Beluzzo, ex-professor e amigo de Dilma, diz que governo precisa reindustrializar para crescer

CLIQUE AQUI para ler, também, "Ano de oportunidades", de Henrique Meirelles, homem ligadíssimo ao governo, mas que faz uma análise precisa sobre as oportunidades globais que Dilma não sabe aproveitar. A revista Veja desta semana (Lauro Jardim) diz que Lula ofereceu Meirelles para substituir Mantega, mas a presidente repeliu a investida. É que Meirelles exigiu carta branca. 

LEIA também, reportagem do Estadão de domingo: "Em dois anos, setor industrial fecha mais de 200 mil postos de trabalho. CLIQUE AQUI. 

Em entrevista que concedeu para a repórter Eleonora de Lucena, da Folha, Luiz Gonzaga Beluzzo, professor e amigo de Dilma, avisa que o câmbio está muito fora do lugar e é preciso acelerar as concessões e refortalecer a indústria. Beluzo se esforça para ser condescendente, mas seu lado profissional o impede de fazer loas a um governo que fracassa visivelmente. Leia tudo:

O Brasil precisa mexer na política cambial. A valorização do real por vários anos fez com que empresários virassem importadores e a indústria encolhesse. Por isso, o crescimento patina. Se o enrosco não for resolvido, poderá haver recuo.

O diagnóstico é do economista Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, 71, para quem o país se meteu numa camisa de 11 varas (dificuldade extrema, da qual é difícil ou impossível sair, diz o "Aurélio").
Professor da Unicamp, foi mestre de Dilma Rousseff. Nesta entrevista, ele avalia a ex-aluna: "Está seguindo os cânones dominantes. Deu uma recuada diante da correlação de forças. Com o câmbio muito fora do lugar e essa situação internacional, haverá dificuldades de reativar a economia".

Folha - Como vai o governo Dilma?
Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo - Dilma se deu conta de que os efeitos da crise sobre o Brasil foram maiores do que se podia pensar e duraram mais tempo. Nos metemos numa camisa de 11 varas, num enrosco. O investimento industrial foi afetado pela manutenção da taxa de câmbio valorizada. O que a maioria dos industriais fez? Eles se tornaram importadores. A indústria brasileira ficou nanica. O Brasil vai ter que corrigir a política cambial.

É por isso que o governo está fracassando na economia?

Não acho que esteja fracassando. O crescimento é ruim, comparável ao de FHC, que foi péssimo. Há esse enrosco de câmbio, crescimento e juros. O núcleo do enrosco é o desalinhamento do câmbio.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

10 comentários:

Anônimo disse...

É engraçado esse palmeirense, o da Dilma é ruim, comparável (semelhante) ao de FHC, que foi péssimo. Além de engraçado é esquecido: esquece-se do caos que a economia apresentava antes daquele presidente.

Anônimo disse...

FHC diz que Barbosa não deve ser candidato. O recado terá resposta?

Casa onde falta o pão, todo mundo briga e ninguém tem razão, repetia minha santa avó.

Não pode vir outra coisa à mente quando se lê o “apelo amigo” de Fernando Henrique Cardoso para que Joaquim Barbosa não se lance candidato à presidência.

Fernando Henrique já entregou os anéis presidenciais e está pensando, agora, em salvar os dedos partidários.

Sabe que Barbosa não poderia ser o candidato tucano sob pena de desmascarar sua própria atuação como “Batman”.

E sabe que com Barbosa candidato por outro partido, vai-se o que ficou de PSDB.

Não é o mesmo com Eduardo Campos, a quem ele sabe ser fraco e capaz de compor.

Mas se a doçura com que trata a candidatura Campos era esperada, surpreende a dureza com que se referiu a Barbosa.

Compara-lo com Collor, dizer que ele não tem capacidade de liderar e afirmar que uma candidatura do presidente do STF seria “uma aventura” , se não são sinais de aberta hostilidade, o que seriam?

Fernando Henrique, como se sabe, não tem voto, mas tem mídia e trânsito no mundo da “bufunfa”.

Dá um claro sinal de que Joaquim Barbosa tem o seu espaço, mas que não é na boléia do coche.

“Talvez o Senado, a vice-presidência”, diz ele, dizendo qual é o lugar até onde o admite.

Será que o valente Dr. Joaquim dará uma resposta à altura ao nosso Rei Sol?

Ou acolherá mansamente sua orientação?

Anônimo disse...

Se alguem for ilustrar os verbetes "incompetente", "trapalhao" e "inepto" do dicionario pode acreditar que teremos a figura desse pateta Belluzzo.

Somente a petralhada pra ainda acreditar nele. Sua passagem pelo Palmeiras foi um fiasco, e olha que cartolas toscos e burros sempre abundaram pelos lados do Pque Antartica.

Valeu pelo alarme formal dado pelo verdazzo do boato que corre a boca pequena - A MAXI VEM AI.

ass. marcelao

Anônimo disse...

Beluzzo disse o óbvio,qualquer país de 1º mundo com os maiores Rendas Percapita são os que possuem maior quantidade de indústria.Beluzzo,ótimo professor de economia e péssimo Gestor.Foi muito mal administrando o Palmeiras, deixou uma dívida imensa e o time jogando uma bolinha de sabão.

Luiz A. Buss (03/2503) disse...

O artigo é excelente.

Houve uma grande falha na resposta da segunda pergunta: "O crescimento é ruim, comparável ao de FHC, que foi péssimo."

Bastaria responder "O crescimento é ruim."

Pelo amor de Deus, é preciso que se extermine essa comparação com o governo FHC. Chega! Ela só desperta mais ódio.

O mundo nos oito anos anteriores era outro, as dificuldades diferentes das que se apresentam atualmente. As comparações são inadequadas.

Anônimo disse...

Políbio,

Não adianta, PT é PT.

Comparar o Brasil de 1994 com o de 2013 é CANALHICE!!

O PT pegou um país com tudo organizado para deslanchar e vai entregar um Frankestein morto!!

JulioK

Anônimo disse...

O pessoal está preocupado com a má gestão no Palmeiras... E as burrices (ou loucuras) que esse sujeito cometeu no governo Sarney? AGB

Anônimo disse...

Bom o assunto é industrialização do Pais....um Pais Forte, só è forte, se tiver uma industria competitiva, forte e diversificada.
A alemanha por exemplo é a Locomotiva "chefe" da Europa, porque tem uma industria FORTE.
Ou seria a industria Cubana ou Venezuelana nossas referencias ??

Anônimo disse...

É mas tipos como esse Belluzzo e outros economistas elogiavam a torto e direito a política econômica do governo petralha. Agora que todo mundo vê a enrascada onde eles meteram o país ele procura salvar sua honra acadêmica. Economistas deveriam ser mais profissionais e menos partidários.

Anônimo disse...

Professores passar a teoria dos livros e não necessariamente competente em gestão de empresas,portanto o Beluzzo é um ótimo teórico e um péssimo prático.