Sartori rejeita termos do acordo com a União

Um grupo de membros do governo e mais o deputado Gabriel Souza, estará reunido durante a manhã de hoje para preparar a comunicação pública sobre a reação do Estado à proposta da União.

O governador José Ivo Sartori (foto ao lado com seu secret[ário Feltes e o ministro da Fazenda) manifestou-se sobre o projeto remetido pelo Ministério da Fazenda que trata da renegociação da dívida dos estados com a União e disse que a proposta de repactuação enviada ao Congresso é diferente da que foi apresentada aos governadores em Brasília, e tem exigências consideradas "pesadas". Entre os pontos questionados estão a proibição de que o Estado questione a dívida pública na Justiça e o impedimento irrestrito à concessão de benefícios fiscais. O Piratini deverá detalhar nesta quinta o seu posicionamento.A criação de um grupo técnico, pela União, para o acompanhamento das ações econômicas e políticas do RS, durante a execução do Plano, também será contestada.  O que disse o governador:

- [O projeto] não atende às necessidades do Rio Grande do Sul e não representa uma solução, mesmo parcial, ao problema do ajuste de nossas contas públicas.

A dívida do Rio Grande do Sul com a União supera os R$ 51 bilhões, segundo o secretário da Fazenda, Giovani Feltes. Ele calcula que o resultado financeiro seria de R$ 150 milhões ao mês. "Não resolve nosso problema, mas nos auxilia, não tenho a menor dúvida. Mas fomos pegos de surpresa com as exigências", ponderou ele, que reforçou que o Piratini não concorda com várias contrapartidas.

CLIQUE AQUI para conhecer os termos do Plano de Recuperação Fiscal dos Estados.

14 comentários:

Anônimo disse...

Ai que saudade da Dilma...

Anônimo disse...

Quando vejo a cara do meirelles estampada na mídia, não consigo dissociá-la da imagem de um estelionatário. O sujeito que antes administrava as finanças do grupo JBS, cujo dinheiro grosso, foi obtido com empréstimos fraudulentos obtidos junto ao BNDES, seguramente com a sua intervenção, agora administra as finanças do país. ESTAMOS FRITOS, sendo comandados por um SINDICATO DE LADRÕES, desde 2003. Antes disto era só por ladrões, agora é por um sindicato. POBRE BRASIL!

Anônimo disse...

Esta renegociação nos moldes apresentados pelo governo federal ao invés de ajudar vai prejudicar nosso estado. Dá um pequeno alívio ao governador Sartori e empurra o problema para os próximos governadores. Uma irresponsabilidade total.

Anônimo disse...

O (des) governo Temer caminha para o final, não dura até julho.
Tenha calma Sartori ...é só esperar um pouco.

Anônimo disse...

http://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2017/03/noticias/regiao/2079285-municipio-descontrolado-e-com-r-100-milhoes-em-itens-perdidos-analisa-fatima.html

Lá em Novo Hamburgo novo prefeito, Fátima Daudt já descobriu que faltam mais de vinte mil itens da prefeitura, entre eles 140 veículos, bens que chegam a 100 milhões e pode se muito mais.

Não é por menos que o secretário Feltes falou que as prefeituras estão dominadas por criminosos e traficantes.

Anônimo disse...

O Governador não deve assinar nada com a União.
Aguarde.

Amanhã ou depois, quem sabe Temer e Meirelles não estarão vendo o sol nascer quadrado.

Anônimo disse...

Até que enfim, o Sartori deu uma de macho com aquela cachorrada de Brasília.

Anônimo disse...

ELA NÃO DEU UM CENTAVO PARA AJUDAR O RIO GRANDE DO SUL QUANDO ERA PRESIDENTE.
ESTAS COM SAUDADES DAS MORTADELAS E DO GUARANÁ ENTÃO?

Justiniano disse...


Lá sempre foi assim dizem uma coisa e fazem outra.

O Meirelles foi ministro da economia do grande larápio Lula no primeiro mandato.

Anônimo disse...

Modestamente,já tinhamos escrito neste espaço,que tal acordo seria mais um garrote e não um acordo equilibrado,pois justo o desequilíbrio é por demais visível nas suas condições.
Trata-se na verdade,de uma agiotagem contra estados endividados.
E aos saudosistas da Dilma,recomendo que leiam as últimas delações,principalmente a do MO.
Porque Dilma e Lula,não fizeram nada pelo RS.Foi só promessa.Ajudaram numa coisa muito importante.Ajudaram eleger Grilo Falante,que só mentiu na campanha,e não cumpriu coisa nenhuma.Form tantas mentiras tão repetidas,que muita gente acreditou.
Já é tempo dos "moralistas"se calarem.Deu no que deu.

Anônimo disse...

Nem a ponte do Guaiba e o Metrô ela fez. Só enrolou os otários que votaram nela.

Anônimo disse...

É isso mesmo Sartóri, dá - lhe duro nessa turma!

Anônimo disse...

Será que muitos dos gaúchos não percebem que o Estado faliu? Por isso é óbvio que não pode dar incentivo fiscal, que tem que reorganizar a Previdência, tem que cortar na carne benefícios como aposentadoria para PM's com 25 anos de trabalho, tem que botar na balança se vale a pena ter um banco estadual...Meirelles diz o óbvio, fala o correto, mas tem gente que acha que ele é que tá errado! É de lascar o pobre entendimento de muitos.

Anônimo disse...

Em relação a questão judicial realmente concordo com o Governador. Mas o motivo do posicionamento contrário do Governo do Estado é somente por causa dos incentivos fiscais. Estado pode cortar tudo, menos incentivos fiscais. Quem vai pagar a próxima eleição. Aí fica fácil. Retirar tudo dos servidores pode, mas nada dos ricos empresários.