Governo Sartori corre contra o tempo no caso da renegociação da dívida com a União

O governo gaúcho corre contra o tempo desde o início do ano, tentando aprovar a PEC das vendas da CEEE, CRM e Sulgás ou convocar plebiscito para obter o mesmo resultado, mas não consegue os votos de que precisa para a PEC e não consegue apressar a velocidade na tramitação do pedido de plebiscito.

O boicote por parte da oposição comunista, dos independentes trabalhistas e até de parte da base aliada, tranca a rua.

O problema é que Sartori precisa desesperadamente de um dos ativos para cumprir exigência imposta pela lei federal para aderir ao Programa de Recuperação Fiscal dos Estados, o que lhe permitirá reter R$ 300 milhões mensais das prestações da dívida com a União.