Na expectativa de que possa ocorrer ação futura do MPF, juíza proíbe, agora, até a extinção do CNPJ da Fundação Piratini

Os adversários da extinção de seis Fundações mantidas a fundo perdido pelo governo do RS só faltam recorrer à OIT, Genebra, Suiça.

O Poder Judiciário foi mais uma vez usado para impedir a extinção da Fundação Piratini, que era a mantenedora das TVE e Rádio Cultura. A decisão foi da juíza Paula Weber Rosito.

Agora, a 8a.Vara Federal de Porto Alegre resolveu conceder liminar, impedindo até a efetivação da extin~çao do CNPJ da Fundação Piratini, atendendo pedido do MPF, que alega existir um inquérito civil público em curso, que hipoteticamente poderá resultar em ação civil pública, tudo com o objetivo de questionar eventuais irregularidades nos atos de extinção da fundação pública.

8 comentários:

Anônimo disse...

Abuso de autoridade, despotismo, corporativismo, parasitismo, peleguismo, interferência entre poderes e, sobretudo. imoralidade.
É o que essa e muitos outros juízes esquerdalhas têm feito no RS e no Brasil em defesa do parasitismo estatal.

Mas, quando tentaram aprovar uma lei contra abuso de autoridade no judiciário houve muito idiota útil que foi contra...

Anônimo disse...

Os legitimos representantes da vanguarda do atraso.

Leandro Pacheco disse...

o poder judiciário está vendo o que o governo estadual não quer admitir:
Não existe um plano para as extinções, somente a vontade, ou compromisso com finâciadores de campanha de dilapidar o patrimônio público sem qualquer compromisso coma verdade.


Justiniano disse...


Essa "nomenklatura" do judiciário esta criando uma máfia de capas pretas.

Daqui a pouco vão revogar a lei da gravidade por causa dos tombos que ela provoca.

Anônimo disse...

Ou pára todas ou fecha todas.Uns vão se safar e outros não? Deixa assim agora. Esta juíza é idiota. O que mais me irrita é ver estes juízes soltando assassinos a torto e direito. Agora querem impedir fechamento de fundações cnpj e tal...me poupe com esta brincadeira. Vão trabalhar pra combater a criminalidade e feminicídio.

Anônimo disse...

O Judiciario ativista é um dos grandes responsáveis pelos problemas do Brasil. Sem falar que custam uma fortuna (o Judiciario mais caro do mundo) e são ineficientes.

Anônimo disse...

A esquerdalha que permeia o judiciário tem conseguido denegrir de tal forma este poder, que já me recuso a utilizar letras maiúsculas para me referir a qualquer coisa que o envolva. São neste momento, um dos pilares de nosso atraso e subdesenvolvimento, e sustentáculo de imoralidades corporativas.

Anônimo disse...

Espero que falte recursos para pagar o salário desta juíza...