Arrecadação federal de maio sobre abril despencou 16,3%. É resultado da economia desmilinguida.

O mercado não absorveu por completo a notícia deste final de semana, segundo a qual  governo federal arrecadou R$ 77,9 bilhões em impostos e contribuições em maio, valor recorde para o mês. O número representa uma alta real, acima da inflação, de 3,82% sobre o mesmo mês do ano passado, quando o valor foi de R$ 71,5 bilhões. Em comparação com abril, no entanto, a arrecadação teve uma queda de 16,3%.

O resultado se deve, sobretudo, à redução do ritmo do setor produtivo, que já aparece no recolhimento dos tributos. Em maio, o pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica caiu pela metade em relação ao mês anterior. A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), por sua vez, caiu 44,5%, sinais da desaceleração da atividade econômica.

- O que a gente percebe é que há uma queda na lucratividade das empresas, que está atingindo todos os segmentos - disse Zayda Manatta, secretária adjunta da Receita Federal.

. Menos lucratividade reduz impostos de empresas

. Mesmo com a queda na lucratividade, as instituições financeiras continuam puxando a arrecadação no resultado dos cinco primeiros meses. Os bancos foram responsáveis por 70,9% do crescimento da receita de janeiro a maio. Em seguida destacam-se os setores varejista; responsável por 20,2% do crescimento; e o de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, com 11,4%. Na lista dos dez segmentos que mais puxaram a arrecadação, há apenas um representante da indústria: o de fabricantes de bebidas, o que mostra que o setor continua patinando apesar dos pacotes anunciados pelo governo.


. No acumulado dos cinco primeiros meses, entraram R$ 427,4 bilhões nos cofres públicos, ante os R$ 382,8 bilhões do mesmo período do ano passado. Isso significa que, a cada dia, incluindo sábados, domingos e feriados, os brasileiros jogaram R$ 2,8 bilhões nas contas do governo.

4 comentários:

Anônimo disse...

ISSO É FRUTO DAS DESONERAÇÕES, NÃO É QUE A ECONOMIA, A INDUSTRIA ESTEJA PARADA...LONGE DISSO
O GOVERNO É "COMPETENTE".

Anônimo disse...

Espera para ver depois da Copa os números de arrecadação. E, tem gente achando que essa Copa vai gerar inúmeros empregos. Ledo engado, a maioria desses empregos é provavelmente temporários como a rede hoteleira, alimentação(como restaurantes) e de viagens.

Anônimo disse...

Paramos para ver e não prejudicar a copa. A produção iria incomodar os turistas, atrapalhando os aeroportos, por exemplo.

A Copa é um sucesso mas a produtividade....

Anônimo disse...

o mundo liberalo-globalizado está em crise