Lanceiros Negros (MLB) enfiou até famílias de índios na invasão do prédio que era do MPE em Porto Alegre

A Brigada encontrou explosivos e ferramentas que foram estocadas pelos invasores para confrontar a Brigada Militar. Veja, ao lado, o que foi encontrado no local.

O Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas, o MLB, nascido em Pernambuco há pouco tempo, organizou e dirige o grupo local Lanceiros Negros, o mesmo que foi expulso quinta-feira a noite do antigo prédio do MPE, que eles tinham invadido.

Ao contrário do que avisaram PT, Psol e PCdoB, aliados carnais do PCR, não foram expulsas apenas 70 famílias inocentes e desassistidas.

Esta narrativa é para vitimizar os invasores e obter dividendos políticos contra o governo e a favor do lulopetismo, cujos líderes estão na cadeia como corruptos ou eivas de serem enviados para ela.

Muitas famílias foram arrebanhadas em torno do grupo Lanceiros Negros, controlado pelo MLB, e vieram de bairros como Morro da Cruz, Ilha da Pintada, Ilha das Flores e  Lomba do Pinheiro, mas a maioria não tem nada a ver com os gaúchos desses bairros.

É o caso de 10 famílias de indígenas das etnias pataxó, guarani e cainguangue.

Uma família de pataxós migrou da Bahia para ocupar o prédio do MPE.