Eletrobrás desviou fundo para tapar rombo de suas subsidiárias

A Eletrobrás tem usado recursos de um fundo do setor elétrico para bancar dívidas contraídas por suas distribuidoras e tapar rombos financeiros dessas estatais. A manobra considerada ilegal foi constatada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que analisou as práticas da Eletrobrás na gestão dos recursos da Reserva Global de Reversão (RGR).

A RGR é um encargo do setor elétrico que tem como finalidade financiar projetos de expansão e de melhoria dos serviços à população, além de pagar indenizações a empresas e programas sociais de universalização, como o Luz Para Todos.

Anualmente, empresas do setor elétrico recolhem uma taxa de até 2,5% do valor dos seus investimentos, limitada a 3% da receita anual. Essa cota é depositada numa conta corrente da Eletrobrás, a quem cabe administrar os recursos. Em 2014, segundo o balanço financeiro da estatal, os valores da RGR somaram R$ 3,866 bilhões.

7 comentários:

Anônimo disse...

Programa de Universalização > ROUBALHEIRA.

Anônimo disse...

SÃO TANTOS DESVIOS QUE SOMENTE DESVIADOS MENTAIS MESMO PODEM ESTAR A FRETE DESSAS EMPRESAS.

PUXA VIDA, O QUE ESTA GENTE ESTÁ TOMANDO ?? ÁCIDO

Anônimo disse...

mais uma obra da "especialista" do setor energético, da mãe do PAC, em conluio com seus eleitores apalermados...

Anônimo disse...

Polibio, pequeno erro, É TAPAR ROUBOS e não tapar rombos.

Anônimo disse...

Trambiqueiros e trapaceiros todos estes sobrevivem sob o guarda-chuva protetor de Lula.

Anônimo disse...

estou com 20 anos, ainda quero ver essa gente ...

Anônimo disse...

Olha o ELETROLÃO aí, gente!!!