Mesmo com prejuízo de R$ 1 bilhão em 2016, CGTEE paga super-salários para diretores.

O jornal Zero Hora de hoje, descobriu que o ex-diretor presidente e o ex-diretor-financeiro da estatal federal gaúcha CGTEE (prejuízo de R$ 1 bilhão no ano passado), receberam em 2016, cada um, salários mensais que superaram em até R$ 23 mil o teto do serviço público federal.

Os jornalistas do diário chegaram a protocolar por três vezes seguidas ´pedidos de explicações através da lei de acesso a informação, mas só conseguiram êxito na última tentativa.

Em julho do ano passado, o presidente Romário Wojcicki faturou R$ 98 mil, enquanto seu colega levou R$ 126 mil. Outro diretor, o de Geração, Rubem Gonçalves, no mesmo mês, levou R$ 84,8 mil.

No ano passado, estas foram as remunerações mensais médias dos diretores da CGTEE:

Menor -R$ 25,2 mil
Maior - R$ 56,7 mil
Média mensal do ano - R$ 43,1 mil

Os três casos não são exceção na estatal federal gaúcha.

O jornal ouviu Lucas Rocha Furtado, TCU, que disse que se a CGTEE fosse do setor privado, já teria quebrado.