Produção industrial recuou em junho no Brasil. PIB do segundo trimestre pode ter despencado 0,3%.

Após alta em maio, os economistas do Bradesco esperam queda da atividade industrial em junho, conforme sugerido por alguns indicadores antecedentes, como produção de veículos e fluxo de veículos pesados nas estradas. Assim, mesmo que o fluxo pedagiado de veículos tenha avançado 1,5% na passagem de maio para junho na série livre de efeitos sazonais, houve queda de 0,7% para o segmento de pesados, conforme divulgado ontem pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR). Na mesma base de comparação, o fluxo de veículos leves registrou crescimento de 1,5%. Em relação ao mesmo mês de 2016, o movimento total de veículos avançou 5,1%, refletindo o desempenho de veículos leves, que cresceu 7,1%, ao passo que o fluxo de pesados recuou 0,8% no período. 

Dessa forma, por ora, levando em conta o sinal mais fraco para a indústria em junho, fica mantida a expectativa de retração do PIB de 0,3% no segundo trimestre.

2 comentários:

Marlene Gazzana disse...

Temer disse a Ângela Merkel que não há crise econômica Mais um político mentiroso tapando o sol com a peneira e acreditando que os demais seres humanos são idiotas.

Anônimo disse...

PARA MICHEL TEMER, NÃO EXISTE HERANÇA MALDITA!

Mas segundo Temer (ídolo dos coxinhas), não existe crise econômica no Brasil.