Nota do editor - Entenda melhor o Déficit Zero. Está tudo no livro "Cabo de Guerra"

- Ao lado, reprodução do banner utilizado nas sessões de autógrafos. Nele estão as principais informações sobre o livro. 

Sobre essa Pirâmide do governador Tarso Genro (confisco de depósitos judiciais, no valor de R$ 4,2 bilhões), além da declaração de Yeda Crusius no jornal O Sul de hoje ("Tarso é um moleque"), vale a pena aprofundar o conhecimento do que foi o Déficit Zero no governo anterior, contado por seus principais protagonistas, Aod Cunha, Matheus Bandeira, Ricardo Englert, Yeda, no livro "Cabo de Guerra", 499 páginas, 75 reais. É um dos capítulos mais consistentes do livro, com a história completa e bem didática sobre a formação da dívida estadual, da acumulação de déficits, da política e das ações diárias que resultaram na conquista do Déficit Zero, entendido aí o déficit zero como o melhor modo de oxigenar as finanças públicas, equilibrá-las para com isto formar excedentes capazes de propiciar melhoria e expansão nos serviços de saúde, segurança, educação e transporte, que são os que as populações mais pobres mais precisa, melhorando de fato as infraestruturas material e social do Estado. 

. Quem quiser adquirir o livro, que está com estoque em fim de linha, pode pedir agora mesmo, bastando enviar e-mail para polibio.braga@uol.com.br A entrega é feita pessoalmente em casa, segunda, em Porto Alegre, mas para outras cidades gaúchas e do Brasil inteiro, o envio é  por Sedex e a entrega é feita em 48 horas, sem custo adicional. 

- O livro tem 39 capítulos e analisa todo o enfrentamento do governo Yeda com o Eixo do Mal, o que inclui o perverso governo Lula e o desempenho, ali, do seu  ministro da Justiça e chefe da Polícia Política,  que comandou o cerco e a tentativa de assassinato de reputação das maiores lideranças adversárias do PT no RS.

CLIQUE AQUI para ler o capítulo 17, intitulado “A sabotagem do Governo Lula”. É apenas uma palhinha do que tem o livro de 499 páginas, que resgata os acontecimentos da eleição de Yeda, sua trajetória familiar e profissional, o IPO do Banrisul, o boicote do governo Lula ao Duplica RS, a conquista do Déficit Zero e os mistérios que envolveram as mortes de Marcelo Cavalcante, Milton Kruger e Gustavo Mahler.

10 comentários:

Anônimo disse...

Polibio.
Deves enviar de graça pra o jornalista Afonso Ritter um exemplar. Ainda na 6a. feira falava na rádio que não conseguia entender o déficit zero de Yeda por mais que tivesse conversado com economistas e técnicos. Deu entender, por óbvio, que todos os governos são iguais. Seria este jornalista alinhado com o PT?

Anônimo disse...

O "livrinho" encalhado!

Alberto/NH disse...

Não seria melhor este livro se chamar: "Yeda no Estado das Maravilhas"...Quantos anos iremos pagar por esta conta?

Anônimo disse...

A Rosane de Oliveira tem lá suas informações importantes! Quem mais tomou dinheiro do caixa único nos últimos mandatos de governador: primeiro Tarso Genro e, segundo, Olívio Dutra.

Anônimo disse...

Ao anonimo das 16:21 e ao Alberto de NH, essa dívida iniciou a uns trinta anos, lembro de Pedro Simon dizendo que do jeito que estavam administrando o estado em poucos anos seria um caos, mas os PTs sempre tiveram a solução para o Estado e é isso que cobramos, aliás acho que eles não tem solução nem para administrarem suas familias, pois o que levam de chapeu é uma coisa de louco, amanhecem nestas reuniões de nucleos e esquecem que tem mulheres, mas o ricardão não esquece.

Eduardo Menezes

Aquiles disse...

O anônimno das 16:59 certamente deve adorar a "administração" de aTraso Genro, que quebrou novamente o Rio Grande do Sul e entregou o Estado nas mãos da bandidagem e de todo o tipo de mau elemento.

Sem falar das viagens internacionais inúteis à Cuba e Paris custeadas pelo erário público e que não se reverteram em nenhum benefício a este Estado de bugres e botocudos atrasados e retrógrados.

Anônimo disse...

O Afonso Ritter é petista de carteirinha, ele nunca vai entender o deficit zero da Yeda !

Anônimo disse...

Esse livro, dawqui uns 10 anos ainda vai estar a venda (no sebo). Mesmmo sendo com essa promoção toda do PSDB não vende nada.

Anônimo disse...

E este Afonso Ritter é um analista de economia?
Que escola ele frequentou?
Será que foi uma madrassa?

Luiz Vargas disse...

Eu explico pro seu Afonso Ritter: é não gastar mais do que aquilo que arrecadar. Só fazendo isto já dá para começar a arrumar a casa.