TCE do RS ainda não tem prazo para julgar escândalo dos financiamentos malfeitos do Badesul

Iradir: sem prazo para falar.

A inspeção que o Tribunal de Contas do RS realizou no Badesul para checar o escândalo dos financiamentos malfeitos durante o governo Tarso Genro, já está com os resultados nas mãos do relator do caso, o conselheiro Iradir Pietrosky. O conselheiro mandou dizer esta tarde ao editor que o processo ainda se encontra em fase de instrução, irá depois para parecer do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas, para só então ser relatado e julgado por toda a Corte.

Não há prazos.

No Ministério Público Estadual também tudo anda lentamente.

O escândalo nem chegou  a ser tratado politicamente pela Assembléia Legislativa, que se nega a investigar o papel jogado no caso pelo ex-governador Tarso Genro. O deputado Enio Bacci tenta há dois meses obter as quatro assinaturas que faltam para instalar a CPI do Badesul, mas é boicotado pelas três maiores bancadas, PMDB, PT e PP. Na sua própria bancada, dois deputados ainda resistem em assinar o pedido.