Artigo, Aloyzio Achutti - Cleptomania

Está tão na moda a apropriação indébita do que não é seu, que a gente se pergunta: será somente uma falha moral numa espécie que naturalmente respeita o que não lhe pertence, ou seria uma característica instintiva que a civilização teima em controlar? Se consequência de comportamento mórbido compulsivo, receberia um nome mais sofisticado – cleptomania – mas, pela frequência, estaríamos frente a uma epidemia...

Há quem queira justificar o comportamento como uma estratégia virtuosa de redistribuir a riqueza, atingir mais rapidamente nobres objetivos, ou facilitar o acesso ao poder para corrigir as desigualdades.Elucubrações à parte, o que nos deixa inseguros e incomoda é roubalheira, ladroagem, furto, subtração, assalto, apropriação indébita, saque, rapto, propina, desvio, fraude, ocultação, abafa, mentira, corrupção, formação de cartel, consultorias de mentirinha, concussão, ou peculato – seja por que motivo for.


Como, para guri, roubar era mais feio do que mentir, meu pai, para evitar esses pecadilhos muito comuns, dizia: “Quem mente rouba”. Os dois vêm juntos ou se confundem. Quem mente está roubando a verdade do outro, e para não ser pego é preciso ocultar e mentir enquanto der, ou enquanto não for mais compensador recorrer à delação premiada. Como coisa que possa merecer recompensa: o delator traiu a sociedade que roubou e depois trai seus comparsas. Nossa salvação está na briga de bandidos.

CLIQUE AQUI para ler todo o artigo. O material foi publicado originalmente no jornal Zero Hora, 12 de dezembro, mas é replicado aqui pela sua atualidade diante dos incidentes desta semana do Petrolão. 

5 comentários:

Marco Santini disse...

Excelente texto escrito pelo mestre Dr.Aloyzio Achutti que honra e orgulha a ciencia médica, com o reconhecimento do seu talento e competencia mundo afora!

Anônimo disse...

A palavra clePTomania já diz tudo: PT !!!

Anônimo disse...

Da inveja dos petralhas surge o
recalque e dai para a clePTomania
é um passo.

Anônimo disse...

O DR. Aloysio Achutti tocou num ponto vital para o comportamento dos petralhas ,levantando a hipótese de que a cleptomania deles pode ser oriunda da constituição genética que carregam e que pode ser proveniente de genes de ratos ou
de animais predadores.
Não considera mais o Dr. Achutti,
mais é sabido que em genética existem genes dominantes e recessivos para uma certa característica como a cleptomania. Em linguagem popular dai podem se originar os individuos puros, os puros por cruza, os portadores e os recessivos para para a característica cleptomania.
Aguentar um petralha já é dose para mamute, imaginem aguentar um petralha puro ou puro por cruza. Porisso é muito importante conhecer um pouquinho de genética.

Anônimo disse...

Cleptomania é pra rico. Petralha que se preza é ladrão mesmo e ainda tem orgulho da profissão.