Leia, aqui, a denúncia contra o caluniador preferido do PT, Tacla Duran

A denúncia contra o caluniador e fugitivo preferido do lulopetismo, Tacla Duran, foi protocolada ontem pelo Ministério Público Federal.

CLIQUE AQUI para saber quais são os crimes atribuídos ao novo herói do PT.

 Na denúncia das obras do Pipe Hack do Comperj, um dos casos do bandido, obtida por O Antagonista, o MPF anexa diversos emails de Rodrigo Tacla Durán, identificado no sistema Drousys da Odebrecht como "Vampeta, Vamp e Vampe"...

21 comentários:

Anônimo disse...

E tem gente que acredita nesse corrupto mor que fugiu para a Espanha para não ser preso!!!

Anônimo disse...

é o fugitivo se mandou do pais se fosse inocente nao teria fugido - canalha safado sem vergonha tudo q vem do pt nao presta gente maldita

José disse...

Calúnia é fazer cadastro para nota fiscal gaúcha e descobrir que grande parte de mercados tem caixas que sistema não permite inserir o cpf.

Novo Hamburgo tá complicado,somente supermercados grandes está tudo ok.

Anônimo disse...

SOB SUSPEITA, MP APRESENTA NOVA DENÚNCIA CONTRA TACLA DURAN

No mesmo dia em que a defesa de Lula divulgou o vídeo com a declaração do advogado Rodrigo Tacla Durán de que está à disposição para depor como testemunha no processo do ex-presidente, o Ministério Público Federal apresentou mais uma denúncia contra ele
16 DE DEZEMBRO DE 2017 ÀS 07:00 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

E quem vai investigar o MPF e o juiz Moro da denuncias de Tecla Duran? Ou vão acochambrar mais essa?

Lula foi denunciado até por Reportagem do Jornal.

Anônimo disse...

Com certeza se não tivesse fugido receberia um tratamento justo do MP e da Justiça exatamente quem ele ta denúnciando bem fez ele em fugir

Anônimo disse...

Tecla Duran não fugiu para a Espanha anonimo das 09:56. Tecla Duram tem dupla cidania (brasileiro e espanhol), ou seja, ele viajou para a Espanha. Trata-se de uma "estratégia" de defesa.

A Justiça Espanhola não se submete a "pressão da midia amiga". Isso não impede que ele seja pela própria Justiça Espanhola, desde de que o Brasil envie a "denuncia" via "carta rogatória". É assim que funciona a "Justiça" ou alguém acha que o juiz moro de primeiro grau tem jurisdição na Espanha?

Anônimo disse...

TACLA DURAN DIZ QUE MORO SABIA SEU ENDEREÇO

Em um vídeo bombástico, o advogado Rodrigo Tacla Duran, que atuou para a Odebrecht no esquema de propinas da empreiteira, afirma que o juiz Sergio Moro conhece o endereço dele porque já havia mandado ouvi-lo anteriormente a pedido dos procuradores em Madri; o argumento rebate o que disse o juiz, quando negou que o advogado fosse ouvido como testemunha no processo contra Lula por não conhecer seu endereço; "Meu endereço na Espanha é o endereço da minha família há mais de 20 anos. Está no meu documento de identidade que o juiz de Curitiba com certeza tem cópia, e o Ministério Público também tem cópia", diz; segundo disse Tacla Duran aos advogados de Lula, os procuradores da Lava Jato não compareceram no dia marcado para ouvi-lo; assista
15 DE DEZEMBRO DE 2017 ÀS 18:39 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

Só comprova que o cara tá incomodando sobremaneira os fundamentalistas.

Anônimo disse...

Conforme vídeo a justiça espanhola pediu para ouvir o MPF da Lava Jato no dia 04/12 para esclarecimento dos fatos, e como Duran disse eles não compareceram. Porque será? Estão com medo da justiça espanhola e de Tacla Duran?

Anônimo disse...

acla Duran aceita ser testemunha de defesa de Lula

15/12/2017

Jornal GGN - O advogado Rodrigo Tacla Duran disse à defesa de Lula que está disposto a ser testemunha em processo no qual o ex-presidente é acusado de receber vantagens indevidas da Odebrecht. A afirmação foi feita no último dia 12, durante uma videoconferência com os advogados do petista. A conversa foi gravada e registrada em cartório. Depois, anexada em um pedido para que a Justiça em segunda instância obrigue Sergio Moro a aceitar o depoimento de Duran.

Além de se dispôr a testemunhas, Duran prometeu entregar à defesa de Lula cópias das provas que produziu a respeito de possível fraude no sistema Drousys e no Meinl Bank. Ele já havia denunciado que o Drousys foi manipulado durante a Lava Jato e, agora, afirma possuir uma perícia recém concluída e sequer apresentada à CPMI da JBS, sobre as obstruções que teriam ocorrido no Meinl Bank para esconder rastros de pagamentos.

Anônimo disse...

Tão logo Duran revelou ter sido assediado por Zucoloto para intermediar um acordo de cinco milhões de dólares "por fora" para melhorar sua situação na Lava Jato, Moro, sem sequer ter sido citado, apressou-se em sair em defesa do amigo. Ou seja, acusou o golpe! Por que não ouve Durán?

Anônimo disse...

Turma de Dallagnol furou depoimento com Tacla Duran na Espanha:

15/12/2017 - Cíntia Alves

Jornal GGN - Os procuradores de Curitiba não quiseram ir à Espanha participar do depoimento de Rodrigo Tacla Duran, ex-advogado da Odebrecht e réu na Lava Jato. A informação foi revelada por Duran aos advogados do ex-presidente Lula no último dia 12.

A audiência com Duran havia sido requerida pelo próprio Ministério Público Federal, e Moro, inclusive, chegou a anotar o endereço do ex-advogado da Odebrecht no despacho onde determinou um pedido de ajuda às autoridades espanholas para citar o investigado.

"No entanto, os procuradores deixaram de comparecer à audiência marcada para o último dia 04/12 na Espanha para o cumprimento dessa determinação. Em razão disso, a carta rogatória foi devolvida ao Brasil sem o depoimento do advogado", afirmou a defesa de Lula, em nota.

Em conversa com os advogados de Lula, Duran contou que recebeu uma carta informando que 3 procuradores de Curitiba teriam se comprometido a ir à Espanha participar da audiência, mas todos furaram no dia. Entre eles, Roberson Pozzobon, citado no caso Zucolotto.

Duran ainda disse que é "estarrecedor" o Ministéro Público e o juiz Moro fingirem que não sabem de seu paradeiro. Essa foi uma das justificativas usadas pelo magistrado para negar a Lula a convocação de Duran como testemunha de defesa.

A defesa solicitou ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região que revise a decisão de Moro, que por 3 vezes negou que Duran seja convocado como testemunha em processos envolvendo Lula.

Duran tem denunciado na mídia que recebeu uma cobrança de propina de Carlos Zucolotto, amigo pessoal de Sergio Moro, para "melhorar" um acordo de delação negociado com a força-tarefa comandada por Deltan Dallagnol. Em mensagens apresentadas à CPI da JBS, Zucolotto teria dito a Duran que parte dos 5 milhões de dólares que deveriam ser pagos "por fora" serviria para cuidar das pessoas que participavam da delação.

O acordo foi frustrado e Duran decidiu se refugiar na Espanha, que negou um pedido de extradição feito pela Justiça brasileira. Por unanimidade, a corte espanhola apontou que o advogado tem direito a ser processado naquele País, mas Moro preferiu manter a ação penal em Curitiba. (...)

Anônimo disse...

TACLA DURAN SE DIZ VÍTIMA DE VINGANÇA E ACUSA LAVA JATO DE ATUAR FORA DA LEI

Alvo de uma nova denúncia na noite de ontem, o advogado Rodrigo Tacla Duran divulgou nota neste sábado em que acusa a força-tarefa da Lava Jato de usar a justiça como instrumento de vingança e também questiona por que seu processo ainda não foi enviado para a Espanha, uma vez que ele é cidadão espanhol; "Esta é a segunda denúncia do Ministério Público de Curitiba contra mim desde que decidi me defender publicamente, esclarecendo fatos e exibindo evidências até então inexplicavelmente omitidas. É a prova cabal de uma vingança sem limites, onde a lei, desvirtuada, se transforma em arma", afirma; Duran acusa o advogado Carlos Zucolotto, padrinho do juiz Sergio Moro, de cobrar US$ 5 milhões para facilitar sua delação
16 DE DEZEMBRO DE 2017 ÀS 15:48 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

Só fazem lambança: Lava Jato confunde Ruy Rey com Vampeta na acusação a Tacla Durán:

16 dez 2017 - DCM

Rodrigo Tacla Durán está preparando uma resposta ao libelo apresentado contra ele pelos procuradores da Lava Jato. “Tem muita inconsistência”, declarou.

O advogado está aguardando o resultado de novas perícias realizadas em documentos arquivados por ele, que comprometem ainda mais a Odebrecht e seus acusadores.

Tacla Durán diz que os procuradores confundiram as bolas e chegaram a conclusões equivocadas. Um erro, por exemplo, é o apelidado usado por ele nas comunicações internas entre executivos da empreiteira, o sistema Drousys. “Nunca fui Vampeta. Esse era outro, e a Lava Jato sabe quem é”, afirmou.

Na delação de de Marcos Bilinski, do Meinl Bank, ele é apresentado como Ruy Rey (outro jogador importante na história do Corinthians), e esse é, segundo ele, o nick name usado nas conversas do grupo. Como as declarações de “Vampeta” ajudavam a montar o enredo da Lava Jato, os procuradores deram um jeito de relacionar o apelido a Tacla Durán.

Anônimo disse...

QUE LAMBANÇA!!

Não tem ninguém dessa Turma do MPF de Curitiba que faça correção de nomes?

Anônimo disse...

Esses procuradores de curitiba são uma verdadeira fonte de risos.

Anônimo disse...

O craque Tacla Durán - leia-se, Ruy Rei - colocou os pernas de pau do time na Lava Jato na série Z.

Anônimo disse...

Fator Tacla Durán: quem barra depoimento bomba é tabelinha Moro-Eduardo Cunha!
ROMULUS MAYA: ACUSAÇÕES DE TACLA DURAN NA CPI FORAM BARRADAS POR CUNHA

Romulus Maya, que apresenta o Expresso da Manhã, argumenta que quem barrou qualquer referência a Carlos Zucolotto na CPMI da JBS foi ninguém menos que Eduardo Cunha, o protagonista do golpe de 2016
16 DE DEZEMBRO DE 2017

(...)

FONTE [LÍMPIDA!]: https://www.ocafezinho.com/...

Anônimo disse...

Tacla Durán diz que Ministério Público pratica vingança e desvirtua a lei contra ele




inShare

Postado em 16 de dezembro de 2017 às 3:49 pm
Nota de Rodrigo Tacla Duran, ex-advogado da Odebrecht:

Esta é a segunda denúncia do Ministério Público de Curitiba contra mim desde que decidi me defender publicamente, esclarecendo fatos e exibindo evidências até então inexplicavelmente omitidas. É a prova cabal de uma vingança sem limites, em que a lei, desvirtuada, se transforma em arma.

Virão muitas outras denúncias, não tenho dúvida, cujo único objetivo é o de me condenar à revelia.
Minha extradição foi negada, mas inexplicavelmente até hoje meu processo, acompanhado das devidas provas, não foi remetido para a Espanha. Permanece em Curitiba, contrariando parecer da Secretaria de Cooperação Internacional do Ministério Público Federal e ignorando leis e acordos internacionais como os de Mérida e Palermo.

Todos sabem que o fórum adequado para me processar não é Curitiba e, por isso, não me pronunciarei, porque seria colaborar com esta manobra patrocinada por quem se considera acima da lei, menospreza a decisão da Justiça Espanhola e tenta impedir que eu seja processado corretamente por um juízo neutro e isento.

Prestarei todos os esclarecimentos sobre mais esta denúncia as autoridades responsáveis pelas minhas investigações na Espanha, apresentarei as perícias complementares de fraude nos sistemas informáticos do Meinl Bank Anitgua e do serviço de email do sistema Drousys da Odebrecht para que tenham conhecimento pleno de tudo o que está acontecendo, pois este é o foro onde devo me defender.

Madri, 16 de dezembro de 2017.

Rodrigo Tacla Duran

Anônimo disse...

VÍDEO: advogado que grampeou Moro diz em depoimento que Youssef e Janene tinham dinheiro enterrado em contêineres:

Kiko Nogueira - 16 dez 2017 - DCM

O advogado Roberto Bertholdo depôs como testemunha no STF no âmbito de uma ação penal na qual o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) é réu.

Meurer é acusado pela Procuradoria Geral da República de receber dinheiro através da atuação do ex-deputado federal José Janene, morto em 2010, e do doleiro Alberto Youssef.

Bertholdo, que advogou para Janana, diz, no interrogatório, que Youssef era “braço direito” de seu cliente e que este tinha dinheiro em contêineres enterrado em sua fazenda. Em sua opinião, a delação premiada de Youssef fez com que ele “estabelecesse um monopólio do câmbio no Brasil”.

O advogado é processado pelo juiz Sergio Moro por tê-lo grampeado, como contou o DCM. A mulher do juiz, Rosângela, e o amigo Zucolotto atuaram no processo em que Bertholdo pretendia que fosse aceita exceção da verdade — isto é, quando a alegada injúria ou difamação são decorrentes de fatos ocorridos efetivamente.

Moro grampearia depois Lula e Dilma e divulgaria o conteúdo no Jornal Nacional. Youssef estava na semana passada jantando num dos restaurantes mais caros de Curitiba.

Ninguém sabe do contêiner.