamara.org.br/p...

Anônimo disse...

PF ACUSA RAQUEL DODGE DE BLINDAR TEMER

A Polícia Federal solicitou à Procuradoria-Geral da República a quebra dos sigilos fiscal, bancário e telefônico de Michel Temer há dois meses, e ainda não obteve resposta da procuradora-geral, Raquel Dodge; a solicitação é relacionada ao inquérito que investiga o esquema nos portos, em que Temer é suspeito de favorecer empresas do setor; o pedido de quebra de sigilo fiscal, telefônico e bancário foi encaminhado à PGR quatro dias depois de o delegado responsável pelo caso, Cleyber Lopes, receber um relatório em que analistas da PF afirmaram ser "necessária" a quebra dos sigilos de Temer e de outros investigados

https://www.brasil247.com/p...

Anônimo disse...

Raquel Dodge pede ao STF arquivamento de investigação sobre José Serra

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento de uma investigação sobre o senador José Serra (PSDB-SP), baseada na delação dos executivos da J&F, grupo controlador do frigorífico JBS.

O inquérito surgiu de depoimento no qual Joesley Batista, um dos donos da empresa, disse que em 2010, o tucano pediu doação de R$ 20 milhões para sua campanha à Presidência da República.

Segundo o delator, somente R$ 13 milhões foram doados oficialmente; cerca de R$ 6,4 milhões teriam sido doados por meio de repasse a empresas que emitiram notas frias (sem prestação de serviços) e sem declaração na prestação de contas, o que configuraria o crime de caixa 2.

Em maio do ano passado, quando o caso veio à tona, Serra disse que suas campanhas foram conduzidas dentro da lei com finanças sob responsabilidade do partido e que nunca ofereceu contrapartidas por doações.

Ao pedir o arquivamento, Dodge considerou apenas que o crime já teria prescrito, isto é, não poderia mais ser punido em razão da demora para investigar e eventualmente denunciar o fato. Como o senador tem mais de 70 anos de idade, a prescrição ocorreu 6 anos após a campanha, em 2016.

“Ou seja, desde o requerimento de abertura de inquérito, o fato estava prescrito. Por evidente, não há como prosseguir com a investigação. Ante o exposto, manifesto-me pelo arquivamento do presente inquérito”, escreveu a procuradora.

(…)
https://www.diariodocentrod...

H. Romeu Pinto disse...

O petralha anônimo cara de pau, cínico e cafajeste, hoje resolveu tentar denegrir a imagem da procuradora da república. Mas vai te catar vagabundo, se eu fosse o Políbio censurava todas estas tuas postagens mentirosas. Perderam e ainda não se deram conta.