Atentado em debate sobre blasfêmia deixa um morto na Dinamarca

A Europa sofreu neste sábado um novo ataque terrorista contra a liberdade de expressão, um dos valores fundamentais do continente. Uma pessoa morreu e ao menos outras três ficaram feridas gravemente em Copenhague quando um indivíduo disparou contra as dezenas de participantes de um debate sobre a liberdade de expressão e a blasfêmia, que incluía uma homenagem à revista satírica francesa Charlie Hebdo. O desenhista sueco Lars Vilks, autor de caricaturas de Maomé, e o embaixador da França na Dinamarca, François Zimeray, que participavam no ato, saíram ilesos.


O debate acontecia no meio da tarde em um centro cultural da capital dinamarquesa, quando o terrorista disparou várias rajadas através das janelas e da porta do local. O embaixador Zimeray contou o ocorrido a um alto cargo do Ministério do Exterior francês, que contou a versão a este jornal: “Eu estava ali para fazer uma síntese, um resumo, do debate. Tudo transcorria com normalidade e, de repente, começaram a disparar. Acho que com fuzis. As pessoas começaram a se atirar no chão. Eu me meti embaixo da mesa. Calculo que dispararam meia centena de tiros. Algumas das pessoas ficaram feridas gravemente. Em seguida, fui a um cômodo no interior e enviei um tuíte para avisar que estava bem”.

* Esta reportagem é do jornal espanhol El País, edição deste domingo, dia 15.

Um comentário:

Anônimo disse...

Por que temer os anjinhos da Dilma, é só amistosamente conversar com eles e todos os problemas estarão resolvidos! Os sobreviventes do evento, se restar algum, poderão relatar suas edificadoras experiências para os nobélicos petistas da paz e da comi$$ão da verdade, os verdadeiros defensores do outro mundo possível!