Governo central registrou superávit inesperado de R$ 12,5 bilhões em abril.

Os jornais de hoje destacam nas suas páginas de economia que a arrecadação de impostos e contribuições federais registrou alta de 2,27% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado, já desconsiderando os efeitos da inflação, somando R$ 118 bilhões.

Boa parte dos ganhos estão ligados à contabilização de royalties do petróleo.

Para o resultado do mês passado, o destaque, no entanto, é a contribuição da alta de 55,7% da arrecadação de imposto de renda de residentes no exterior, um movimento atípico. Ao mesmo tempo, as contribuições e os impostos mais ligados à atividade, como imposto de importação e IPI, caíram 8% na mesma base de comparação, também em termos reais. Ontem, ainda foi divulgado o resultado primário do governo central, que apontou superávit de R$ 12,5 bilhões em abril. Importante mencionar que esse resultado superou as expectativas do mercado, que indicavam superávits de R$ 8 bilhões e R$ 7,2 bilhões, respectivamente. Para tanto, no acumulado do ano, as receitas e despesas recuaram 1,9% e 4,3%, nessa ordem, comparadas ao mesmo período de 2016.