segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Opinião do editor - Só inimigos da pátria atacam juízes, promotores e procuradores.

O jornal Folha de S. Paulo de hoje revela a informação de que o Conselho Nacional de Justiça já mandou afastar 48 juízes ao longo do últimos anos, mas nenhum deles foi posto para fora do serviço público, porque são aposentados. Estas 48 aposentadorias, custam R$ 16,4 milhões por ano aos cofres públicos.

A denúncia de hoje da Folha, cumpre uma escalada estranhável de acusações contra a magistratura, promotores e procuradores, porque nas última semanas seguem-se reportagens de denúncias crescentes sobre benefícios corporativos para membros do Ministério Público e da Magistratura.

Veja e Istoé também participam da campanha. No RS, o jornal Zero Hora é a mídia que mais insiste com o tema nos últimos meses.

O leitor pode ter certeza de que o problema existe,mas também pode ter certeza de que a discussão crescente deste tema, destina-se a enfraquecer o trabalho de juízes e procuradores, que nas jornadas de protestos realizadas ontem, receberam novo e decisivo apoio da opinião pública.

Os corruptos alojados dentro e fora dos governos e dos legislativos, inclusive na área empresarial, não se cansarão de realizar ataques diretos e oblíquos contra o Poder Judiciário e o Ministério Público.
Foi assim, minando as prerrogativas e os trabalhos de juízes e procuradores, que a Itália liquidou com a Operação Mãos Limpas, mergulhando o País em novas trevas de corrupção e desmandos.

A escalada atual de denúncias contra o Poder Judiciário e o MP, visa proteger os corruptos que já estão presos ou poderão ser presos, eternizando este atrasado Estado patrimonialista, corrupto, populista, demagógico, corporativista e atrasado que joga para baixo os brasileiros e o Brasil.

19 comentários:

Anônimo disse...

Polibio, fala da PF na casa do Marco Maia em Canoas!

Anônimo disse...


Os deputados que tentam justificar o injustificável ( se aliar a corruptos e ladrões ), dizem que essas categorias não devem ter 2 meses de férias; quando afastados não devem receber salário, etc.
Concordo plenamente.
Mas, o que estava em discussão não era isso. O que estava em discussão era a defesa de ladrões.
E daí, teve deputado daqui que relaciona em artigo mimimi, quase 20 justificativas para votar a favor de corruptos.

Ora, bolas. Vai querer enganar quem sr. deputado.

Anônimo disse...

Polibio. Vc deve estar de brincadeira. Vc acha correto juízes e promotores nem ter responsabilidade sobre seus atos? Vc acha correto essas categorias ganharem mais que os outros servidores?

Anônimo disse...


IMPEACHMENT E LAVA JATO COBRAM SEU TRIBUTO AO PODER JUDICIÁRIO

A bem da verdade, o Impeachment de Dilma e a Operação Lava Jato deixaram os juízes do Poder Judiciário chamuscados...

Foi aberta a caixa de Pandora para o Poder Judiciário.

A crise ética e moral que se abateu no Poder Executivo e Legislativo há bem mais tempo, agora se instala confortavelmente no Poder Judiciário.

Poder Judiciário está nú!

Anônimo disse...

Sergio Moro e lava jato são exceções.
Tem muito judiciário podre adorando a defesa infantil de proteção absoluta.

Anônimo disse...

Mas tem cada uma! Só falta dizerem que juízes e procuradores têm que receber salário mínimo.
Quem quiser ganhar bem, que vá estudar, de verdade.

Anônimo disse...

só puxa saco e parente desses meganhas os defende acima da lei, diferente de outros cidadãos, aliás, porque não sentam no colo da meganhagem como gostam???ehehehhe

Anônimo disse...

Será preciso "trabalhar" os excessos corporativos do judiciário e isto deverá ser feito pelo próprio poder Judiciário com foco na Constituição. Mas discutir isto neste momento é misturar alhos com bugalhos.Os políticos e apaniguados estão safadamente usando o argumento destes excessos para "enquadrar" os Procuradores e o Juiz Sérgio Moro e desmontar a operação lava jato e outras que virão. Esquecem que as redes sociais vieram para ficar e hoje temos voz para monitorar as safadezas.

Anônimo disse...

Essa batalha está só no início,a sociedade deve ter o cuidado para não misturar as coisas. Caro Políbio, jornalistas independentes como você devem alertar a sociedade. Ótimo texto!

Anônimo disse...

TEM RAZÃO O EDITOR, VISTO QUE MAZELAS DE ORDEM INTERNA DO JUDICIÁRIO NÃO PODEM SER COMPARADAS COM LOGROS GIGANTESCOS NO LEGISLATIVO E NO EXECUTIVO QUE QUEBRARAM O BRASIL. A TURMA ACUADA, PRESA E PROCESSADA OU EM VIAS DE SER PROCESSADA ESTÁ NERVOSA. COMO A MÍDIA AINDA ESTÁ ALTAMENTE CONTAMINADA POR JORNALISTAS ESQUERDISTAS APOIADORES E RECEBEDORES DE PIXULECOS DA ORCRIM, AINDA CONTINUAM ALGUNS ESFORÇOS PARA NIVELAR O JUDICIÁRIO COM A CORJA.

Anônimo disse...

Com o devido respeito que merece o blogueiro mas discordo em gênero, número e grau.

Texto sensacionalista e fascista e tendencioso.

É nítido que o blogueiro na sua visão turva de realidade trata como heróis aqueles que defendem sua visão e como bandidos aqueles que são contrários.

Isto não é jornalismo de opinião e sim terrorismo de opinião.

Pregue um debate justo a respeito da matéria que a população decide por vontade própria, não precisamos de papagaios de piratas defendendo uma casta de privilegiados.

Unknown disse...

Caro Polibio. Desta vez vou discordar da tua posição. Nenhum poder pode ficar fora desta tentativa necessária de colocar o país nos trilhos da legalidade. Como aceitar que exatamente o poder judiciário burle a norma constitucional que estabelece um teto para os vencimentos?

Fernando disse...

O judiciário de Pindorama tem salários mais altos que os da Suíça!!

Anônimo disse...

Deixem o Judiciario em paz! Nao eh o momento...

JORGE LOEFFLER .'. disse...

No caso em tela procuradores e promotores são a mesma coisa, pois todos AGENTES do Ministério Público. Ocorre que desde 2013 quando eles colocaram gente nas ruas em todo o país durante as badernas, gente que portava cartazes com a expressão: NÃO À PEC 37 ficou evidente que eles querem assumir atitularidade da investigação criminal, esta atribuição da única autoridade policial que é o Delegado de Polícia. Julgar é prerrogativa a autoridade judicial, o Juiz de Direito. Aos agentes do MP nos dois níveis a CF reserva tão somente a função de titularidade da denúncia no processo crime. Eles desde 2013 fazem campanha para assumir a atividade da POLÍCIA JUDICIÁRIA. Se houver estupidez do Congresso Nacional em concedera a eles tal logo irão exigir o direito de JULGAR e depois disto a merda estará feita. Raciocinem e abrem bem os olhos, pois o assunto é demasiado serio.

Anônimo disse...

Logicamente que existem supersalarios pagos a juízes e promotores e não há nada de errado denunciá-los. Uma coisa não exclui a outra, não é pelo fato da Justiça esta trabalhando que devemos concordar que não há erro na Justiça. Alias se espera imparcialidade de jornalistas.

Unknown disse...

Penso que um bom começo seria a ministra Carmen Lucia fazer uma devassa nas Folhas de Pagamento do Judiciário, eivadas de inconstitucionalidades e imoralidades!!!
Isto seria a libertação do Judiciário que sempre recebeu estes privilégios imorais em troca da impunidade, leniência, silêncio e conivência com os poderes Executivo e Legislativo e suas corrupções endêmicas!!!
O STF, com isso, se tornou o Guardião da Impunidade ao invés de ser o Guardião da Constituição!!!
Simples assim!!!
Que deem o exemplo e cortem na carne para se redimir!!!
E que devolvam os ganhos inconstitucionais e imorais!!!
Estou falando de: POLPUDOS(GANHOS)=BÁSICO+GRATIFICAÇÃO+BENEFÍCIOS+PRIVILÉGIOS+... ...+PENDURICALHOS+BOLSAS+PIXULECOS!!!

Radamanthys disse...

Políbio,

Quero entender as razões que levam algumas pessoas, inclusive vários jornalistas muito bem conceituados, a pensar que o fato de alguém ser favorável à possibilidade de responsabilização de juizes/promotores obrigatoriamente significará que esta mesma pessoa seria contra as medidas praticadas no âmbito da Operação Lava-Jato..

Sou totalmente contra a corrupção instalada na política do nosso Brasil e também sou contra as imoralidades entranhadas em alguns contracheques na forma dos mais variados penduricalhos - auxílio-moradia, carros com motoristas, viagens fora da classe econômica, descumprimento dos horários de audiências (olha que tem magistrado e membro do MP que é mais facilmente localizado dando palestras Brasil afora ou aulas em cursinhos e faculdades do que nos próprios locais de trabalho), auxílio-educação.. Há alguma incompatibilidade em ser contra a corrupção, contra a impunidade, e ser contra penduricalhos imorais?

Anônimo disse...

KENNEDY: PROCURADORES ERRAM AO ESTIMULAR DEMONIZAÇÃO DO CONGRESSO:


Jornalista critica o fato de as manifestações contra a corrupção terem mirado o Congresso e poupado Michel Temer e alerta sobre o perigo do envolvimento político dos procuradores e membros do Judiciário no "estímulo ao obscurantismo"; "É grave procuradores da República acusarem os deputados de usar a tragédia do acidente com a equipe da Chapecoense para desfigurar o projeto anticorrupção. Esses procuradores estão dando combustível ao obscurantismo político. É uma atitude autoritária jogar parte da população contra o Congresso a fim de emparedá-lo politicamente"

5 DE DEZEMBRO DE 2016

247 - O colunista político Kennedy Alencar criticou nesta segunda-feira, 5, o fato das manifestações contra a corrupção e em favor da operação Lava Jato, que ocorreram em todos os estados nesse domingo, 4, terem direcionado críticas ao Congresso Nacional e poupado o presidente Michel Temer.

"As manifestações deste domingo foram significativas, mas menores do que as que antecederam o impeachment de Dilma Rousseff. Ontem, as críticas priorizaram ações do Congresso Nacional e dos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Renan foi o alvo principal. Ao mesmo tempo, os líderes das manifestações procuraram preservar o presidente Michel Temer. É um ingrediente contraditório porque Temer, Renan e Maia são aliados e têm jogado juntos basicamente em todas as articulações", afirma.

Segundo Kennedy, os protestos fortalecem a equipe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. "No entanto, é perigosa essa atuação política de setores do Ministério Público e do Judiciário. Nos protestos, houve discursos que estimularam a violência contra políticos e que retrataram deputados e senadores como ratos", alerta o colunista.

"É grave procuradores da República acusarem os deputados de usar a tragédia do acidente com a equipe da Chapecoense para desfigurar o projeto anticorrupção. Esses procuradores estão dando combustível ao obscurantismo político. É uma atitude autoritária jogar parte da população contra o Congresso a fim de emparedá-lo politicamente."