Opinião do editor - Só inimigos da pátria atacam juízes, promotores e procuradores.

O jornal Folha de S. Paulo de hoje revela a informação de que o Conselho Nacional de Justiça já mandou afastar 48 juízes ao longo do últimos anos, mas nenhum deles foi posto para fora do serviço público, porque são aposentados. Estas 48 aposentadorias, custam R$ 16,4 milhões por ano aos cofres públicos.

A denúncia de hoje da Folha, cumpre uma escalada estranhável de acusações contra a magistratura, promotores e procuradores, porque nas última semanas seguem-se reportagens de denúncias crescentes sobre benefícios corporativos para membros do Ministério Público e da Magistratura.

Veja e Istoé também participam da campanha. No RS, o jornal Zero Hora é a mídia que mais insiste com o tema nos últimos meses.

O leitor pode ter certeza de que o problema existe,mas também pode ter certeza de que a discussão crescente deste tema, destina-se a enfraquecer o trabalho de juízes e procuradores, que nas jornadas de protestos realizadas ontem, receberam novo e decisivo apoio da opinião pública.

Os corruptos alojados dentro e fora dos governos e dos legislativos, inclusive na área empresarial, não se cansarão de realizar ataques diretos e oblíquos contra o Poder Judiciário e o Ministério Público.
Foi assim, minando as prerrogativas e os trabalhos de juízes e procuradores, que a Itália liquidou com a Operação Mãos Limpas, mergulhando o País em novas trevas de corrupção e desmandos.

A escalada atual de denúncias contra o Poder Judiciário e o MP, visa proteger os corruptos que já estão presos ou poderão ser presos, eternizando este atrasado Estado patrimonialista, corrupto, populista, demagógico, corporativista e atrasado que joga para baixo os brasileiros e o Brasil.