Celulose Riograndense terá prejuízo de R$1bilhão por causa de falhas nos novos equipamentos

A Celulose Riograndense confirmou o forte corte na produção, tudo devido a falhas constatadas nos novos equipamentos, o que a obrigará a uma parada não programada para checagem generalizada, o que resultará em redução deve ficar entre 150 mil e 200 mil toneladas em 2017 na fábrica de Guaíba. 

Pelos preços de mercado, os chilenos terão prejuízo de R$ 1bilhão apenas este ano.

A empresa é da chilena CMPC. Conforme nota, o motivo é mesmo a parada não programada ocorrida entre os dias 10 de fevereiro e 20 de março deste an