Jorge Moreno, "O Globo", ouve "desmentido" de Jobim. Entenda melhor a conversa do ex-ministro.

- O trecho a seguir é do blog do Moreno, do jornalista Jorge Moreno, de O Globo. Ele conversou com Nelson Jobim sobre a denúncia do ministro Gilmar Mendes, do STF, que denunciou a chantagem de Lula sobre ele, jsutamente no escritório do ex-ministro da Defesa. Jorge Moreno é homem de ligações privilegiadas com o Planalto, com o governo e com o PT. Ele ouviu o "desmentido" feito por Jobim sobre a natureza do encontro, mas registrou que o ex-ministro fez a "correção" por dever de ofício, mas se traiu durante a conversa. Leia:

Conteúdo da conversa: “Não houve nada disso do que a VEJA, segundo me informaram, está publicando. Estou aqui em Itaipava e soube desse conteúdo através de um repórter do Estadão, que me procurou há pouco. Portanto, estou falando sem ter lido a revista. Mas, posso assegurar que, se o conteúdo for mesmo esse, o de que Lula teria pedido a Gilmar para votar no mensalão, não é verdade. Quem tocou no assunto mensalão fui eu, no meio da conversa, fazendo a seguinte pergunta: ‘Vem cá, essa coisa do mensalão vai ser votada quando?’. No mais, a conversa girou sobre assuntos diversos da atualidade.”

Razão do encontro
“Desde que deixei o ministério, o presidente Lula tem me prometido uma visita. Três dias antes, a assessora Clara Ant me ligou dizendo que o presidente Lula iria a Brasília conversar com a presidente Dilma numa quarta-feira e que retornaria no dia seguinte, mas antes queria falar comigo. De pronto, respondi que o encontro poderia ser na minha casa, no meu escritório ou em qualquer outro lugar que o presidente quisesse. Lula optou pelo meu escritório, não só porque tinha prometido conhecê-lo, mas, também, porque fica perto do aeroporto. E assim ocorreu.”

Presença do Gilmar
“O Gilmar e eu estamos envolvidos num projeto sobre a Constituição de 88 e temos nos reunidos sistematicamente para tratar do assunto. Por coincidência, o Gilmar estava no meu escritório, quando o presidente Lula apareceu para a visita. Conversaram cerca de uma hora, mas só amenidades. Em nenhum momento, Lula e Gilmar conversaram na cozinha. Aliás, Lula não esteve na cozinha do escritório.”

Repercussões do fato
“Agora, não posso controlar as versões, especulações, que a mídia e as pessoas fazem desse encontro. Faz parte do jogo. O que eu posso dizer é que não houve nada disso.”
Diante do relato de Jobim, eu, como repórter crédulo, diante de fonte tão idônea, poderia me dar por satisfeito e fazer um texto jornalisticamente convencional, tipo ” Jobim nega pressão de Lula” ou, como nós furados gostamos de fazer, com muita satisfação: “Jobim DESMENTE a VEJA”.
Mas, durante a conversa, eu notei a voz estranha do Jobim. Ele estava cumprindo um rito, um protocolo, um dever de anfitrião de evitar mais constrangimento a si e a outros atores do espetáculo. Os bons repórteres, como os meninos da Veja, [Otávio|Cabral à frente, são uma espécie de Eike Batista às avessas: “Vazou, furou”. Com a notícia na rua, o encontro secreto de Jobim, que tinha um propósito, pode ter outro, o de tentativa de coação de juiz ou coisa que valha. Seria coerção? sei lá.
Nelson Jobim, meu velho amigo de guerra, não ia me deixar na mão. Repito: como anfitrião, não poderia confirmar o escândalo. Mas me deu uma pista através de um controvertido depoimento. Inicialmente, me disse que a presença de Gilmar foi mera coincidência, do tipo “Ah, eu estava passando por aqui…”. Só que o próprio Jobim deixou escapar que o encontro fora marcado com três dias de antecedência. Logo, Gilmar sabia que, naquele horário daquela quinta-feira, Jobim estaria recebendo Lula. Então, não foi surpresa nem coincidência coisa nenhuma!


CLIQUE na imagem ao lado. A charge é de Sponholz. 

8 comentários:

Anônimo disse...

De onde é esse "jornalista? Do jornal o Globo. Ah, então tá explicado essa versão...Estão no fim...

Anônimo disse...

Jobin Desmentiu a VEJA e Gilmar Mendes CLARAMENTE.

Agora o reporter ver ESPECULAR sobre o tom de voz de um homem experimentado como Jobim, ex -eputado Federal, ex-ministro da Justiça do Governo FHV, ex-Ministro do STF, ex-presidente do STF e ex-ministro das Forças Armadas do Governo Lula e Dilma.

Mãe DINA só tem uma.

Anônimo disse...

Jobim tentou forçar, de certa forma, a compra dos caças Rafaele. Lula tinha intenções de faturar sua aposentadoria com a compra dos caças.. Então, se penso, então entendo que Gilmar falou a verdade.

Anônimo disse...

Nelson Jobin é da mesma laia do Luladrão!
Quando estourou o Mensalão, Jobin era presidente do STF e segurou o processo até o escâdalo esfriar.
Depois foi ser ministro do Luladrão, pelos enormes serviços prestados.
E foi ministro da Dilma também.
Faz parte da cúpula do grupo de poder domina o Brasil na atualidade.

Anônimo disse...

"Coincidencia"! Também há coincidencia do papai noel com o natal.

Sr. Nelson Jobim! Primeiro tens que explicar o sumiço de um sino da faculdade de direito.

Anônimo disse...

O desmentido do Jobim confirmou a conversa.

Luiz disse...

A palavra de um sujeito que furtou um sino na Faculdade de Direito da UFRGS e mudou artigos da constituição na calada da noite pode ter credibilidade???
Tudo o que os quadrilheiro$ PeTralha$ fazem tem estratégia e método (se bem que deixam rastros que até um cego pode enxergar). Esta ida do "cancero$o chefão" a Brasília não foi de graça, teve em seu bojo a intenção de emparedar membros do STF. O "cancero$o chefão", grande falastrão e mentiroso que é sempre soube de tudo o que se passou e se passa desde que a quadrilha PeTralha se adonou do poder. Nos seus tempos de sindicalista ele já fazia seus acordos com as montadoras de veículos para forçar greves que tinham por objetivo arrancar do regime militar reajustes de preços que estavam proibidos. Como prêmio ele recebia malas de dinheiro entregues por um taxista.
Um dia a história vai mostrar a verdadeira face desta criatura.

Anônimo disse...

Santa Maria da Boca do Monte.
Tarso,Jobim e outros.
A água deve ser podre...