Editorial de Veja desta semana - Ética jornalística: uma reflexão permanente

É politicamente arriscadíssima a aventura abraçada pelo ex-presidente Lula e pelo PT, que resolveram instalar de qualquer maneira a CPI da Corrupção, visando embaralhar o iminente julgamento dos bandidos que integram a quadrilha do Mensalão, cujo chefe denunciado na ação principal pelo Procurador Geral da República é o ex-ministro José Dirceu, embora se saiba que o verdadeiro chefe foi Lula. O objetivo de Lula e do PT, é fazer manobras parlamentares, políticas, policiais e midiáticas, visando incriminasr pelo menos quatro ministros do STF, uma boa parte da própria imprensa, tendo Veja como alvo central, e também deputados, governadores e senadores da oposição. A CPI sairá, sim, mas já se percebe que mais uma vez o feitiço parece virar contra os feiticeiros, e quem mais está exposto no momento são os patifes ligados ao PT e a Lula. A revista Veja desta semana, depois de três semanas de ataques perversos que recebe por parte do Eixo do Mal, que na mídia conta com o apoio de conhecidos comensais das fartas verbas publicitárias do governo federal, finalmente resolveu reagir. O material a seguir é um resumo da carta do diretor de Redação, Eurípides Alcântara, mas vale a pena ler tudo que está no link. A preocupação de Veja com a ética do que fazem seus repórteres, nem de longe é a regra de toda a mídia brasileira, e sem dúvida alguma nada tem a ver com os delinquentes políticos envolvidos até aqui com Carlinhos Cachoeira e a Delta. Mesmo no RS, nos casos denunciados pelo editor (envolvimento do governo Olívio Dutra com a Delta), as notícias são abafadas. O que narra o editor é a verdadeira rota do jornalismo que trabalha com escrúpulos, embora isto nem sempre ocorra de verdade, porque a sociedade brasileira - nenhuma sociedade - é constituída apenas de anjos e arcanjos.

A ética do jornalista não pode variar conforme a ética da fonte que está lhe dando informações. Entrevistar o papa não nos faz santos. Ter um corrupto como informante não nos corrompe.
(...)
O jornalismo é feito com fontes de informação. O jornalista não é pago para saber. É pago para descobrir. Por essa razão, as relações do jornalista com suas fontes merecem uma reflexão permanente.
(...)
O ensinamento para o bom jornalismo é claro: maus cidadãos podem, em muitos casos, ser portadores de boas informações.
(...)
Uma informação de qualidade é verificável, relevante, tem interesse público e coíbe a ação de corruptos.
(...)
A ética do jornalista não pode variar conforme a ética da fonte que está lhe dando informações. Entrevistar o papa não nos faz santos. Ter um corrupto como informante não nos corrompe.
(...)
O bom jornalismo é uma atividade de informação mediada. O jornalista não é um mero repassador de declarações. Ele tem o poder discricionário de não publicar uma acusação ou uma ofensa grave.
(...)
A regra para lidar com gravações ilegais que registraram atividades de cidadãos ou empresas privadas em seus negócios particulares é: descartar sem ouvir ou assistir – ou, alternativamente, entregá-las às autoridades.
(...)
As informações são tratadas em VEJA como portas que se abrem para a obtenção de novas informações. Todas elas são checadas.

CLIQUE AQUI para ler todo o texto.

15 comentários:

Anônimo disse...

Enquanto o PT não destruir o Brasil, não descansará ... está quase lá, pois já comprou a tudo e a todos.

O que se vendeu mais barato foi este povo dócil, alienado, domesticado e eternamente burro !!!

Atenção, imprensa barata : quero ver de onde virá os anúncios que geram o faturamento de vocês depois que esta republiqueta bananeira implodir ... vocês estão é com medinho do PT, seus covardes !!!

Luiz Vargas disse...

Usando a lógica do canceroso chefe mafio$o: se me virem próximo ao Zé Dir$eu serei taxado de quadrilheiro. A proximidade pode ser incriminadora.
Nunca antes na história deste país desde mil e quinhentos o povo e o país estiveram a mercê de uma quadrilha de estelionatários, sugadora de recursos públicos, como está hoje.

Anônimo disse...

Vida longa à VEJA, um dos poucos veículos de comunicação que não se venderam ao esquerdismo bananeiro.

Anônimo disse...

Não vai publicar aí que o rei da ética o demóstenes era informante e pautava a revistalha? Só publica o que te interessa? A imparcialidade reina por aí...

Luiz disse...

A Veja está em decadência e para sua sobrevivência precisa desesperadamente da volta do PSDB e do DEM no poder e de suas polpudas verbas publicitárias

Anônimo disse...

PROVAVELMENTE a VEJA terá menos, se é que ainda os tem, anuncios das estatais federais, CEF, PTROBRAS e BB.

Anônimo disse...

"OS PETRALHAS CONTINUAM LADRÕES E PETRALHAS, INDEPENDENTE DE COMO VIERAM OU SE OBTIVERAM AS INFORMAÇÕES DO PETRALHISMO QUE COMETERAM"

EX.: Se escutaram ou não atrás da porta que Olívio "negociou" a LOTERIA DO ESTADO DO RS com Cachoeira,a troco de umas cachaças,o crime,o "MALFEITO PETRALHA" continua crime.

Mario Rangel disse...

Esdrúchula a auto-defesa da Veja.

Claro que um informante é um informante, independente de ser bandido ou mocinho. Mas ter um Cachoeira, um Policarpo, pegos na tampinha dizendo que "platavam" denúncias na Veja, já diz tudo.

O Civitas sempre foram e serão contra governos trabalhistas. Motivo este é que, mesmo com denúncias de falcatruas em São Paulo, estas, não recebem uma linha sequer nesta revista.

Outro ponto a se levar em conta é que, a Veja, é integrante do Grupo Napster da África do Sul, e este, um grupo de extrema direita e favorável que é ao aparteid.

A CPMI vai a fundo e vai buscar quem quer que esteja envolvido, independente de partido. Órgãos de imprensa também. A Veja, como se vê, já está esperneando e vai, vom certeza, ser colocada em seu lugar.

Anônimo disse...

Isso é o que eu chamo de "papo reto".
Claro e objetivo, límpido como cristal, ao contrário do do que acontece na esgotosfera (JEG)

Mario Rangel disse...

Meu caro Políbio, dá uma olhada nos contratos da Delta com a SABESP em São Paulo.

Lá é do PSDB...

Anônimo disse...

A VEJA não se vendeu a esquerdismo porque já havia se vendido ao direitismo. Como fazem anos que sua coalização politica não ganha eleição para Presidente, a Abril definha e vende todos seus ativos. Hoje grande parte da venda de sua revista é para o Governo Estadual de São Paulo. Nunca vi essa Revista falar mal uma virguma do PSDB,DEM. Seu dono o Sr CIVITA prometeu que tiraria Lula da Presidencia da República. Agora, fnalmente será investigada pela mais de 220 ligações telefonicas que o Chefe da Sucursal de Brasilia, Sr Policarpo fez com o bicheiro Carlnhos Cachoeiria.

Paulo Veiga disse...

Quanto banana(mário rangel, Luiz, etc...)dando pitaco no que não tem nem idéia. A verdade é que esses esquerdinhas de festa estão é morrendo de medo que a VEJA aumente o teor das denúncias e ponha a público todos os podres do governicho petralha desde 9dedos...
A propósito analfabeto Rangel, esdrúxula é com X e não CH, anta !

Anônimo disse...

Me diverti muito com este artigo. Mais engraçado do que os do Prof. Hariovaldo de Almeida Prado.

Anônimo disse...

O APARELHO PTRALHA está a postos, basta ler as posições acima.

Não gostam de serem investigados, normal para a máfia PTISTA.

Enquanto metem a mão no herário público, vem aqui atacar para se defeder, isto é velho, aqui não cola.

Anônimo disse...

Nunca vi essa Revista falar mal uma virguma do PSDB,DEM.

POR FAVOR, VEJA AS CAPAS DA REVISTA EM 2001 E 2002 ANTES DE ESCREVER CRÍTICAS FALSAS.