A RBS pagou mesmo US$ 125 milhões para se livrar de problemas ?

Não tem nada a ver com a RBS, Porto Alegre, a notícia de que o Royal Bank of Scotland Group Plc pagará US$ 125 milhões para resolver alegações de ter feito falsas declarações ao vender títulos garantidos por hipotecas a dois grandes fundos de pensão da Califórnia, anunciou o procurador-geral do estado. O acordo anunciado na sexta-feira pelo procurador-geral da Califórnia, Xavier Becerra, foi o mais recente da RBS, com o objetivo de resolver reclamações decorrentes da venda de títulos garantidos por hipotecas, que estavam no cerne da crise financeira de 2008.

O caso rolou ontem nas redes sociais do RS, atribuindo o caso ao grupo de comunicação gaúcho, o que não é verdade. 

CLIQUE AQUI para ler a notícia do portal Terra sobre o caso do banco escocês.

Um comentário:

Anônimo disse...

“ "Em que pese não nominadas pelo radialista, as autoras integram o quadro de professores públicos do Estado do Rio Grande do Sul, tendo sido atingidas pelas afirmações do radialista Wianey Carlet, comentarista da demandada, pois se dirigiu a toda a categoria, formulando generalização nociva e maldosa, ao afirmar que a greve dos professores ‘beira à vigarice’, sem falar na insinuação que a greve, três dias antes do final de semana, seria um período de férias para os professores. Vigarice, como se sabe, é ato de burla, de trapaça, sendo vigarista, segundo o Dicionário Aurélio", anotou na sentença.“


https://www.conjur.com.br/2017-dez-24/membro-categoria-ofendido-nao-direito-reparacao-tj-rs