Artistas lulopetistas atacam "quadrilha de homens brancos" e dizem que não tem preto preso na Lava Jato

Com menos bandeiras da CUT e do PT, mas ainda assim defendendo as palavras de ordem do lulopetismo, artistas conhecidos como "Os Mamadores da Lei Rouant" e do dinheiro dos cofres públicos, foram neste domingo para as ruas de São Paulo, noLargo da Batata.

O tom do discurso seguiu a toada lulopetista, mas também claramente reducionista, misogina, racista e atrasada. A toada pode ser resumida neste discurso da atriz e poeta Elisa Lucinda:

- Estamos reunidos porque não fugimos da luta. O Brasil precisa de nós. A civilização que fez esquecer as premissas dos povos originários, do negro e do índio, deu nisso. Temer e sua equipe são “uma quadrilha de ladrões brancos” no poder. Não tem preso preto na Lava Jato.

Esquecendo que seus principais líderes estão na cadeia ou cumprem pena em casa (Zé Dirceu, Vaccari, Renato Duque) ou respondem a inquéritos e processos (Dilma, Lula, Gleisi), ela gritou em alto som:

 - Fora Temer pelo amor de Deus! Como é que pode? Parece que Brasília está de costas, não nos escuta. O homem está lá de pirraça e fugindo da polícia.

A artista não fez nenhuma referência ao desespero de Lula, que passa o tempo todo fugindo da polícia.