Unidade blindada do Exército também se subleva contra ditadura de Maduro

O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López (foto ao lado) admitiu esta tarde que neste domingo outra sublevação militar foi contida, desta vez na 41a Brigada Blindada do Exército, localizada em Valência, Estado de Carabobo.

A informação sobre a reação do governo bolivariano nãofoi confirmada.

O quartel principal foi tomado por grupos para-militares, sob o comando de um tenente.

Um vídeo foi gravado, conclamando apoio dos militares da Venezuela.

CLIQUE AQUI para ler a notícia completa no jornal El Universal.

23 comentários:

sempre mais disse...

PT, PCdoB,PSOL, PCB,PTdoB,REDE,PSB,PSDB,querem isso pro Brasil. Devem estar levando muita grana de G. soros. Engraçado é o povo vota neles e logo logo eles estão do outro lado. Ah, esqueci do tbm nefasto PDT.

Anônimo disse...

é o exercito venezuelano manchando sua historia por causa de um simulacro de tirano...

Anônimo disse...

Tudo começou dentro do Exército venezuelano, por causa de um certo coronel hugo chávez (em minúsculas).
Esse filho do capiroto deu muito status para os militares obedecerem cegamente as suas ordens.
Desgraçou toda a nação e deixou um sucessor.
Eita, lasqueira!
Só falta as greludas e seus cumpanherus corruPTos se juntarem aos diosdado cabello y otras criaturas que mandam nessa pobre nação.

Anônimo disse...

Que tipo de ditadura que é esta que permite liberdade de imprensa através deste jornal abertamente contra o governo?

Anônimo disse...

Não foi contida não. Pelas noticias de venezuelanos no tweeter, ninguém foi pego. Fugiram e parece que levaram armamentos.

Anônimo disse...

Não houve qualquer fraude ou ilegitimidade na eleição constituinte na Venezuela, diz jurista:

06/08/2017 - Sul 21 - Marco Weissheimer

Há um consenso tanto no Direito quanto na Ciência Política que os impasses profundos das sociedades modernas são resolvidos com a convocação pelo poder político originário de uma Assembleia Constituinte. Na Constituição da Venezuela há expressa previsão que permite ao presidente da República convocar, via eleições, o poder constituinte. Então, não há que falar em fraude nem em ilegitimidade do processo constituinte. (...)

Sul21: Qual sua avaliação, como observador internacional, do processo constituinte realizado na Venezuela?

Luiz Moreira: Há duas perspectivas a tratar. Em primeiro lugar, do ponto de vista eleitoral, trata-se de processo absolutamente consistente, inclusive muito mais moderno e avançado em termos tecnológicos do que o brasileiro. Toda urna é dotada de uma impressora, que fica no interior da urna eletrônica, que, após o voto do eleitor, imprime-o, permitindo que o cidadão o confira e o deposite em urna de papelão. Encerrada a votação, há auditoria, conferindo-se uma a cada sete urnas. Assim, a urna eletrônica, a ser auditada, emite relatório que será confrontado com os votos depositados na urna de papelão. Trata-se de sistema muito sofisticado, que desenvolveu mecanismos de segurança ao longo das 21 (vinte e uma) eleições que ocorreram na Venezuela, desde 1999, mecanismos que foram desenvolvidos para assegurar aos partidos políticos, em permanente disputa, a lisura do processo eleitoral.

Em segundo, do ponto de vista político, há uma profunda divisão no país. De um lado, a posição defendida pelo governo Maduro, que obteve vitória maiúscula, apesar do boicote da oposição ao processo constituinte, expressa com o voto de mais de 8 milhões de votos, em universo de 19 milhões de eleitores. Ocorre que o voto na Venezuela não é obrigatório e a atmosfera não era favorável ao comparecimento dos cidadãos, pois havia e há todo um ambiente de confronto que desestimulava o voto. De outro, a vitória da oposição nas eleições parlamentares de 2015 suscitava a perspectiva de sua ascensão ao poder Executivo. No entanto, sua vinculação à política de intervenção promovida pelos Estados Unidos e seus protestos violentos geraram a percepção que o desabastecimento da população é a forma política encontrada para desestabilizar o governo Maduro. Essa escolha política da oposição acabou por fortalecer o governo e parece ser a responsável pela legitimação da população ao processo constituinte.

Sul21: A oposição ao governo de Nicolas Maduro contesta a legitimidade do processo constituinte. Qual sua opinião sobre esse tema da legitimidade?

Luiz Moreira: O Poder Eleitoral da Venezuela, por intermédio do Conselho Nacional Eleitoral, realizou 21 eleições nos últimos 18 anos, inclusive a eleição de 2015, que resultou na maior derrota da situação desde a ascensão de Hugo Chavez. Então, não há que falar em fraude nem em ilegitimidade do processo constituinte. Por que? Porque é consenso tanto no direito quanto na ciência política que os impasses profundos das sociedades modernas são resolvidos com a convocação, pelo poder político originário, de uma Assembléia Constituinte. Na Constituição da Venezuela há expressão previsão que permite ao Presidente da República convocar, via eleições, o poder constituinte. Nesse caso, a reação é grotesca, pois os críticos do processo pregam justamente a preservação da Constituição de Hugo Chavez e o contorno à soberania popular. (...)

Anônimo disse...

ATÉ VEJA RECONHECE: GOVERNO TEMER APODRECEU:

Integrante da campanha midiática que redundou no golpe parlamentar de 2016, a revista Veja reconheceu, neste fim de semana, que o governo Temer, fruto desse processo, hoje governa com a "banda podre" do Congresso, cujo símbolo maior nesta semana foi o deputado Wladimir Costa (SD-PA), o da tatuagem em troca de favores; para a revista, a crise continua com Temer e, segundo a colunista Dora Kramer, a vitória do Palácio do Planalto é de fôlego curto – uma vez que Temer não terá munição para conter as próximas denúncias que virão da Procuradoria-Geral da República.

5 DE AGOSTO DE 2017

247 – O Brasil passou a ser governado pela "banda podre" do Congresso Nacional, ou seja, pelos parlamentares corruptos do chamado Centrão e de outras legendas.

A tese é da própria revista Veja, integrante da campanha midiática que redundou no golpe parlamentar de 2016.

Para a revista, a crise continua com Temer e, segundo a colunista Dora Kramer, a vitória do Palácio do Planalto é de fôlego curto – uma vez que Temer não terá munição para conter as próximas denúncias que virão da Procuradoria-Geral da República.

O colunista Roberto Pompeu de Toledo ironiza ainda o fato de o PSDB ter se misturado com o Centrão e lembra que vários parlamentares dessa "banda podre" fizeram questão de frisar estarem votando no "relatório do PSDB".

Só lembrando, Temer foi salvo por um relatório produzido por um parlamentar subordinado ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), o deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG).

Ou seja: o PSDB também virou Centrão e hoje é parte da banda podre do parlamento.

Anônimo disse...

TEMER JÁ COMEMORA A SAÍDA DE JANOT DA PGR:

Poucos dias depois de se safar da denúncia de corrupção passiva na Câmara dos Deputados, numa operação que custou R$ 13,4 bilhões ao País, entre emendas e outros favores aos parlamentares, Michel Temer já comemora, por antecipação, a saída de Rodrigo Janot da procuradoria-geral da República em setembro; segundo Temer, ao denunciá-lo, assim como a outros integrantes de seu governo, Janot agia como político; "Lamento é que ele, a todo momento, anuncie que vai fazer uma nova denúncia, baseada nos mesmos fatos. É um gestual político, institucionalmente condenável"; Temer também disse que a sucessora de Janot, Raquel Dodge, dará o "rumo correto" à Lava Jato; será que a sangria foi estancada?

5 DE AGOSTO DE 2017

247 – Aparentemente, Michel Temer conseguiu estancar a sangria da Operação Lava Jato. Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, seu mais fiel aliado na mídia, ele já comemora, por antecipação, a saída de Rodrigo Janot da Procuradoria-Geral da República.

Segundo Temer, ao denunciá-lo, assim como a outros integrantes de seu governo, como Eliseu Padilha e Moreira Franco, Janot agia como político.

"Sabe quando o procurador fez isso, embora esse processo esteja correndo há três anos? Às vésperas da votação do Congresso, o que está a significar que, na verdade, ele passou a ter uma atuação muito mais de natureza política, e quase pessoal, do tipo 'quero ver qual é o time que ganha', e não a sua função institucional. Não se trata de disputas pessoais. Nem ele deve ter disputa pessoal com o presidente da República, muito menos eu terei com ele. Jamais lhe daria essa satisfação. Lamento é que ele, a todo momento, anuncie que vai fazer uma nova denúncia, baseada nos mesmos fatos. É um gestual político, institucionalmente condenável", disse Temer.

Janot alega que investiga fatos – e não pessoas – e lembra que as provas do caso JBS, como as malas de dinheiro entregues a Rodrigo Rocha Loures e prepostos do senador Aécio Neves (PSDB-MG), são irrefutáveis. E Temer não menciona que sua salvação custou R$ 13,4 bilhões ao País, em favores aos deputados.

Temer disse ainda que vai seguir com suas reformas, rechaçadas por uma população em que só 4% o apoiam, e prevê que terá o apoio do PSDB. "Mas será que eles votam contra o Brasil? Eu não acredito que eles votem contra o Brasil", afirmou.

Ele também disse não temer as delações de Lúcio Funaro e Eduardo Cunha. "As pessoas estão cansadas disso. Primeiro, não conheço Lúcio Funaro, segundo, não sei o que ele vai dizer. Portanto, não posso falar sobre hipóteses. Não tenho nenhuma preocupação com isso. Eduardo Cunha, sim, foi líder do PMDB, foi presidente da Câmara. Às vezes me perguntam, como é que você falava com ele? Meu Deus, estou falando com o líder do PMDB, com o presidente da Câmara... E eu não devo falar com ele?", questionou. (...)

PS: Se está festejando é porque a Lava Jato Brasilia vai parar, já a Lava Jato "sector Curitiba", no que tange ao PT, lula e dilma continua a mil.

Anônimo disse...

Enquanto o editor e os neonazistas do blog viajam na maionese, digo, viajam pela venezuela poem debaixo do tapete os graves problemas do Brasil e dos desmandos do Temerário/PMDB/PSDB/PP/PRB, ou sejaa, o centrão, cujo líderes são aécio e bolsonaro......

CHEFE DO EXÉRCITO VAI ÀS REDES E CRÍTICA CAOS FISCAL DE TEMER E MEIRELLES:

O general Eduardo Villas Boas, comandante do Exército, usou seu perfil no Twitter para criticar o aperto orçamentário que a força terrestre está sofrendo; a instituição está enfrentando um grave contingenciamento de recursos que, segundo fontes militares, está praticamente paralisando os programas estratégicos do Exército, como o Sisfron, sistema de vigilância de fronteiras; contingenciamento de recursos é resultado do caos econômico de Henrique Meirelles e Michel Temer: enquanto Meirelles produziu um rombo anual de R$ 160 bilhões e estourou a meta, Temer gastou R$ 13,4 bilhões só pra se salvar; com isso, governo agora é obrigado a cortar em serviços básicos, como a defesa do País.

4 DE AGOSTO DE 2017

247 - O comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, usou as redes sociais para criticar o aperto orçamentário que a força terrestre está sofrendo. A crítica foi feita nesta quinta-feira, 3, em seu perfil no Twitter. Os recursos hoje disponíveis nos caixas do Exército são suficientes para que se chegue apenas até o mês de setembro.

“Conduzo seguidas reuniões sobre a gestão dos cortes orçamentários impostos ao @exercitooficial. Fazemos nosso dever de casa, mas há limites”, disse o general no microblog, ao falar sobre as dificuldades que a instituição está enfrentando e o grave contingenciamento de recursos que, segundo fontes militares, está praticamente paralisando os programas estratégicos do Exército, como o Sisfron, sistema de vigilância de fronteiras.

A principal queixa dos militares é de que o governo federal impõe seguidas missões ao Exército em todas as áreas, mas a equipe econômica não repassa os recursos necessários para o desempenho dos trabalhos. A última delas foi no Rio, com uma nova ida de tropas para as ruas, para tentar oferecer segurança à população.

As informações são de reportagem de Tânia Monteiro no Estado de S.Paulo.

PS1: Bom sinal, até o EB já está perdendo a paciencia com O traíra. Caminho para Lula2018 está bem pavimentado. Agora é administrar os fracassos das panelas e esperar 2018 com paciência.

Anônimo disse...

AS IMAGENS DA PROPINA DE AÉCIO, LÍDER DO GOLPE:

A revista Época publica, nesta sexta-feira, as imagens da propina de R$ 2 milhões paga pela JBS ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), que perdeu as eleições de 2014, mas assaltou o poder ao liderar o golpe de 2016, em parceria com Eduardo Cunha e Michel Temer; foram três pagamentos de R$ 500 mil para Aécio, entregues pelo ex-diretor da JBS Ricardo Saud ao primo de Aécio, Frederico Pacheco; Aécio, na prática, hoje governa o Brasil, pois indicou quatro ministros e o presidente da Petrobras, Pedro Parente; foi também ele quem orientou um aliado, o deputado Paulo Abi-Ackel a produzir o parecer que salvou Temer; novo pedido de prisão de Aécio, feito pelo procurador geral Rodrigo Janot, deve ser julgado em breve, pela 1ª Turma do STF; as imagens são chocantes.

4 DE AGOSTO DE 2017

247 - A revista Época publica, nesta sexta-feira, as imagens da propina de R$ 2 milhões paga pela JBS ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), que perdeu as eleições de 2014, mas assaltou o poder ao liderar o golpe de 2016, em parceria com Eduardo Cunha e Michel Temer.

As fotos registram a organização e o empacotamento dos R$ 2,4 milhões em cash entregues a prepostos de Michel Temer, do senador Aécio Neves e do doleiro Lúcio Funaro.

"ÉPOCA reconstituiu a cena por meio de gravações autorizadas pela Justiça (ouça um dos áudios) se de entrevistas reservadas com participantes da ação controlada. Reconstituiu, também, as outras quatro entregas de dinheiro vivo acompanhadas pela PF entre abril e maio deste ano, na Operação Patmos, resultado das delações dos executivos da JBS. Os cinco pagamentos somaram R$ 2,4 milhões. Foram três entregas de R$ 500 mil destinadas a Aécio, uma de R$ 400 mil destinada ao doleiro Lúcio Funaro e, por fim, uma de R$ 500 mil destinada ao presidente Michel Temer - aquela da mala preta com rodinhas, que cruzou velozmente as calçadas de São Paulo graças às mãos marotas de Rodrigo Rocha Loures, o "longa manus" do peemedebista, nas palavras da Procuradoria-Geral da República.

O empresário Frederico Pacheco, o Fred, primo de Aécio, foi quem recebeu as três malas com R$ 500 mil em propina ao senador tucano, segundo as delações da JBS. "Começou no dia 5 de abril, voltou no dia 12, já sob monitoramento da PF, e manteve o cronograma nas semanas seguintes: encontrou Saud, no mesmo local, também nos dias 19 de abril e 3 de maio. Cumpria a tarefa enquanto o Brasil conhecia o teor das delações da Odebrecht; enquanto o país assistia aos depoimentos do executivos da empreiteira, que tanto incriminavam Aécio. 'Eu durmo tranquilo', disse Fred no segundo encontro, logo após racionalizar os crimes que cometia como um ato isolado, que não o definia. 'Se eu te contar uma coisa você não vai acreditar: a única pessoa com quem eu tratei em espécie foi você. A única pessoa que pode falar de mim é você'. Saud deixou-o à vontade para desabafar. 'Como é que eu não faço? Tenho um compromisso de lealdade com o Aécio', disse o delator da JBS.

PS: Sempre a midia marrom glace querendo "acochambrar" os problemas do temerário e do aécio, com noticias do pais vizinho.

Anônimo disse...

MAIOR JORNAL ALEMÃO FALA EM 'GOLPE DE TEMER':

Jornal Frankfurter Allgemeine traz nesta sexta-feira, 4, reportagem em que explica que Michel Temer salvou sua pele na Câmara em um ritual com direito a socos e gritos e manteve o resultado dentro das expectativas; texto destaca a explícita compra de votos de deputados por meio de liberação de emendas parlamentares; "Isto não é ilegal, mas um componente central do sistema de jogo político parlamentar no Brasil - e não só lá", diz o texto, assinado pelo correspondente Matthias Rüb; em outro texto, o jornal fala que a continuidade de Temer significa que prossegue a mesma casta política envolvida em corrupção.

4 DE AGOSTO DE 2017

247 - O jornal alemão Frankfurter Allgemeine traz nesta sexta-feira, 4, dois textos sobre a vitória de Michel Temer, que conseguiu apoio da Câmara para enterrar as investigações que pesam contra ele por corrupção passiva.

Intitulado "O Golpe de Temer", o texto explica que Temer salvou sua pele em um ritual que aconteceu entre socos e gritos e manteve o resultado dentro das expectativas, com a continuidade dos patrocinadores atuais do sistema. O líder político brasileiro declarou que segue na tentativa de tirar o país da pior recessão de sua história.

O pedido do Ministério Público Federal para a investigação foi revogado. Ao final das votações nominais, apenas 227 votos foram dados para encaminhar a denúncia contra Temer ao Supremo Tribunal. O jornal destacou que 263 deputados votaram a favor do fim prematuro do processo penal contra o chefe de Estado.

Em numerosos almoços e jantares em sua residência, Temer fez promessas abrangentes em apoio a certas iniciativas legislativas de alguns políticos, incluindo a liberação dos recursos do orçamento federal. "Isto não é ilegal, mas um componente central do sistema de jogo político parlamentar no Brasil - e não só lá", diz o texto, assinado pelo correspondente Matthias Rüb. "Se Temer ainda tem a estatura política apesar de seu sucesso recente, deve continuar seu trabalho como presidente pró-reformas".

Em outro texto, mais opinativo, o jornal fala que a continuidade de Temer significa que prossegue a mesma casta política envolvida em corrupção, mas também segue o ministro Henrique Meirelles, que hoje tem a integridade que o chefe político brasileiro não desfruta.

PS: Essa é uma análise do Traíra do ponto de vista internacional, já a midia tupiniquim prefere escrever sobre a Venezuela, ou seja, igual avestruz "poe a cabeça no buraco" para não ver o resultado do golpe patrocinados por ela.

Anônimo disse...

MAIS UMA REBELIÃO DE MILITARES SENSATOS E PATRIOTAS .!!!

Anônimo disse...

FACHIN INCLUI PROPINA DA JBS A CORONEL LIMA EM INQUÉRITO CONTRA TEMER:

Ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, acatou pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para incluir em um inquérito que investiga Michel Temer depoimento do executivo da JBS Florisvaldo Caetano de Oliveira; segundo Janot, a mando do diretor da J&F Ricardo Saud, Florisvaldo entregou R$ 1 milhão no escritório do Coronel Lima, amigo e apontado como operador de Temer; negociação, segundo o delator, ocorreu em 2014, época em que Temer era vice-presidente e presidia o PMDB.

4 DE AGOSTO DE 2017

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, acatou um pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para incluir em um inquérito que investiga o presidente Michel Temer na corte um depoimento feito por um delator do grupo J&F que pagava propina a um suposto intermediário do peemedebista.

O depoimento em questão foi prestado pelo executivo da empresa Florisvaldo Caetano de Oliveira no acordo de delação premiada firmado por integrantes do grupo empresarial, que controla a JBS.

Na fala aos procuradores, Florisvaldo afirmou que, a mando do diretor da J&F Ricardo Saud, entregou 1 milhão de reais em um escritório na capital paulista a uma pessoa conhecida por "coronel". Ele disse ter estado lá em duas ocasiões, uma para conhecer o destinatário e combinar a forma de entrega e a segunda para efetivar o repasse.

O "coronel" seria João Baptista Lima Filho, coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo e amigo de Temer. Tanto ele quanto Temer já negaram publicamente terem recebido esse repasse.

A negociação, segundo o delator, ocorreu em 2014, época em que Temer era vice-presidente da República e presidia o PMDB.

No dia 1º de agosto, Fachin autorizou a juntada de uma cópia do depoimento do delator ao inquérito sobre Temer que o investiga por suposto crime de obstrução a investigações.

O depoimento de Florisvaldo fazia parte de uma petição autuada no STF em 23 de maio, dias após a delação de executivos da JBS ter sido homologada por Fachin. Envolve também relato sobre suposto pagamento de propina a intermediários de outros políticos, como o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Anônimo disse...

Carabobo é esse Maduro que já tá podre !!

Anônimo disse...

Será um grande exemplo para os patifes brasileiros do PT, MST e terroristas de plantão, no crime organizado Farc e PCC, ver o Maduro deposto, e executado como um frango em abatedouro.
Será o maior exemplo para toda a América Latina, e logo depois o mesmo acontecerá, por incrível que pareça em Cuba, cairá também e seus líderes pendurados em cordas...

Anônimo disse...

Não derrubaram Chavez. Agora vão ter que fazer o serviço.

Anônimo disse...

FERNANDO MORAIS LEMBRA APOIO DA FOLHA À DITADURA:

O jornalista e editor do "Nocaute", Fernando Morais Morai, usou sua página pessoal no Facebook para condenar o posicionamento do jornal Folha de São Paulo que agora diz que irá chamar a Venezuela de "ditadura" e o seu presidente, Nicolás Maduro, de "ditador". No texto, Morais relembra que "o decreto foi baixado pela Folha, que apoiou o golpe militar de 1964 e emprestou carros de "reportagem" para os militares prenderem e torturarem adversários do regime".

6 DE AGOSTO DE 2017

247 - O jornalista e editor do "Nocaute", Fernando Morais Morai, usou sua página pessoal no Facebook para condenar o posicionamento do jornal Folha de São Paulo que agora diz que irá chamar a Venezuela de "ditadura" e o seu presidente, Nicolás Maduro, de "ditador". No texto, Morais relembra que "o decreto foi baixado pela Folha, que apoiou o golpe militar de 1964 e emprestou carros de "reportagem" para os militares prenderem e torturarem adversários do regime".

PS: Ultimamente vemos um monte zé ruela se achando diplomado em politica externa querendo dar pitaco na forma administrativa de outros países.
E muito provavelmente não sabem nem administrar as contas e os compromissos da própria casa. Pior são os debiloides que condenam Maduro, mas idolatram Pinochet, Stroessner e os militares torturadores no Brasil. E ainda tem os "pobres de direita" (atual fenômeno ideológico) que torcem para uma ditadura bolsominion.

Anônimo disse...

Enquanto isso....

Temer, Eunício e Maia fazem “domingueira” anti-trabalhador no Jaburu:

FERNANDO BRITO · 06/08/2017 - DCM

Vera Rosa, do Estadão, anuncia (talvez denuncia fosse o mais correto, porque é um crime o que se perpetra) que Michel Temer chamou ao Jaburu os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Azevedo.

Objetivo: “mapear” os votos para aproveitar o “alívio” da vitória na votação sobre a denúncia das malas de Loures para por logo em votação a Reforma da Previdência.

Mapear quer dizer listar os deputados reticentes em votar contra os direitos dos trabalhadores e destinar a eles os mesmos argumentos que se distribuiu para conseguir se safar do processo de corrupção.

Claro, isso é uma missão civilizatória, na visão do mercado, essencial para sanear as finanças de um país onde um Ministro do Supremo, como o sr. Luís Roberto Barroso, acha que a proteção ao trabalhador “infantiliza as pessoas”, que se tornam ” viciadas em paternalismo”.

Um sujeito destes, com toda a fartura que lhe propiciou sua rica banca de advocacia, com os dinheiros e penduricalhos do Supremo, chega ao ponto de comparar as garantias do trabalho à Lei do Inquilinato, reformada por Fernando Henrique Cardoso, para dizer que “veio uma nova legislação, menos protetiva ao locatário, e a consequência prática foi que aumentou exponencialmente a oferta de imóveis para aluguéis e o preço para locação caiu”, afirmou.”

Vejam bem: o trabalhador é o locatário e o preço para locação é o salário, não é, senhor Barroso?

Então, já com a reforma trabalhista pronta para acabar com os direitos dos mais jovens, precisamos saudar o que a trinca de homens bons faz agora no Palácio do Jaburu, definindo quem e como deve ser adquirido para esta cruzada salvadora.

Inútil esperar decência desta gente para que admitam que não há legitimidade para abolirem o direito dos brasileiros humildes.

A ousadia dos canalhas, frase tão prestigiada pela Ministra Cármem Lúcia, está a pleno vapor.

PS1: e de maneira esmagadora o script vai proseguindo com a esqueda paralisada e de boca aberta: congelamento de gastos públicos por 20 anos, terceirização total e irrestrita, CLT rasgada, Petrobrás sendo 'vendida' e temer totalmente livre. Pelo andar da carruagem, os próximos capitulos serão: fim da aposentadoria, prisão e ou inelegibilidade de Lula, tornozeleira pro cunha curtir a vida com seus milhoeszinhos roubados, fim da lava jato só com petistas lá dentro, e com um final mais do que previsível, moro curtindo a vida em alguma resort estadunisense, de preferência flórida ou miami.
PS2: Ou seja, tá explicado porque a midia foca a Venezuela...

Anônimo disse...

Temer agora trama o fim da aposentadoria:

6 de agosto de 2017 - Blog do esmael

O ilegítimo Michel Temer convocou este domingo (6) os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), para tramar o fim das aposentadorias dos trabalhadores brasileiros.

A reunião ainda contou com as presenças dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco, e do Governo, Antônio Imbassahy.

O Tinhoso recebeu os congressistas e seus auxiliares no Palácio do Planalto, quando avaliaram se há votos necessários para tocar a reforma da previdência.

Eles também fizeram um balanço das defecções na votação da denúncia contra Temer por corrupção passiva na Câmara. O objetivo é exemplar os traidores para balizar a próxima votação que, efetivamente, significará o fim das aposentadorias.

PS: Enquanto eles tramam a midia, desvia o foco dos bois, digo, dos neo nazistas para a Venezuela.

Anônimo disse...

Com o apoio financeiro do BNDES, usando as receitas públicas brasileiras desviadas, por Luladrão, Dilmaléfica e PT para Maduro.
A Venezuela é um dos cinco maiores devedores do BNDES, junto com a Rede Globo, JBS, igreja universal...

Anônimo disse...

Enquanto isso......

SOCIALITE QUE INSINUOU QUE LULA ERA 'MARGINAL' É PRESA POR EVASÃO DE DIVISAS:

Socialite e empresária Isabel Christine de Mello Távora, proprietária da CVC Manaus, foi presa pela Polícia Federal quando tentava embarcar para Miami (EUA) com uma grande quantia de dólares em uma mala no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na zona Oeste de Manaus; Isabel que postou uma foto ao lado de uma placa de sinalização insinuando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era "marginal" foi presa por evasão de divisas; ela já havia sido presa anteriormente na Operação Farol da Colina, deflagrada em 2007, e foi condenada a cumprir seis anos de prisão em regime semiaberto e ao pagamento de 140 dias-multa à razão diária de 5 (cinco) salários-mínimos.

7 DE AGOSTO DE 2017

247 - A socialite e empresária Isabel Christine de Mello Távora, proprietária da CVC Manaus, e foi presa pela Polícia Federal quando tentava embarcar para Miami (EUA) com uma grande quantia de dólares em uma mala no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na zona Oeste de Manaus. Isabel que postou uma foto ao lado de uma placa de sinalização insinuando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era "marginal" foi presa por evasão de divisas.

Ela já havia sido presa na Operação Farol da Colina, deflagrada em 2007 para combater os crimes de sonegação, evasão de divisas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Ela foi condenada pelo juiz federal da 2ª Vara da Seção Judiciária do Estado do Amazonas, Márcio Coelho de Freitas seis anos de prisão em regime semiaberto e ao pagamento de 140 dias-multa à razão diária de 5 (cinco) salários-mínimos.

PS: Essa é cara das nossas elites. Expressão legítima do moralismo bandida, sempre achando que os bandidos estão nos 4Ps (preto, pobre, put.. e petista).

Anônimo disse...

ASSANGE: EUA ENCONTRARAM UM NOVO IRAQUE E É A VENEZUELA:

REUTERS
O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, afirmou, em sua conta no Twitter, que os Estados Unidos descobriram um "novo Iraque" na Venezuela; no passado, Washington justificou seu ataque ilegal ao território iraquiano baseado em informações infundadas de diversas agências de inteligência norte-americanas; o mesmo poderia estar prestes a acontecer com a Venezuela de Nicolas Maduro; a mensagem de Assange é acompanhada pela reprodução de um vídeo em que o diretor da CIA, Mike Pompeo, admite estar agindo em coordenação com México e Colômbia para derrubar o governo da Venezuela.

7 DE AGOSTO DE 2017

247 - Um dos maiores nomes no combate aos desmandos da espionagem e das agências de informação dos Estados Unidos, Julian Assange, fundador do WikiLeaks, usou sua conta no Twitter para dizer que os EUA encontrara um novo Iraque: "É a venezuela", disse.

Assange tem reiterado, em diversas ocasiões, que os interesses dos EUA na Venezuela giram em torno da produção de petróleo.

Diretor, editor e porta-voz do Wikileaks, Julian Assange, replicou ainda um vídeo em que o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos, Mike Pompeo, admite agindo em coordenação com México e Colômbia para derrubar o governo da Venezuela.

Anônimo disse...

MP ACUSA JUSTIÇA DE BLINDAR OPERADOR DE SERRA:

O Ministério Público Federal diz que o Ministério da Justiça está travando, desde outubro do ano passado, a criação de uma força-tarefa entre Brasil e Espanha para investigar suspeitas de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a empresa de capital misto espanhola Defex; a Espanha pediu a criação de uma equipe de trabalho conjunta para apurar um repasse de 7 milhões da Defex para empresas de Gregório Marin Preciado, apontado como operador de José Serra; Preciado é casado com uma prima de Serra; o pedido de criação do grupo conjunto não teve andamento no Ministério da Justiça nas gestões de Alexandre de Moraes, Osmar Serraglio e de Torquato Jardim.

7 DE AGOSTO DE 2017

247 - O Ministério da Justiça trava desde outubro do ano passado a criação de uma força-tarefa entre Brasil e Espanha para investigar suspeitas de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a empresa de capital misto espanhola Defex. A Espanha pediu a criação de uma equipe de trabalho conjunta para apurar um repasse de 7 milhões da Defex para empresas de Gregório Marin Preciado, entre elas a Iberbrás.

A Iberbrás apareceu na Lava Jato por causa da refinaria de Pasadena. Segundo o delator Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, por meio de um contrato fraudulento com a Astra Oil, a Iberbrás escoou propina de US$ 15 milhões destinada ao pagamento de vantagens indevidas a funcionários da Diretoria Internacional e de Abastecimento da Petrobrás.

Em 22 de junho deste ano, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou um ofício ao ministro da Justiça, Torquato Jardim, cobrando uma posição sobre o pedido de formação da equipe conjunta de investigação. No documento sigiloso, ao qual o Estado teve acesso, o procurador afirmou que houve uma discussão em outubro do ano passado sobre o tema, mas o governo não encaminhou “mais qualquer informação” para formar o grupo conjunto. O pedido de criação do grupo não teve andamento no Ministério da Justiça nas gestões de Alexandre de Moraes, Osmar Serraglio e de Torquato.

O Estado apurou que na época do pedido espanhol, Janot comunicou o Michel Temer sobre o caso. A Procuradoria queria evitar que as informações chegassem ao Ministério das Relações Exteriores, chefiado à época por José Serra, uma vez que a investigação esbarra em informações sobre o empresário, que é próximo ao tucano. Preciado é casado com uma prima de Serra.

As informações são de reportagem de Fábio Serapião e Beatriz Bulla no Estado de S.Paulo.

PS: Nos governos do PT, lula e dilma isso era "obstrução da justiça",com capa dos Jornalões, 15 minutos no JN, panelaço e comoventes manifestações contra a corrupção na Paulista, no Parco e demais capitais. Agora é uma noticinha nos jornais e na internet. Por menos que isso lula foi impedido de assumir um Ministério por um juiz de plantão. Tropa da vagabundos.....