Entrevista, Modesto Carvalhosa - Esta candidatura é para restabelecer a honra ferida da Pátria

ENTREVISTA
Modesto Carvalhosa, jurista, SP (CLIQUE AQUI para saber quem é).

É claro que o senhor é brasileiro e tem mais de 35 anos, mas a legislação exige que o senhor tenha filiação partidária para disputar a sucessão de Temer, caso ele saia.
Não tenho filiação partidária e isto nem é necessário. Aliás, candidaturas avulsas, independentes, terão que ser aceitas também nas diretas do ano que vem. O Brasil é signatário do Tratado de São José da Costa Rica, que no seu artigo 23 assegura aos cidadãos nacionais o direito de votar e ser votado. É isto.

Caso Temer saia, não seria melhor mudar a Constituição para chamar eleições diretas ?
O calendário eleitoral está consagrado na Constituição. Isto é sagrado. Se o presidente sair, a eleição é indireta. Isto aqui não é a Venezuela.

Se Temer não sair, o senhor irá para a disputa de 2018 ?
Negativo. O projeto é este sobre o qual estamos falando.

O que o motivou a entrar em campanha aberta ?
Os eventos de 2013 e o que se seguiu. A sociedade civil entusiasma-se com um candidato que como ela quer restabelecer a honra ferida da Pátria. Nós estamos envergonhados e enojados.

Por isto o senhor se anima ?
Como não responder positivamente ao desejo dos que querem decência no governo, tudo para restabelecer o orgulho de ser brasileiro, A corrupção não pode continuar nos governando. Temos que partir para a ação.

Vai sair alguma caravana pelo País ?
E é preciso ? O povo não aguenta mais a corrupção, os desmandos. A Nação está envergonhada. A sociedade amadureceu enormemente e sabe o que quer.

CLIQUE AQUI para examinar o Facebook da campanha.