O RS chegou ao limite do consumo de energia. Apagão será o próximo passo.

A revelação feita pelo editor de que bateu no teto a capacidade máxima de transmissão e de distribuição de energia elétrica no RS só não é mais alarmante porque a notícia não veio acompanhada do anúncio de apagões (cortes de carga) no Estado.

. O RS produz apenas 30% da energia que consome e por isto depende visceralmente da energia produzida noutros locais, sobretudo Itaipu, Paraná.

. O problema é que as linhas de transmissão estão saturadas, o que vale para o miolo do Estado e também para os Estados ligados ao Sistema Interligado. A capacidade delas é de megawatts e nestes últimos dias de calor forte, a margem que separa o consumo (6 megawatts, atualmente) da capacidade de transmissão (6,1 megawatts) é de apenas 2%.

. Não é nada.

. Ao cruzar a fronteira, o que poderá acontecer a qualquer momento, cortes de cargas (apagões) serão aplicados seletivamente no RS. Em casos como este, os planos de contigenciamento selecionam localidades, áreas e atividades menos problemáticas.

. O problema maior será a indústria.

- As autoridades federais e estaduais não tratam publicamente do assunto e não se sabe o que planejam para o ano que vem, quando o problema chegará ao limite do insuportável. O que se sabe é que o RS não constrói novas usinas (o editor não fala de usininhas eólicas) e também não investe pesadamente em modernização e construção de  linhas de transmissão e distribuição.

11 comentários:

Anônimo disse...

Secretário da Infra-estrutura do RS anunciou no seu twitter o plano de contingência do governo quanto a questão energética: reza!. @betoalbuquerque Alguém ai sabe o código pra desligar o aquecedor central do RS?Tá forte! Estamos rumando p 6mil MW de consumo de energia.Aguenta firme CEEE!

Anônimo disse...

E os bilhões que a CEEE está recebendo vão para onde ? Investimentos em energia já !

Anônimo disse...

Espero que os bilhões a serem recebidos pela CEEE sejam investidos em energia !

Anônimo disse...

Espero que os bilhões a serem recebidos pela CEEE sejam investidos em energia !

Anônimo disse...

É que os gaúchos pagam tributos para outras coisas, não para investir. Gostamos de dinossauros e conversa fiada, por isso o estado tem essa lista inútil de políticos e governos medíocres. O futuro chegou cobrando a conta de um passado sem planejamento. A brincadeira acabou! Ou aprendemos a votar e a exigir trabalho sério dos políticos e governantes ou vamos afundar orgulhosos dos feitos farroupilhas.

Justiniano disse...

No rio Toropi existe inumeros locais para construção de uma grande hidrelétrica, bem no centro do estado, mas parece que as construtoras não conhecem a geografia do RS e bacia hidrográfica deste rio. O que a AESul está esperando.

Anônimo disse...

"Vamo faze" estoque de lenha, fogueira será a solução.

Surfista Prateado disse...

Os apagões selecionados acontecem há muito tempo em Porto Alegre. Há coisa de três anos atrás, um dirigente da CEEE disse com todas as letras em entrevista a Rogério Mendelski, que por falta de capacidade de fornecimento, havia sobreaquecimento nas centrais de distribuição dentro de Porto Alegre, e para aliviar a CEEE fazia apagões selecionados para evitar que mais pessoas ficassem às escuras por um apagão geral. A CEEE tem usado uma tática bem vagabunda atualmente: faz apagões na madrugada, para dar uma aliviada na carga, pois os aparelhos de ar condicionado desligam e não se religam sozinhos quando volta a energia, tem que se ligar novamente pelo controle remoto. Como o pessoal está dormindo, só vai se dar conta algum tempo depois quando sentir o calor e acordar. Enquanto isso, a CEEE tem um resfriamento geral do sistema, mas quando o pessoal religa os aparelhos, o sobreaquecimento volta e se necessário a CEEE promove novo apagão. Faz lembrar os velhos tempos da CRT e seus apagões telefônicos, quando a gente tirava o telefone do gancho e o tom de discagem levava cinco minutos para ser ouvido, isso quando aparecia. O que a finada (graças a Deus) CRT e a CEEE tem em comum? Malditas estatais, onde o que menos importa é o serviço prestado e o que mais importa são as "vantagens" que se podem "conquistar" com uma sinecura ou um empreguinho vagabundo por lá.

Anônimo disse...

O Problema de energia no RS é extremamente sério, tanto que é segredo de estado, ninguem fala, ninguem pode falar, o caos se aproxima.
Falta visao.
Falta planejamento
Politicos tentando serem gestores de alguma coisa..so podia dar M.......

Anônimo disse...

É bom a estúpida classe empresarial gaúcha, parceira e cúmplice dos petistas saqueadores, começar a fazer alguma coisa, ou suas indústrias vão parar.

Ou estão armando um esquema com o partido oficial, para que a toda a energia disponível seja direcionada a elas, deixando o povão sem luz ???

Não duvido nada, neste imenso pasto e curral petista em que se transformou o RS!

Gauchada de 4 patas, faz como os bovinos : caga e anda. Cagou com o Olívio, que mandou a Ford embora, e pouco tempo depois, ainda dá uma segunda chance ???

Anônimo disse...

"Viva do PT" diz o sr. Luiz!