Centrais sindicais ganham mais R$ 160 milhões do governo federal

Cinco centrais sindicais repartiram R$ 138 milhões entre janeiro e outubro deste ano. Os recursos, repassados pelo Ministério do Trabalho, são arrecadados dos quase 45 milhões de trabalhadores formais brasileiros. O valor é recorde, e, até o fim do ano, deve ultrapassar a marca de R$ 160 milhões. As centrais não são obrigadas a prestar contas desses recursos, que não têm nenhuma fiscalização do governo federal.

. Quando os repasses começaram em 2008, após decisão do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, as centrais receberam R$ 65,7 milhões. Com saltos anuais superiores a 20%, o repasse chegou a R$ 124,5 milhões em 2011, resultado facilmente superado neste ano. De lá para cá, as centrais receberam do governo federal cerca de R$ 530 milhões.

. Segundo o jornal "O Estadão", a maior parte dos recursos fica com as duas maiores centrais do País, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical. Neste ano, a CUT embolsou R$ 44,5 milhões até outubro, e a Força ficou com R$ 40 milhões. Os presidentes das duas organizações afirmaram ao Estado que os recursos representam entre 60% e 80% do orçamento total das centrais. 

6 comentários:

Anônimo disse...

Ganham para não saírem as ruas protestando contra a corrupção!

Anônimo disse...

Isso explica muita coisa, principalmente, a completa e permanente falta de mobilizações.

Em outros tempos, veríamos carros de som nas ruas protestando contra o governo, exigindo conquistas trabalhistas.

Assim é fácil manter a boiada calma ...

Anônimo disse...

Isso se chama compra de apoio de grupos de interesse.

Anônimo disse...

nãoprestam conta. então deve haver maracutaia como em tudo no Brasil. E, no meiko de tudo, está o ex.

Anônimo disse...

Há quantos anos as centrais sindicais não questionam nada do governo ?
Dinheiro compra tudo, até amor verdadeiro !

CARLOS SGARBI disse...

E quanto e o BOLSA EMPRESARIO? Vc como jornaleiro pseudo especialista em economes poderia informar, nao acha? Talvez desta forma os asnos que adoram defender o livre mercado, entenderiam que o Aviaozinho do Jorge, do Aique, do Ermirio, etc., é comprado com o dinheirinho dos tolos.