Reforma trouxe segurança jurídica para empregados e empregadores, diz desembargador nas Jornadas de Cachoeira do Sul

O desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TST) do Mato Grosso do Sul Amaury Pinto Rodrigues Junior (foto ao lado) disse esta tarde em Cachoeira do Sul, RS,  que antes da reforma trabalhista havia um excesso de proteção jurídica, causando instabilidade e prejudicando muitas ações.

O desembargador falou durante esta edição municipal das Jornadas de Relações Trabalhistas. O que ele explicou:

- O empregador se vê privado de conceder um privilégio, que não está regulamentado. O objetivo não é retirar a proteção, mas impedir que o excesso trouxesse a insegurança jurídica e tornasse inviável a parceria entre empregados e empregador.

O ministro aposentado do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Gelson de Azevedo, que também falou em Cachoira, disse que julgou dezenas de ações trabalhistas. E, citando alguns exemplos de erros que aconteciam antes da reforma, falou do caso de vigilantes de carros fortes de bancos, que não tinham o cumprimento do seu intervalo legal para almoçar e descansar. “É importante que se traga à luz do direito certos trabalhos que antes não tinham apoio. A lei não é perfeita, é muito boa. E o que ainda faltar, será feito pelo o que a sociedade exige”, ponderou Azevedo. 

A próxima edição será sábado (07), em Capão da Canoa, às 12h30, no Araçá Hotel.

CLIQUE AQUI para saber mais sobre o evento.

5 comentários:

Anônimo disse...

O problema é a terceirização da atividade fim, pouco se fala nisso, já está valendo? Sim pq uma grande empresa de autopeças terceirizou todo seu setor de expedição, 100 funcionários foram pra degola nessa brincadeira.

Anônimo disse...

Poderia comentar sobre esta proposta...


https://www.trabalhabrasil.com.br/vagas-empregos-em-gravatai-rs/engenheiro-civil/1655399

Anônimo disse...

que horror...

Anônimo disse...

O trabalhador brasileiro ainda não tem compromisso algum com o que faz, pois continua com excessos de direitos. Foi uma reforma muito tímida que não vai trazer de volta às indústrias que se foram do Brasil.

Anônimo disse...

Se a Globo, o PSDB, o PMDB, o DEMOs, o PPS, o PP, o PTB, ou seja, os golpistas acham que melhorou então "piorou".

Quantos empregos com "carteira assinada" foram criados com a reforma, considerando pelo sistema atual é preciso que "aumentem" as contribuições para bancar os atuais e futuros aposentados.

Camelo e motoristas de Uber não pagam INSS por conta. Os Brasileiros não tem a cultura de contribuir para a previdência voluntariamente.