Transparência Internacional sobre Lula: "Não há impunidade, mesmo para poderosos"

O presidente da Transparência Internacional, José Ugaz, afirmou, nesta quarta-feira, que a condenação do ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de prisão proferida pelo juiz federal Sérgio Moro é 'é um sinal significativo de que o estado de direito está trabalhando no Brasil e que não há impunidade, mesmo para os poderosos'. A entidade diz ver 'ataques de todos os lados' às investigações e exige 'garantias' de que a Lava Jato siga em frente sem 'interferências de partidos políticos'.

"A condenação do ex-presidente Lula é um sinal significativo de que o estado de direito está trabalhando no Brasil e que não há impunidade, mesmo para os poderosos", afirmou Urgaz.

O presidente da entidade ainda afirma que o 'escândalo da Lava Jato atingiu políticos de todos os partidos e os mais poderosos empresários brasileiros' e que 'não é surpreendente' o fato de que 'os juízes e investigadores estejam sendo atacados de todos os lados'.

"Esta é a prova de que a corrupção não distingue entre ideologias ou partidos políticos. A Transparência Internacional exige garantias de que as investigações possam prosseguir e que todos os processos judiciais permaneçam independentes e livres de interferências de qualquer partido político", afirmou o presidente da Transparência Internacional.